22 de dez de 2014

Pastor artilheiro, Ricardo Oliveira tenta voltar a jogar no Brasil

Uma das atrações do futebol brasileiro no ano que vem será Ricardo Oliveira. O atacante, após quatro anos no futebol árabe, resolveu retornar ao seu país e promete brilhar, embora tenha 34 anos e saiba que sua idade gere desconfiança. Para ter força em não desistir, o jogador se apega à religião. Além de marcar gols, também faz bonito na igreja. Ele é pastor da Assembleia de Deus, Ministério Madureira, no Brás, em São Paulo.
A fé de Ricardo Oliveira fez até com que ele abrisse uma igreja nos Emirados Árabes. Sob a batuta do pastor presidente Samuel Cassio Ferreira, o ex-artilheiro do São Paulo, Portuguesa e Santos também ajuda outros jogadores e conta, com orgulho, que muitos companheiros vão em seus cultos.
"Tem muitos amigos do futebol que frequentam nosso culto. O Thiago Ribeiro, Alex Silva, Jadson, Osvaldo, João Pedro, Betão e alguns ex-jogadores, como Edmilson e o Denilson. É legal também saber que eu posso dar uma palavra de auxílio", disse o atacante, em entrevista exclusiva ao Estado.
Como não podia deixar de ser, por diversas vezes o futebol vira assunto em seus cultos. "Tem muitos fiéis conversam comigo e me perguntam quando eu vou jogar no time deles. Falo para o pessoal que eles me desculpem se um dia os deixei triste”, contou, rindo da situação inusitada.
De volta ao Brasil, ele tem conversas adiantadas com alguns clubes e em breve poderá anunciar seu futuro. Ele chegou a ficar próximo de acerto com o Atlético-MG durante o Brasileiro e foi sondado pelo Palmeiras.
Além dos gols, a carreira de Ricardo Oliveira ficou marcada também pelas diversas lesões. Ele garante que isso é coisa do passado e quem pensa que o atacante está velho, pode se surpreender. "Sei que existe um temor de contratar um jogador de 34 anos e que estava nos Emirados. Sempre fui muito regrado e, se você não se cuidar, pode ter 20 ou 30 que você não vai conseguir jogar. Quero mostrar para todos que idade não atrapalha em nada", disse o atacante, que promete estar em um novo clube em janeiro.
Revelado pela Portuguesa, Ricardo Oliveira também jogou por Santos, Valencia, Betis, São Paulo, Milan, Zaragoza, Betis, Al-Jazira e Al Wasl.

Publicado no Yahoo

Pastor deixa drogas e rock and roll no passado para guiar Medina

A igreja que Gabriel Medina frequenta em Boiçucanga não poderia ser mais apropriada para um campeão do WCT. Do púlpito, formado por uma prancha de surfe invertida, o pastor não abandona as gírias praianas nem mesmo na hora de cativar os seus fiéis. "A nossa filosofia é a Bíblia, tá ligado? É Jesus andando na areia, surfando - porque ele andou em cima da água, então foi o primeiro surfista da humanidade -, conversando, assando um peixe, fazendo os seus milagres aqui e ali", explica o sujeito de braços tatuados, com uma serenidade que contrasta com o seu passado turbulento.
Pastor da Igreja Evangélica Bola de Neve de Boiçucaga desde 2001 (ele colaborou com a fundação dessa unidade, a primeira criada após a matriz em São Paulo, quando deu "um rolê pelo litoral"), André Catalau foi usuário de drogas dos 12 aos 38 anos. "Eu era cantor de rock, e isso é um passaporte carimbado para a loucura, com tudo pago. Pirei mesmo. Já tinha uma tendência, porque a minha família é americana, muito liberal. Pô, perdi a minha irmã de overdose. O meu irmão, de cirrose. E eu estava no mesmo caminho. Queria morrer, descansar. Tive várias internações psiquiátricas, fui preso", conta, aos 55 anos, com o orgulho de quem diz não ingerir nenhum alucinógeno há mais de 15.A banda paulistana que Catalau liderava era o Golpe de Estado, formada em 1985. O grupo de hard rock, com influências do blues e do heavy metal, marcou época no cenário underground. Chegou a abrir um show para os ingleses do Deep Purple e a fazer algumas aparições na televisão, como no programa de entrevistas comandado por Jô Soares. O declínio coincidiu com o apogeu do vício do vocalista, já cobrado por seus companheiros por faltar em shows e ensaios.
Catalau encontrou outro rumo para a sua vida quando estava debaixo do Minhocão, em São Paulo, com um cachimbo de crack na boca. "Meu tio foi lá me buscar e me levou para um centro de reabilitação evangélico. Pô, eu acabava de ter uma PT, uma perda total. Meu pai, o cara que me bancou e me mimava, estava em uma cadeira de rodas", lembra. "E eu tinha um alto luxo em Higienópolis e descia para fumar pedra. Também estava viciado em sexo. O meu alcoolismo era aquele negócio de acordar de manhã e ter que tomar alguma coisa. Aí, depois, vinha a internação. Era uma cultura, né, brother? Os caras achavam legal cantor de rock ser muito louco, internado e tal", acrescenta.
Já bem diferente do perfil de roqueiro, Catalau se vestiu de terno quando aceitou ser tratado na Assembleia de Deus do Bom Retiro. "Fazia tudo de boa, sem questionar." Apesar de ter demorado a se sentir à vontade naquele ambiente. "As pessoas olham para os crentes e acham uma parada louca. É muita viagem. Eu também pensava assim. Não cometi nenhum suicídio intelectual", avisa. Ele começou a ler a Bíblia e outras obras evangélicas para contrapor os pastores com quem lidava. "Mas fui dixavando tudo e pensei: que irado, que irado! Percebi que o errado era eu, que 80% da doença da dependência vêm do espírito", calcula.Na Bola de Neve de Boiçucanga, não há motivo para jovens como Gabriel Medina se sentirem surfistas fora d’água. O pastor André Catalau se preocupa até em se vestir com as roupas esportivas que patrocinam o campeão do WCT (comprou de última hora uma camiseta regata e uma bermuda com a assinatura do novo ídolo nacional na loja da família de Miguel Pupo, 19º do mundo) apenas para conversar com a Gazeta Esportiva no litoral norte de São Paulo. Depois desse compromisso, ele ainda pegaria onda na praia da Baleia e demonstraria já alguma intimidade com a prancha - ao contrário dos tempos em que "era o maior calhordão, colocava uma parada no cabelo e surfava só para se mostrar para as menininhas".
Foi também o jeito extrovertido de Catalau que atraiu Simone Medina, mãe de Gabriel, à Bola de Neve. A confiança no ex-usuário de drogas é tamanha que ele chegou a celebrar o casamento religioso entre ela e Charles Serrano (padrasto do campeão mundial de surfe), em uma cerimônia ao ar livre em Maresias. "A palavra foi irada, sobre proteger o amor deles. Eles se emocionaram muito. Estava crowd (cheio), com toda a galera do surfe presente", relembra o antigo líder do Golpe de Estado, cujo filho caçula, André, estuda na mesma escola da herdeira do casal, Sophia.
Guru de Gabriel Medina na conquista do WCT e agora incentivador da carreira de Sophia, Charles não é evangélico, mas aprova que o pupilo se escore na religião para fazer sucesso nos mares. O surfista aumentou a sua crença na primeira vez em que pisou na Bola de Neve, de acordo com Catalau, em 2011. "O Gabriel havia torcido o pé e me pediu uma oração para ficar legal, já que correria uma etapa em Hossegor, na França. Está limpo, né? Mas, aí, ouvi uma voz na minha cabeça: ‘Fala que vou dar esse troféu para ele’. Sou meio cabreiro... Queria ficar na minha, mas contei: ‘Essa manobra que você está tentando vai te dar o título’", narra o pastor.Na lembrança de Catalau, Gabriel ficou com os olhos arregalados depois daquela premonição, uma vez que não teria revelado para ninguém (além do padrasto Charles) o ensaio de uma nova manobra. Simone também se surpreendeu. Já no Brasil depois de ser campeão na França, o surfista ofereceu um café em sua casa para o pastor da Bola de Neve. E quebrou a máquina da mãe. "Caiu café para tudo quanto é lado. Foi sensacional. A gente se divertiu como duas crianças. Ele é um menino bom, sem maldade. Quando vai fazer exame antidoping, diz que o máximo que pode acusar ali é um chocolate quente. Pô, que delícia ouvir isso", sorri.
Entre um café e um chocolate quente, Gabriel Medina vai à Bola de Neve de Boiçucanga sempre que possível, apesar do assédio dos demais fiéis. Também gosta de receber visitas do pastor em sua casa antes de viajar para competir. Só não foi batizado pela igreja nas águas de Maresias, como ocorreu com a sua mãe e com toda a família de surfistas Pupo. "Isso vai acontecer no tempo dele", diz Catalau. "O Gabriel já reconhece que tudo que aconteceu não foi só por força própria. Temos um monte de garotos que surfam para caramba aqui. Por que esse é o campeão mundial? Ele sabe que foi por causa de Deus. Tem mais fé em Deus do que no surfe dele, tá ligado? Foi isso que o levou ao topo", completa.
A fé que conduziu Gabriel Medina ao título mundial foi a mesma que tirou André Catalau das drogas e do rock. A exemplo do que ocorre com o amigo Rodolfo Abrantes, antigo líder da banda Raimundos, a sua mudança de vida ainda causa estranheza nos ex-companheiros do Golpe de Estado. "Pensam que pirei, que cheguei ao último degrau da loucura. E cheguei mesmo, graças a Deus, que me botou em uma parada diferente. Não carrego os meus legados malditos", agradece, apesar de demorar a convencer alguns fãs. Uma delas, preocupada em acabar com o vício do marido em drogas, o levou até a Bola de Neve e desesperou-se quando descobriu quem era o pastor: "O Catalau? Do Golpe? Isso é baixaria! O cara é muito louco! Você precisando parar de fumar e vai ver o Catalau?".O receio é desnecessário, garante André Catalau. "Hoje, entro em boteco, vejo os caras fumando e cheirando, vou a biqueiras buscar os meninos, me chamam na cadeia para falar com o pessoal... E é tranquilo. O antigo Catalau não faz mais parte da minha natureza", prega o pastor, para quem o campeão mundial Gabriel Medina virou o novo exemplo para tratar jovens drogados do litoral norte de São Paulo. Do alto do seu púlpito de prancha de surfe, ele agora encara como uma missão salvar esses dependentes e formar cidadãos um atrás do outro. Como uma bola de neve.

Publicado em Yahoo Esportes

Fé é cada vez maior, mas guarda-roupa mudou bastante entre as evangélicas

Jaqueline e uma cliente com looks da loja.
Na Bíblia, o apóstolo Paulo declara: “Quero que as mulheres se vistam modestamente, com decência e discrição, não se adornando com tranças e com ouro, nem com pérolas ou com roupas caras, mas com boas obras, como convém a mulheres que declaram adorar a Deus”.
É claro, Paulo escrevia para o seu tempo, é muita coisa, para o bem da moda, não é mais levada ao pé da letra. As evangélicas, que sempre foram mais conservadoras, hoje têm um jeito diferente de ver as coisas, e a nova geração mostra que é possível seguir a doutrina e ao mesmo tempo ser moderna na forma de vestir.
“Existia um preconceito muito grande contra a moda evangélica, que por ser evangélica tinha que ser cafona, com aparência de mais velha. E nós trazemos uma proposta oposta a isso, roupas com um bom caimento, que valorizam a mulher com elegância e estilo. A questão é valorizar a mulher sem vulgarizar”, explica a empresária Jaqueline Costa, de 30 anos, proprietária da loja Closet 142.
Nada de decotes, roupas justas ou curtas de mais. A moda evangélica faz o estilo clássico. Segue algumas regras, mas tem também espaço para que cada uma encontre o seu estilo.
Jaqueline explica que o que a mulher deve mostrar não é o corpo, mas a sua personalidade. A roupa acaba sendo mais um acessório. “Quem tem que aparecer a mulher. Uma roupa extravagante torna a mulher um objeto. O que ela precisa é de algo que a valorize tanto fisicamente quanto moralmente. Onde ela fique elegante estilosa e bem comportada”, opina.
"Não trabalhamos com roupas muito decotadas, justas ou curtas”, esclarece

Mas apesar da mudança na cabeça da mulherada evangélica, algumas ainda querem modelos mais conservadores. Por isso há lojas de tradicionais terninhos, com saias até o joelho e camisas.
Há 14 anos a loja Rosa de Saron, no Shopping Pantanal, vende roupas para as evangélicas. “Não trabalhamos com roupas muito decotadas, justas ou curtas”, explica a vendedora Maristela Souza Oliveira, de 45 anos. A loja tenta atender bem a todos os públicos e mescla roupas tradicionais aos modelos mais joviais, como um vestido preto e branco, uma das tendências para o Verão.
Entre as peças que mais fazem sucesso na loja, também estão as camisas com renda. Ela explica que a dona da loja, Sueli Rosa, escolhe as peças uma a uma. E, apesar de todas as regras, ela busca sempre acompanhar a moda, principalmente, nas cores e modelos.
Fátima investe nas camisets para agradar ao público. 
“Há quem prefira os modelos mais conservadores, mas as mais jovens gostam mais de blusinhas e camisas mais modernas”, comenta Fátima Haidar, de 50 anos, gerente da loja Eclipse que apesar de não ser especializada nesse setor, vende muito para o público.
A loja optou por vender mais camisas, para atender tanto ao público evangélico como executivo. “No Verão, fica difícil achar esses modelos, a maioria das lojas trabalha com “modinha”, com roupas mais curtas e justas”, explica, contando que uma das peças mais procuradas é o bolero para cobrir as blusas mais abertas.
Já Nilza Oliveira, de 44 anos, diz que procura as lojas mais pelas roupas de festa. Evangélica ela admite gostar de roupas mais curtas e abertas e acredita que nada muda a devoção que tem por Deus. “Eu sou evangélica, mas não uso só esse estilo de roupa, eu gosto de regatas e decotes, sou evangélica, mas sou moderna”, afirmou.
Camisetas, blusas e boleros estão entre as peças mais procuradas.

Publicado em CGN

20 de dez de 2014

Igreja cria amorprazol e promete tratamento antidivórcio. Especialista contesta

Pastor Josué Gonçalves de Bragança Paulista, em São Paulo, vende a R$ 5 dinâmica familiar "com princípios bíblicos ativos".
Com o rótulo de um remédio convencional, o amorprazol é indicado para todas as famílias que buscam "uma revolução de amor". O nome soa comum aos ouvidos. Isso porque o produto gospel, espécie de jogo criado pelo Ministério Família Debaixo da Graça, com sede em Bragança Paulista (SP), foi inspirado no medicamento omeoprazol, usado para combater problemas gástricos. O poder antidivórcio, segundo o líder evangélico Josué Gonçalves, está dentro de cada uma das dez cápsulas, que guardam papéis com "princípios bíblicos ativos".
Apesar de carregar uma bula - com informações “aos pacientes”, composição em miligramas e posologia -, o produto não é um remédio que deve ser ingerido. A editora Mensagem para Todos, que comercializa o amorprazol a R$ 5 em sua loja virtual, o apresenta como uma dinâmica inteligente com o poder antidivórcio, antiseparação e anticonflitos. “As pessoas sabem que não é para tomar porque o pastor explica isso no vídeo. É uma dinâmica familiar”, esclarece uma funcionária de televendas do grupo ao iG.

O pastor Josué foi procurado pela reportagem para dar maiores informações sobre a criação do produto e o índice de vendas. Aceitou responder por e-mail, mas apenas enviou sua trajetória ministerial e a dinâmica do amorprazol. Não respondeu as perguntas do iG. Segundo o texto, o produto é feito por famílias carentes de Bragança Paulista, que recebem parte do lucro das vendas.
Para participar do jogo, que leva o nome de Jesus Cristo como o responsável técnico, cada familiar deve retirar um comprimido e ler seu conteúdo sem revelar aos outros. As opções são: abraço, bíblia, beijo, diálogo, elogio, lazer, oração, presente, serviço e surpresa. E durante a semana cada um coloca em prática a sua tarefa. Ao final da primeira etapa, todos devem descobrir a atividade que cada um realizou.

“Não é para tomar, irmão”
“Após as descobertas todos devem orar juntos e retirar mais um comprimido para a próxima semana. O uso da amorprazol é continuo e não deve ser interrompido até a conquista definitiva dos propósitos de Deus para a família. Esse tratamento é para vida toda”, diz o texto da pequena bula. Em sua loja virtual, o pastor Josué Gonçalves orienta os fiéis em vídeo sobre não ingerir as falsas pílulas. “Por favor, isso aqui não é para tomar não. Outro dia o irmão comprou e já foi direto para tomar uma cápsula", conta.

Assista ao vídeo comercial do Amorprazol:
video

A proposta do amorprazol de provocar maior interação familiar é avaliada positivamente pela psicoterapeuta Silvana Rangel. No entanto, está longe de ser milagrosa, ela pondera. “Acredito que toda interação entre a família proporciona pequenas mudanças, mas prometer a revolução do amor é algo muito complicado. Se todos os dias o familiar te dá um abraço, um beijo, vai provocar uma mudança positiva, claro. Porém, temporária.”
Para Silvana, que também atua como coach especialista em relacionamentos, provocar uma interação forçada, sem autorreflexão dos próprios sentimentos e sem a participação de um profissional mediador, pode gerar ainda frustração e sentimento de inferioridade. “O ponto delicado é ligar a religião com essa prática psicológica. Ao final a pessoa ainda pode acabar com o pensamento: ‘Deus não me ama’ ou ‘não sou merecedor´”.

Amorprazol e suas pílulas com os "princípios bíblicos ativos"; produto custa R$ 5 em loja virtual
A apresentação do produto, que parece remédio mas não é, também preocupa a profissional de terapia familiar. Silvana acredita que a apresentação do amorprazol foi pensada para atrair pessoas que buscam soluções em remédios. “Todos os medicamentos, principalmente usados em comportamento, anestesiam o que você está sentido. Mas quando o tratamento é interrompido, os sentimentos irão voltar. Executar ações repetitivas por um curto período de tempo significa jogar todos os problemas da família para debaixo do tapete."

Normalmente, explica a profissional, uma pessoa leva 21 dias consecutivos ou cem repetições para construir novos hábitos. "É por isso que é tão baratinho. Não existe milagre. A reconstrução do ambiente familiar exige muito mais do que esforços semanais."

Publicado em iG

18 de dez de 2014

Teoria junta profecias para provar que Francisco é o "papa do fim do mundo"

Seria Francisco o último papa de todos? Isso é o que dizem algumas teorias que tem como base profecias feitas para o fim do mundo. A principal dessas visões seria a de Nostradamus, na qual o líder jesuíta é visto como “papa negro”.
A profecia diz: “A princípio, haverá doenças letais como advertência. Depois surgirão pragas, morrerão muitos animais, catástrofes acontecerão, mudanças climáticas e, finalmente, começarão as guerras e invasões do rei negro”. Quem a interpreta usa o ebola para dar início a ela, lembrando também dos fenômenos climáticos e, finalmente, as tensões militares no Oriente Médio e na Rússia.
Mas onde entra o papa nessa história? Aqueles que acreditam na teoria de que Francisco é o “papa do apocalipse” lembram da profecia de São Malaquias, que afirma que o “último papa antes do final dos tempos será o número 112 desde Celestino 2, no século 12, sob cujo mandato a cidade das sete colinas será destruída”.
A cidade das sete colinas, no caso, é Roma, local onde fica o Vaticano. E. desde a época anunciada por São Malaquias, Francisco é justamente o papa número 112. Os crentes nessas teorias ainda lembram que durante a escolha de Francisco, a luz acabou no Vaticano. Também citam o raio que atingiu a cúpula da basílica de São Pedro um dia após Bento 16 ter renunciado.

Publicado no Yahoo/Eita

17 de dez de 2014

Walcyr Carrasco reconta histórias da Bíblia em novo livro

Enquanto Walcyr Carrasco prepara a próxima novela da TV Globo, com nome provisório de Vidas Secretas para a faixa das 23h em 2015, o autor, jornalista e dramaturgo lançará o livro Histórias da Bíblia (Editora Moderna). Na publicação, histórias populares como a de Adão e Eva, Sansão e Dalila, a travessia do Mar Vermelho, a arca de Noé e o templo de Salomão recontadas pelo autor. “A minha experiência com as personagens bíblicas foi sempre muito rica. Quando criança, eu os via como heróis. E de fato, Davi, ao vencer o gigante Golias, não é um herói incrível? As histórias sagradas falam não só de heroísmo, mas também de amor, da capacidade de lutar pelo bem alheio, da busca de algo maior que o simples mundo material”, diz ele.
Com linguagem ágil e moderna, o escritor deixa a critério do leitor a decisão de acreditar que os fatos narrados aconteceram efetivamente ou são frutos da imaginação. As narrativas têm ilustrações de Mariana Ruiz Johnson e colocam em cena algumas questões como a rivalidade entre irmãos, a escravidão, a dominação de povos e a submissão das mulheres.

Publicado na Época

Igreja anglicana britânica nomeia primeiro bispo mulher

A mulher indicada para o cargo é Libby Lane. Sua nomeação põe fim a 22 anos de resistência para a nomeação de um bispo do sexo feminino.
A Igreja anglicana designará a primeira mulher bispo, encerrando séculos de liderança e primazia masculina, após uma alteração histórica em suas regras, informa a imprensa britânica.
A mulher indicada para o cargo é Libby Lane. Sua nomeação põe fim a 22 anos de resistência para a promoção de sacerdotes do sexo feminino.
A instituição religiosa britânica, com 80 milhões de fiéis em 165 países, ordenou Lane nesta quarta-feira como novo bispo de Stockport, um cargo vazio desde maio.
A decisão, tomada no mês passado, acontece duas décadas depois da ordenação das primeiras mulheres como sacerdotes da Igreja anglicana, o que provocou uma divisão entre os fiéis e a oposição ferrenha dos setores mais conservadores.
No restante do mundo, a Igreja anglicana não está obrigada a seguir o exemplo da matriz, mas a ordenação estabelece um precedente simbólico.

Publicado no Terra

Mais um: Renomado teólogo diz que a Bíblia dá pistas para o fim do mundo em 2021

O fim do mundo vem sendo especulado por estudiosos há séculos, sempre com previsões que não se concretizaram. No entanto, um renomado teólogo diz ter encontrado pistas na Bíblia Sagrada que indicam a destruição do planeta em 2021.
O doutor F. Kenstone Beshore, presidente da Sociedade Bíblica Mundial, disse que o fim do mundo pode, inclusive, acontecer antes da Segunda Vinda de Cristo, que ele estima que possa acontecer entre 2018 e 2028. Se Jesus não voltar até 2021, segundo o teólogo, nem precisaria voltar mais.
Beshore tem cinco doutorados em teologia e diz que baseia suas previsões a partir do que está escrito em Mateus e Tessalonicenses. Para o teólogo, é errado pensar que o arrebatamento acontecerá sem avisos: “A Bíblia ensina que certos eventos devem ocorrer antes do arrebatamento”, afirmou, segundo o Express.
Segundo Beshore, as pessoas devem estar preparadas para a volta de Cristo, como o livro de Mateus instrui no capítulo 24, entre os versos 30 a 36 e 40 a 41.
“Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus. Aprendam a lição da figueira: quando seus ramos se renovam e suas folhas começam a brotar, vocês sabem que o verão está próximo. Assim também, quando virem todas estas coisas, saibam que ele está próximo, às portas. Eu lhes asseguro que não passará esta geração até que todas essas coisas aconteçam. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão. Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai […] Dois homens estarão no campo: um será levado e o outro deixado. Duas mulheres estarão trabalhando num moinho: uma será levada e a outra deixada”.
O argumento de Beshore é que Deus sempre deixou avisos a seu povo antes de tomar medidas de destruição, como aconteceu com Noé e posteriormente com Ló, que foram avisados sobre a destruição de Sodoma e Gomorra, além do aviso de Jesus sobre a destruição de Jerusalém, fato que se confirmou anos depois.
Por fim, Beshore diz que os avisos que serão dados antes do arrebatamento virão em forma de desastres naturais, como tufões, inundações, terremotos e surto de doenças, como por exemplo, o surto de ebola na África.

Publicado no G+

Bíblia católica apresenta o 'Jesus negro' para atrair jovens

Até hoje os teólogos não sabem dizer ao certo como Jesus era fisicamente. Mas a grande maioria duvida da visão eurocêntrica que o descreve como um homem caucasiano, loiro e de olhos claros.
John H. Ricard, bispo emérito, da Flórida, reitor do Seminário Saint Joseph, em Washington, e atual presidente do Congresso Nacional de Católicos Negros e coordenador da Editora Saint Mary, criou a Bíblia da Juventude Afro-americana, na qual Jesus Cristo é negro.
O objetivo é fazer com que mais jovens afro-americanos se identifiquem com Cristo e queiram seguir sua palavra. “Nós queríamos ter algo que apelasse para nossos jovens e queríamos fazer que fosse o mais relevante possível para as suas vidas”, contou Ricard ao Catholic News Service.
O livro ainda conta um pouco da história da Igreja Católica e dos negros nos EUA. “Na Bíblia, falamos sobre escravidão e procuramos explicar melhor o que isso significa para a história dos afro-americanos nos Estados Unidos”, ressaltou.

Publicado em Portal CGN

16 de dez de 2014

Prisão sem fiança para líder de seita

Acusado de abuso sexual e associação criminosa, Feliciano Miguel Rosendo foi denunciado por antigos seguidores da ordem de San Miguel Arcángel.
O fundador e líder da Ordem religiosa espanhola de San Miguel Arcángel, Feliciano Miguel Rosendo da Silva ficou preso sem direito a fiança, neste domingo, por acusação de abuso sexual e associação criminosa. O Tribunal de Tui ordenou a prisão do fundador do grupo católico com sede em Oia, Pontevedra, após denúncias de vários seguidores. Rosendo foi detido nos arredores de Madrid no dia 11, juntamente com a falsa freira Marta Paz, considerada o seu braço direito.
Paz foi libertada sob a obrigação de comparências semanais em sede judicial, depois de ser acusada de associação criminosa, tal como outros dois seguidores da ordem.
A mulher, que usava hábito de freira apesar de nunca ter sido ordenada, deixou o tribunal acompanhada pelos pais, Carlos Paz e Concha Alonso, e os sogros de Rosendo, Maria del Carmen Santana e Jose Manuel Lima. Todos eles pertenceram ao grupo católico agora investigado.
A ordem foi encerrada em abril pelo bispo de Tui-Vigo, após denúncias de abuso sexual e apropriação ilícita de bens.

Publicado em CM