28 de jan de 2015

'Vi espíritos da morte querendo levar a minha alma", diz Andressa Urach

A modelo, que se recupera de uma inflamação nas pernas por uso de hidrogel, fala da internação e diz que cometeu muitos pecados por vaidade.
Ela se aproximou da morte e renasceu. Depois de passar 25 dias internada por conta de uma inflamação causada pelo uso de hidrogel nas coxas e com isso apresentar um quadro de sepse, Andressa Urach parece ter tirado lições do que sofreu. A modelo, com seis quilos a menos, sem as unhas postiças e o megahair, recebeu a equipe do EGO no edifício onde comprou para a mãe um apartamento em um bairro de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Usando um vestido longo - novo estilo de roupa adotado por ela desde que começaram os incômodos nas pernas em junho - e se apresentando serena, Andressa mencionou as palavras Deus e renascimento várias vezes. À mãe, Marisete De Faveri , ela agradece a árdua luta para mantê-la viva.
Nos 25 dias que passou internada na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, ela conta que a morte passou perto dela e que foi graças à fé materna e à necessidade de se manter viva para cuidar do filho, Arthur, de 9 anos, que Andressa foi e voltou.
Durante a entrevista, Andressa revelou detalhes de parte do drama que viveu no hospital. Com a sepse, seus rins pararam de funcionar e ela viu seu corpo inchado, com quase 150 quilos. Na maca, era assombrada por vultos negros que gritavam e a envolviam.
Urach aponta o seu passado pecaminoso, como avalia, o responsável por tudo o que sofreu nesses últimos meses. Além do excesso de vaidade, que a levou às consequências desastrosas do presente, Andressa revelou que durante cinco anos contou com o trabalho de uma senhora para obter fama e dinheiro. Seguindo as orientações da mulher, ela diz que travava pactos com orixás e uma pombagira para conquistar luxo, riqueza e a tão almejada fama.
Andressa acredita que tenha quase gastado o valor de um apartamento nesses trabalhos de magia para, segundo ela, conseguir o que queria e afastar pessoas indesejáveis que poderiam prejudicar sua ascensão. “Também fiz muito sexo por interesse, nunca por amor. Sempre me envolvi com homens de bom poder aquisitivo, comprometidos, casados, para conseguir deles boas viagens e bons jantares. Não tenho vergonha de contar, porque isso faz parte do meu passado.” Em franca recuperação e disposta a escrever uma nova história para si, ela pretende voltar à bancada do programa que apresenta, o “Muito show”, na Rede TV, no dia 9 de fevereiro. No carnaval quer estar no sambódromo paulistano para comandar de lá os desfiles para a Rede TV: “Amo o meu trabalho!”. Leia, abaixo, o que disse Andressa Urach em conversa com o EGO.

Fantasmas da morte
“No hospital vi espíritos da morte querendo levar a minha alma. Eram a alma da morte. Eles me rondavam porque queriam a minha alma de qualquer jeito. Isso tudo porque eu não agradeci a Deus. Foi a fé da minha mãe, que foi um elo com Deus, que fez com que as almas fossem embora. Eu estava perturbada. Eram almas feito nuvens escuras. Me davam um sentimento de medo e faziam barulhos assustadores como espíritos sofredores. Pareciam vultos escuros como se fossem fumaças. O vulto mais forte deles era um bem escuro que passava dentro do meu corpo. Pedi para suspenderem a morfina porque eles achavam que era ela que me fazia delirar. Mas eu acredito nessa coisa de espírito e achava que a substância me deixava entre esses dois mundos. Minha mãe chamou pastores que oraram por mim. Os médicos retiraram a morfina e as visões pararam.”

Pecados
“Não cometi pecados de matar, de roubar, mas pecados de excesso de vaidade, de arrogância. Era arrogante talvez em função da vida difícil que tive. Ignorada pelo meu pai, abusada sexualmente dos 2 aos 8 anos pelo marido da mulher maravilhosa que me criou, uma professora de português, fui ficando com o coração mais frio. Também passei por cima de algumas pessoas e também expus muito a minha vida, o meu corpo... No hospital passou todo esse filme na minha cabeça, mas Deus conhecia o meu coração. Sabia que maldade eu jamais tinha feito e eu clamei pela vida do meu filho. Ele é o ser humano mais importante para mim, foi o amor dele que me salvou e me fez voltar para a terra. Tenho certeza disso.”

Pacto com entidades espirituais
“Tinha consulta com uma senhora que comandava um centro. Não chegou a ser magia negra, não sei explicar muito bem. Eu não chegava a frequentar um centro, mas tinha a sua ajuda. Ela me dava banhos de perfume, de sal para me limpar. Pedia para os orixás tudo que queria: o sucesso, o bom carro, o apartamento, consegui tudo. Eu paguei muito caro por isso. A promessa que fiz com a minha pompagira na época foi que, para cada R$ 1 mil que eu ganhasse, eu daria uma champanhe a ela. Fora os R$ 5 mil da festa de final de ano do centro espírita que eu também dava. Para celebrar os trabalhos que conquistava na televisão, doava R$ 3 mil. Também fiz mal para algumas pessoas, fazendo trabalhos para elas se afastarem de mim. A senhora que comandava o centro dizia o nome da pessoa, e eu fazia o trabalho para mantê-la longe.”

Sexo por interesse
“Conquistei tudo o que eu quis, mas fui infeliz na vida amorosa. Os homens que se aproximavam de mim ou eram homens casados, ou comprometidos. Eu queria um amor de verdade. Sempre busquei isso, mas sabia que pelo fato de explorar demais esse lado sensual de bumbum, nenhum homem me aceitava. Eu sabia que esse era o preço que eu tinha a pagar por trabalhar na televisão. Só me envolvia com homens com bom poder aquisitivo. Sempre tive preconceito com homem que não tinha dinheiro. Sempre quis homens que me proporcionassem bons jantares, boas viagens, e isso é um pensamento triste. Não buscava o sentimento da pessoa e, sim, o que ela poderia me oferecer. Me envolvia com os homens por interesse. Não tenho vergonha de contar porque isso faz parte do meu passado.”

Shows eróticos
“Fiz striptease por cachês muito bons. Fiz, sim. Mas ali eu te digo: não foi pecado porque não estava vendendo meu corpo para o sexo. Era um show que famosas como Gretchen fazem. Eu era uma profissional que foi contratada pra ficar seminua e dançar. Foi um trabalho. Não era uma prostituição. Nunca dormi com um homem e ele me deu dinheiro depois. Hoje as prioridades são outras. A gente não pode mudar o nosso passado, mas pode mudar o nosso futuro. Agora as pessoas vão me ver pelas minhas atitudes.”

Vida nova
“Está mudando tudo! Minha forma de viver, de pensar, de me alimentar (voz emocionada)... Tanto fisicamente quanto espiritualmente. Isso se deu a partir do momento que me vi diante da morte. Sei que sou um milagre de Deus, a experiência que vivi com Deus só eu sei. Ele é vivo, Ele existe.”

Fotos de dentro do hospital
“Sei quem as tirou. Foram parentes. Como vou punir um parente? Isso me deixou muito mal. Chorei durante três dias. Eu pedi para eles tirarem as fotos para eu guardar o processo da minha evolução clínica. Jamais venderia essas imagens para ganhar dinheiro, vaidosa do jeito que sou.”

Pai
“Quando nasci meu pai me ignorou. Aos 11 anos, pedi a minha mãe para conhecê-lo. Ficamos dez minutos juntos, ele estava no matagal de sua cidade caçando quando fomos apresentados. Com 14, pedi para ir morar com ele e convivi em sua casa por três meses. Eu o vi novamente quando meu filho nasceu, quando eu tinha 17 anos. Fui com meu marido até sua cidade para apresentá-lo ao neto. Depois disso, fiquei dez anos sem vê-lo. Ele nunca me procurou! No hospital, ao chegar para me visitar, disse que faria um escândalo se não pudesse me ver. Entrou no quarto e ficou dez minutos comigo. Depois contou tudo o que viu para uma emissora de TV que o levou até lá. Ele me magoou muito.”

Cicatrizes nas pernas
“Vou deixá-las lá, como estão. Tomei medo de cirurgia. Pensei em fazer tatuagem para escondê-las, mas elas não estão me incomodando diante de tudo que passei. Nem estava usando mais roupa curta porque há um ano mudei meu estilo de roupa, usava saias mais longas. Pode ser que de repente eu até coloque um shortinho jeans e mostre as minhas cicatrizes para todo mundo ver. Elas são as marcas da minha vitória. Não existe um guerreiro que não tenha cicatrizes.”

Publicado no EGO

27 de jan de 2015

Placa religiosa de Chocolate é alvo de mais um protesto

A placa com os dizeres "Essa cidade pertence ao senhor Jesus Cristo", colocada na entrada de Americana pelo ex-prefeito interino Paulo Sérgio Vieira Neves, o Paulo Chocolate (PSC), foi alvo de um segundo protesto anteontem. Um cartaz feito de papel cartão foi afixado abaixo da placa, ironizando o ato tomado por Chocolate. Instalada em dezembro, a mensagem já foi alvo de pichação e recebeu críticas desde o primeiro dia.
A "segunda placa" instalada abaixo da mensagem de Chocolate diz: "e Oxalá, Allah, Buda, Amaterasu, Shiva, Monstro de Espaguete Voador, Kamisama, Kim Jong-Un, Jah, Lúcifer, Odin, Zeus, Tupã, Hirohito, Júpiter, Rá, Rosana, Goku, Kratos, Castiel, Morgan Freeman, Chuck Norris, Inri Cristo, Joe Pesci e Eu".
Um rapaz de 29 anos, que pediu para não ser identificado, assumiu ter participado do protesto com outras pessoas. Ele disse que se trata de um protesto quanto ao uso da religião por um estado laico.
"Eu sou cristão, assim como pessoas que participaram do ato, mas a placa desrespeita a liberdade de crença. Se o estado é laico, não poderia ter uma mensagem religiosa", disse o rapaz.
No fim da tarde de ontem, o cartaz havia caído, e estava perto da estrutura de concreto que abriga a placa oficial. Em 24 de dezembro, o monumento religioso já havia sido pichado com a palavra "Satan" sobre a frase. O autor da ação não foi descoberto.

ESTADO LAICO
Quando a placa foi inaugurada, o TODODIA ouviu o professor de direito constitucional e público Cláudio Araújo Pinho, da Fundação Dom Cabral, do Rio de Janeiro, que disse que a medida pode ser questionada judicialmente, mas não se configura em crime.
Segundo Pinho, a manifestação religiosa do poder público gera questionamentos por não ser abrangente a todas as religiões, o que pode resultar até mesmo em um questionamento jurídico. O professor explicou que, no entanto, o gesto de Chocolate é comum e está atrelado à cultura brasileira.
"No plenário do Supremo, por exemplo, há um crucifixo católico. Há um fator cultural que influencia nessa questão, pela formação católica do País", disse. Ontem, a reportagem não conseguiu localizar Chocolate, que após o término de seu mandato interino, voltou a ser vereador.

POLÊMICAS
Durante o período de pouco mais de três meses em que ficou na prefeitura, Paulo Chocolate entrou em diversas polêmicas. Além greve de servidores por atrasos de salário, entrou em atrito com o então presidente da Câmara, Valdecir Duzzi (SD), por atraso no repasse obrigatório para o Legislativo. O ex-prefeito interino também inaugurou duas obras inacabadas: a revitalização da Avenida Nicolau João Abdalla e um centro veterinário (colocou placas com seu nome em ambas).
Depois que deixou a prefeitura, ainda foi criticado por servidores que o acusaram de receber repasses e não pagar os salários de dezembro, 13º e férias do funcionalismo.
No período de Chocolate também houve paralisação nos serviços de coleta de lixo. Em meio à série de confusões, Chocolate foi candidato a prefeito, mas terminou a disputa em último lugar.
Ele ocupou a prefeitura porque era o presidente da Câmara quando Diego De Nadai foi cassado do cargo, acusado de caixa dois na campanha de 2012.

Publicado no Jornal TodoDia

Estudantes detidas por beijo gay pedem indenização de R$ 2 mi a Feliciano

Jovens entraram com ação na Justiça contra o deputado; ‘Elas alegaram homofobia, mas isso não existe nem na Constituição e nem no Código Penal’, disse o chefe de gabinete do político.
Duas jovens que se beijaram, foram retiradas de um culto evangélico ministrado pelo deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) e depois detidas em setembro de 2013, entraram com uma ação na Justiça de São Paulo contra o parlamentar. Elas pedem uma indenização de R$ 2 milhões por danos morais.
A informação foi divulgada no início da tarde desta segunda-feira, 26, pelo jornal Diário da Região e confirmada pela assessoria do deputado. Durante o culto, Feliciano mandou também prender as duas estudantes após o beijo, em São Sebastião, no litoral paulista. “Essas duas precisam sair daqui algemadas”, disse Feliciano, sob aplausos dos evangélicos, que assistiam à cena por meio de dois telões instalados no local.
Joana Palhares, de 18 anos, e Yunka Mihura, de 20, foram detidas, algemadas por agentes da Guarda Civil Municipal e levadas ao 1.º Distrito Policial de São Sebastião. O beijo, segundo elas, era uma forma de protesto contra a homofobia.
A assessoria de imprensa afirmou que o deputado já foi informado sobre o processo e está tranquilo. “Elas alegaram homofobia, mas isso não existe nem na Constituição e nem no Código Penal. Elas estavam seminuas montadas nas costas de dois rapazes, foi ridículo. Elas estão fazendo o Judiciário perder tempo.
Estamos tranquilos, serenos. A ação carece de fundamento. É mais um absurdo”, disse o chefe de gabinete do deputado, Talma Bauer.
Na época, Joana afirmou ter sido agredida. “Eles (guardas) me jogaram na grade e depois nos levaram para debaixo do palco, onde fui agredida por três guardas. E ainda levei dois tapas na cara”, disse Joana. Yunka disse não ter apanhado. “Me senti impotente enquanto a Joana apanhava e eu não podia fazer nada”. Ela reclamou que o mesmo não foi feito com casais heterossexuais que se beijaram durante a pregação.
Depois que elas foram levadas pela polícia, o deputado comparou as estudantes a um “cachorrinho”. “Ignorem, ignorem. Cachorrinho que está latindo é assim, você ignorou, ele para de latir”, disse aos fiéis. Na delegacia, Joana passou por exame de corpo delito. Ela tinha hematomas nos braços e pernas.

Publicado em Agência Estado

Primeira mulher a se tornar bispo da Igreja da Inglaterra é ordenada

Libby Lane tornou-se nesta segunda-feira a primeira mulher bispo da Igreja da Inglaterra, anglicana, em uma cerimônia de ordenação realizada na grande catedral gótica de York (norte).
Elizabeth Jane Holden Lane, de 48 anos, é a nova bispa de Stockport e a primeira mulher a assumir esta função desde 1534, quando o rei Henry VIII fundou a Igreja da Inglaterra, a primeira da Igreja anglicana.
Lane, casada com outro sacerdote e mãe de dois filhos, estava acompanhada na cerimônia por Justin Welby, arcebispo de Canterbury, líder eclesiástico da Igreja alglicana, e por John Sentamu, bispo de York, segundo em ordem de importância.
Libby Lane toca saxofone e é da Manchester United, e em 1994 se tornou uma das primeiras mulheres sacerdotes, na mesma cerimônia de ordenação de seu marido. A nova bispa estudou teologia na Universidade de Oxford e desde 2007 exerce de forma indireta a diocese de Chester, na região de Manchester.
É a primeira bispa da Igreja da Inglaterra, mas não da anglicana, porque já existem em Gales, Estados unidos, Austrália, Canadá e na Suazilândia.
Sua nomeação pôde ocorrer porque o sínodo mudou as regras para permitir a eleição, e o parlamento britânico e a rainha aceitaram a mudança.
A emenda que abriu as portas para a nomeação foi batizada como "Canon 33" e estabelece que "um homem ou uma mulher podem consagrar-se à função de bispo".
A decisão irritou os tradicionalistas, mas gera um debate que absorveu os fiéis nos últimos anos.
Reform, um grupo ultraconservador que se opõe à ordenação de mulheres e homossexuais, disse estar inquieta com o precedente aberto por Lane, mas a hierarquia a apoiou.
A singularidade de Lane poderia acabar em breve porque em 2015 está prevista a sucessão dos bispos de Leicester, Gloucester, Oxford, Newcastle e se espera uma mulher entre os eleitos.
"Trata-se de saber se a Igreja acredita que os homens e as mulheres foram feitos iguais à imagem e semelhança de Deus, e será um símbolo muito poderoso", declarou à AFP Miranda Threlfall-Holmes, integrante da organização WATCH, que defende a igualdade de sexos na Igreja.
Justin Welby, arcebispo de Canterbury, líder eclesiástico da Igreja anglicana, elogiou Lane por sua "presença apaziguadora, seu senso de humor e sua modéstia". Com estes atributos, acrescentou Welby, "cumprirá brilhantemente suas funções".
A aprovação desta reforma não obriga as outras igrejas anglicanas a ordenar mulheres como bispos, embora algumas já tenham se adiantado, como as de Gales, Estados Unidos, Austrália, Canadá e Suazilândia.
A comunidade anglicana conta com 80 milhões de fiéis em 165 países e seu líder supremo é o rei da Inglaterra, neste caso Elizabeth II.

Publicado na SWI

26 de jan de 2015

Pastor produz esculturas de material reciclado em Petrolina, PE

Entre as suas criações estão robôs, veículos e miniaturas.
Artista já fez cerca de 60 obras.
Um artista de Petrolina, no Sertão pernambucano, produz esculturas com materiais reciclados. O pastor evangélico Amilton José Leite tem 39 anos e em 2014 criou as primeiras peças para ilustrar um sermão e desde então não parou mais. O escultor teve suas obras expostas em uma feira de artesanato. Entre as suas criações estão robôs, motocicletas, tanques de guerra, carrancas e miniaturas.
De acordo com Amilton, foi a fé que o inspirou a fazer as peças com material reciclado. “Em janeiro do ano passado eu estava preparando um sermão sobre Jesus ser o reciclador da humanidade, pois a sociedade trata o homem como lixo e Jesus atua e transforma em arte. Para ilustrar essa transformação tive a ideia de preparar algo com material reciclado”, contou.
O artesão fez três peças nessa oportunidade e teve a aprovação dos fiéis. “O pessoal gostou do meu trabalho e me incentivaram a continuar produzindo as esculturas. Os amigos começaram a me ligar para doar gabinete de computador, mouse e outros componentes. Daí não parei mais”, relembrou.
As primeiras obras de Amilton foram robôs, cenários e veículos, depois ele passou a variar as temáticas. “Gosto de fazer esculturas que as pessoas reconheçam como motocicletas, tanques e navios e até naves de séries e filmes como Jornada nas Estrelas (Star Trek) e Guerra nas Estrelas (Star Wars)”, explicou.
Segundo o artesão, ele está trabalhando sua estilo que mistura reciclagem de aparelhos eletrônicos com toy art, técnica que cria peças que parecem brinquedo, mas na verdade são feitas para coleção ou decoração. O artista já produziu cerca de 60 peças. “Gosto muito do que faço, mas dá muito trabalho. Principalmente os objetos menores como um trenzinho que fiz, em cima de uma tampa de garrafa, a partir de um circuito eletrônico”, disse.
Do final de setembro até dezembro o artista ministrou uma oficina para crianças e adolescentes. “Ensinamos os jovens a fazer motos com material reciclado. É uma forma de incentivá-los a conhecer a arte, ensinar que dá para fazer reaproveitar muita coisa do que é jogado fora. Além disso pode ser uma fonte de renda caso eles queiram seguir produzindo as esculturas”, contou.

Publicado no G1

Dono de desmanche é preso graças a Bíblia Sagrada

O livro estava no porta-luvas de um veículo que havia sido furtado e desmontado no local.
Religioso fervoroso, um gerente comercial, de 41 anos, carregava a bíblia dentro do automóvel e a consultava constantemente. O carro, uma caminhonete Kia, ano 2009, foi furtado no primeiro dia do ano, em Cumbica (Guarulhos), e acabou totalmente desmontado pelas quadrilhas especializadas nesse tipo de crime. Só a bíblia e outras poucas peças do veículo acabaram recuperadas pela Polícia Civil nesta sexta-feira (23), num desmanche da Vila Jacuí, na Zona Leste da capital paulista. O livro sagrado se tornou a peça fundamental na identificação da vítima. O comerciante W.G.S., de 18 anos, responsável pelo desmanche, foi preso em flagrante e vai responder por receptação qualificada.
Responsáveis pela ação, os agentes da 1ª. Divecar (Delegacia de Investigações sobre Roubo e Furto de Veículos) do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) investigavam há meses as atividades da suposta oficina instalada na Avenida Doutor Assis Ribeiro, já que havia inúmeras denúncias de que o local na verdade era utilizado como esconderijo para o desmonte de carros e revenda de peças irregulares. Na última investida, na quinta-feira (23), os policiais realizaram uma revista detalhada no local, quando várias partes de veículos e peças suspeitas foram localizadas. Entre elas, estavam as duas portas, um para-choque, um tanque de combustível e o porta luvas pertencentes à caminhonete furtada do gerente comercial.
Ao abrirem o porta-luvas, os policiais logo depararam com a pequena bíblia, com capa de couro preta, contendo o nome e contatos do gerente comercial, além de várias anotações. “Glória a Deus”, exclamou a vítima, ao receber a bíblia das mãos dos policiais. O número do chassi impresso nas peças localizadas também comprovou a verdadeira origem do carro. “Ficamos impressionados com a despreocupação das quadrilhas. Tiveram tanta pressa em desmanchar o veículo que sequer se preocuparam em tirar os objetos de dentro do porta-luvas”, disse o delegado titular da 1.a. Divecar, Carlos Mezher. “O combate à receptação é fundamental na redução ao roubo e furto de veículos, e vamos redobrar nosso empenho e agir coordenadamente para sufocar esse tipo de crime.”
Justamente para combater a venda irregular de veículos e peças usadas, e consequentemente diminuir o número de roubos e furtos, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo intensificou as ações a partir de julho, quando entrou em vigor a Lei dos Desmanches.
Desde então, foram fiscalizados 199 desmanches de veículos na Capital, em operações conjuntas das polícias Militar, Civil e Técnico-Científica com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), prefeituras, Secretaria Estadual da Fazenda e Ministério Público.
Do total de locais vistoriados, 149 foram lacrados por irregularidades.

Publicado no DSP

Ordenação de mulheres pela Igreja católica será inevitável

Padre Anselmo Borges refere que a Igreja católica no ocidente é a última grande instituição que continua machista e a discriminar mulheres. Primeira bispa da igreja anglicana inglesa é ordenada segunda-feira.
O teólogo católico português padre Anselmo Borges, defende que a ordenação de mulheres na Igreja católica será inevitável, num comentário sobre a sagração da primeira bispa da igreja anglicana inglesa, Libby Lane, na segunda-feira na catedral de York.
"Não sei quando, mas que vamos ver, vamos" a ordenação de mulheres na Igreja católica, disse à Agência Lusa Anselmo Borges, também professor na universidade de Coimbra e ensaísta.
"Tem de ser, porque a Igreja católica, aqui no ocidente, é a última grande instituição que continua machista e que discrimina as mulheres. Ora, Jesus não discriminou as mulheres (...) mais tarde ou mais cedo, esta discriminação na Igreja terá de acabar. Acho necessário para não haver discriminação, para seguirmos a vontade de Jesus, que não discriminou", afirmou.
Anselmo Borges lembrou as declarações polémicas do cardeal português José Policarpo, que numa entrevista afirmou não ver razões teológicas para a não-ordenação das mulheres, e do cardeal italiano Carlo Maria Martini, morto em agosto de 2012, em defesa da ordenação das mulheres.
A primeira bispa da Igreja de Inglaterra vai exercer o seu ministério em Stockport, uma cidade desindustrializada, na zona de Manchester (noroeste de Inglaterra).
Esta designação, anunciada em dezembro de 2014, põe fim a séculos de domínio masculino na hierarquia clerical e acontece 20 anos depois das primeiras ordenações de mulheres padres, que representam atualmente, em Inglaterra, perto de um terço do clero.
Libby Lane tem 48 anos, dois filhos e é casada com um padre.
O anglicanismo, a terceira maior comunhão a nível mundial, com 13,4 milhões de membros, nasceu de uma rutura com a Igreja católica no século XVI, depois da recusa do papa Clemente VII de conceder ao rei Henrique VIII a anulação do casamento com Catarina de Aragão.

Publicado no DN

Cristãos são donos de 55% da riqueza mundial

A consultoria New World Wealth publicou um estudo sobre o patrimônio somados entre os adeptos das diferentes religiões. A empresa concluiu que os 2,4 bilhões dos cristãos de toda a Terra possuem 55% riqueza mundial. Eles estão bem a frente dos 1,6 bilhões de muçulmanos que têm 5,8% do patrimônio global. Os adeptos do islã viram seus bens aumentarem 132% neste milênio, mas ainda estão distante dos discípulos de Jesus Cristo. Já os hindus, cujo número de adeptos se aproxima de 1 bilhão, controlam 3% da riqueza mundial.
O estudo também levantou o patrimônio dos super-ricos, os que têm riquezas superiores a US$ 1 bilhão. Eles possuem US$ 66 trilhões da soma global de US$ 195 trilhões. Neste grupo, os cristão também são maioria.
Entre os 10 países mais ricos do mundo, apenas China, Japão e Índia não são cristãos.

Publicado em RUVR

24 de jan de 2015

Pastor Rodson Souza quer “espiritualizar” Pronto Socorro

Se depender da bênção do “Médico dos Médicos”, a administração do pastor Rodson, no Pronto Socorro de Rio Branco já está abençoada.
Empossado pelo médico Sebastião Viana com a promessa de revolucionar a administração da unidade, Rodson Souza, que também é líder da Igreja Batista da Liberdade, costuma reunir os servidores do setor em oração para, como dizem os crentes, expulsar os demônios e abençoar o ambiente.
As reuniões de oração com meditação nas Escrituras e mensagens de autoajuda são regadas sempre a fartos coffee breaks.
Espécie de porta-voz de Sebastião entre os líderes evangélicos do baixo escalão, Rodson foi escolhido para humanizar o PS, como tem pregado o governador petista.
Porém, além de humanizar, Rodson pretender espiritualizar os corredores, salas e leitos da unidade. A regra é: se faltar medicamento ou se o remédio receitado não resolver, a oração resolve.

Publicado no AC24Horas

Freira que não sabia de gravidez dá à luz um bebê na Itália

Nova mãe teria decidido manter o bebê e deve ser enviada a uma comunidade de acolhimento.
Uma freira de Burundi que entrou recentemente para um convento de clausura na cidade italiana de San Severino Marche, deu à luz um bebê em um hospital local no último domingo.
Segundo o jornal Corriere Adriatico, a freira, de uma idade desconhecida, teria sido levada a um hospital pelas colegas com fortes dores abdominais.
Depois de um exame de ultrassom, ela foi imediatamente transferida para a ala da maternidade, onde deu à luz uma criança que não se sabe se é menino ou menina.
A nova mãe teria decidido manter o bebê e deve ser enviada a uma comunidade de acolhimento.
A direção do hospital, com máxima descrição, se nega a comentar o caso.
Esse não é o primeiro caso registrado na Itália nos últimos anos. Em 2011, outra freira da região deu à luz uma criança. Na ocasião, a religiosa disse que o filho foi fruto de um estupro quando ela estava no Congo.
No ano passado, outra freira, de origem salvadorenha, também teve um bebê em Rieti, o qual chamou de Francisco, em homenagem ao Papa.

Publicado em ANSA Brasil via Terra

20 de jan de 2015

Barbárie: Ex-paquito que mora no Níger tem casa destruída em protesto

Alexandre Canhoni, que foi o paquito Xand, mora desde 2001 no Níger.
45 igrejas cristãs foram incendiadas em ação contra charges de Maomé.
O brasileiro Alexandre Canhoni, que vive desde 2001 no Níger, teve sua casa destruída no último sábado (17), depois de uma manifestação de muçulmanos contra as charges que mostram o profeta Maomé publicadas pelo jornal francês “Charlie Hebdo”. Ele gravou um vídeo em que mostra a destruição.
Os ataques tiveram como alvo instituições cristãs. No total, os manifestantes saquearam e incendiaram 45 igrejas, entre elas, duas brasileiras, além de cinco hotéis, 36 bares, um orfanato e uma escola cristã. Cinco pessoas morreram, 128 ficaram feridas e 189 foram detidas nas manifestações.
Mais conhecido no passado como o paquito Xand do “Xou da Xuxa”, Alexandre desenvolve trabalhos humanitários com crianças na organização evangélica Guerreiros de Deus, com a mulher e outros quatro brasileiros. Um dos projetos da organização, que oferece refeições a crianças da capital Niamey, tem base no quintal de sua casa. Por isso, a destruição afetou, também, o seu trabalho.
Canhoni conta que se preparava para o almoço, por volta das 13h do último sábado, quando ouviu gritos e, do segundo andar de sua casa, viu fumaça saindo de outras casas e templos que estavam sendo queimados, além de manifestantes com pedaços de pau se aproximando.
Canhoni mostra a destruição do local e explica que ouviu os manifestantes gritarem “casa do Alex” quando se dirigiam a ela. Ele diz que é conhecido em Niamey por seu trabalho humanitário. “Nós estamos aqui há muitos anos. Todo mundo me conhece, sabe que somos cristãos. Aqui eles me conhecem não por ser ex-paquito da Xuxa, pelos filmes, de cantar e dançar. Aqui eles nos conhecem como um casal de brancos que chegou em 2001 e começou a ajudar as pessoas”, afirma ao G1.
Antes que os manifestantes atingissem sua casa, ele e sua mulher conseguiram fugir para se abrigar na casa de um amigo. Voltaram apenas neste domingo, para ver o estado em que ficou o seu lar. “Foi afetado tudo. Desde panela e prato, levaram tudo. Saquearam, quebraram, queimaram, roubaram. Foi bem difícil para a gente voltar e dar uma olhada. Foi bem triste”, diz. A casa está sem luz e sem água e as janelas e o portão estão quebrados. Ninguém da organização ficou ferido.
O casal oferece, diariamente, 250 pratos de comida para as crianças atendidas no quintal de sua casa em Niamey. Em todo o Níger são 1.200 refeições, conta Canhoni. O trabalho é voluntário e conta com a ajuda de cerca de 90 pessoas. Se normalmente o projeto depende de doações para sobreviver, após a destruição do último sábado elas ganharam caráter de emergência. A organização está pedindo contribuições para poder reerguer a estrutura e voltar a alimentar as crianças. “Estamos precisando de verba para começar a reerguer e reabrir tudo”, diz.

Publicado no G1

Placa "Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo" pode permanecer em local público

A placa com a frase "Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo" poderá permanecer fixada em local público no município. A 11ª câmara de Direito Público do TJ/SP reformou decisão de primeira instância que havia acolhido pedido do MP para a retirada do objeto.
A placa foi instalada em 2006 em Sorocaba pela municipalidade, num local público. Sete anos depois, o parquet requereu a retirada do objeto, sob alegação de que houve afronta ao disposto no inciso VI do art. 5º da CF (liberdade de consciência e de crença) e no inciso I do art. 19 (vedação de que o Estado subvencione cultos religiosos ou igrejas).
O juízo de primeiro grau acolheu o pedido. Então o município recorreu alegando que aposição da placa se abrange no plexo da discricionariedade municipal e guarda harmonia com o patrimônio de cultura da cidade, não implicando ofensa à liberdade religiosa e à laicidade estatal.
Para o revisor do recurso, desembargador Ricardo Dip, a frase não representa manifestação religiosa, mas uma expressão cultural. "Impedi-la implicaria, a meu ver, a discriminação contra as raízes civilizacionais brasileiras e contra a liberdade expressiva do pensamento popular."
O magistrado completou que se deve admitir o fato de o povo brasileiro ser, em sua origem histórica, cristão. "A só menção, portanto, do nome de Jesus Cristo reportado à cidade de Sorocaba é uma referência histórico-cultural, que, por si só, não aflige o âmbito do poder político, nem ainda o da liberdade de consciência e de crença."
Também participaram da turma julgadora o desembargador Pedro Cauby Pires de Araújo e o juiz substituto em 2º grau Marcelo Lopes Theodosio.

Entenda o caso, clique AQUI, AQUI e AQUI

Publicado no Olhar Jurídico

'Deus é grande', diz pastor brasileiro após ataques a igrejas no Níger

Roberto Carlos Rodrigues, de 36 anos, viveu momentos de tensão.
Nascido em Volta Redonda (RJ), ele está na África desde 2009.
"Realmente limparam a igreja. Limparam, meteram fogo, mas é assim mesmo. Deus é grande, Deus pode fazer muito mais", disse o pastor Roberto Carlos Rodrigues, de 36 anos. Ele viveu momentos de tensão durante os protestos de radicais islâmicos no Níger, na África.
Nascido em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro, Roberto Carlos vive no país africano desde 2009, quando fundou uma comunidade cristã na capital Niamey. Segundo ele, dois templos da Igreja Presbiteriana Viva foram atacados, um deles pouco antes de um encontro bíblico para crianças. Por segurança, o pastor e outras 20 pessoas ficaram escondidas. O Itamaraty orientou que eles evitem sair de casa.
Na cidade natal, missionários e fiéis acompanham as notícias. "Visto que a situação acalmou, eles estão cada um nas suas casas e me parece que a embaixada do Benin e a embaixada de Burkina Faso estão tentando articular, se possível, de alguma forma uma evasão rápida, se por acaso houver necessidade", contou o pastor Djalma Barros.

Cinco mortos e 128 feridos
A polícia local afirmou que as manifestações do último fim de semana deixaram cinco mortos e 128 feridos em Niamey. Houve registro de ataques a 45 igrejas, cinco hotéis, 36 bares, um orfanato e uma escola cristã, segundo noticiou a agência France Presse.
Os locais foram saqueados e incendiados em protesto às charges que mostram o profeta Maomé publicadas pela revista satírica francesa 'Charlie Hebdo'. Ainda de acordo com a polícia, 189 pessoas foram detidas, suspeitas de envolvimento nos protestos.

Publicado no G1