17/09/2014

Liberdade religiosa demais atrapalha crescimento, diz estudo

Crescimento econômico é maior quando estado regula atividade religiosa sem favorecer uma crença em detrimento da outra, diz estudo que será apresentado este mês.
A liberdade de praticar uma (ou nenhuma) religião é um dos pilares da democracia, mas ela também pode levar a consequências econômicas negativas e crescimento menor se não tiver seus excessos contidos.
Esta é a conclusão de um estudo que será apresentado este mês na Georgetown University por Shaomin Li, da Old Dominion University, Ilan Alon, da Rollins College, e Jun Wu, da Savannah State University.
Primeiro, os autores definem liberdade religiosa com uma perspectiva de custo: se fica mais difícil acreditar, praticar e disseminar alguma crença, isso significa que a liberdade está sendo restringida.
Estes obstáculos podem ser de duas naturezas: social (a hostilidade das pessoas) ou governamental (leis e políticas do estado).
Para medir estas duas variáveis, eles utilizaram uma pesquisa de diversidade religiosa do Pew Research Center realizada em 200 países e cruzaram com dados de crescimento do PIB e do PIB per capita.

Resultados
Em relação à dimensão social, o que eles descobriram não surpreende: a falta de tolerância religiosa entre a população semeia a violência e a disputa entre grupos, o que atrapalha a capacidade que um país tem de fazer sua economia crescer.
Em relação à atuação do estado, a conclusão é outra: países com restrições mais fortes à religião tendem a ter crescimento econômico mais acelerado.
Para entender como isso acontece, os autores foram além e separaram estas "restrições religiosas" em dois lados: o quanto o governo restringe a religião como um todo e o quanto o governo favorece uma (ou mais) religiões em detrimento de outra(s).
No primeiro lado, estão fatores como o controle do proselitismo, da reza e do uso de símbolos religiosos no espaço público. No segundo, itens como ensino religioso nas escolas e a submissão do governo a interesses religiosos em questões legais.
O resultado? Os dois tipos de restrições tem efeitos opostos. Quanto maior a restrição geral e horizontal e menor a discriminação do governo entre as diferentes religiões, maior é o crescimento econômico.

Mecanismos
No estudo, os autores fazem uma analogia com o funcionamento do livre mercado em uma economia capitalista: "Em um mercado onde diferentes religiões competem por seguidores e recursos econômicos e sociais, uma liberdade sem regulação ou freio pode eventualmente levar a uma 'guerra de todos contra todos' (...) em certas circunstâncias as restrições governamentais à religião podem exercer uma influência positiva na performance econômica, análoga a uma economia livre que é regulada de forma justa e eficiente pelo governo".
Em resposta a EXAME.com sobre se isso se aplica ao caso brasileiro, Shaomin Li diz que "se a religião dominante ganha tratamento preferencial do governo e algumas religiões minoritárias são discriminadas, isso seria considerado 'liberdade de religião desenfreada'. Baseado no nosso estudo, hostilidades sociais envolvendo religião ou políticas e leis do governo que discriminam ou favorecem certas religiões são ruins para o crescimento."
A discussão entre religião e crescimento econômico vem dos tempos de Max Weber e seu clássico "A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo", mas está voltando para o meio acadêmico.
No início do ano, um estudo da Universidade de Harvard com base na prática islâmica do Ramadã concluiu que ela tem um efeito claro de diminuição do crescimento do PIB nos países analisados.

Exame

12/09/2014

Jovem pode ser preso por simular sexo com estátua de Jesus

Menino de 14 anos pode pegar até dois anos de reclusão.
Uma brincadeira de um menino de 14 anos virou caso de polícia em Everett, na Pensilvânia, Estados Unidos. Em julho, o adolescente simulou uma cena de sexo oral com uma estátua de Jesus localizada em frente a uma organização cristã da cidade, registrou o momento e o compartilhou em seu perfil do Facebook. Nesta semana, a foto caiu nas mãos das autoridades locais, que o acusaram por "profanação de objeto venerado". As informações são do Huffington Post.
"Profanação" é definida no Estado como "desfiguração ou danificação que pode afrontar a sensibilidade de pessoas capazes de observar ou descobrir a ação". Se for condenado, o rapaz, cujo nome não foi divulgado pela polícia, poderá passar dois anos em um estabelecimento de reclusão para jovens.
Na rede social do garoto, a imagem recebeu mais de 120 comentários, que vão desde "incrível" e "isso é o paraíso" até "repulsivo, mesmo que você não acredite você deve respeitar aqueles que vão para o céu".

Terra

Petição pede retorno de estátua de demônio com pênis gigante

Ninguém sabe como ela apareceu no parque, mas ela foi retirada do local. Uma petição eletrônica pede que a estátua seja reerguida.
Uma estátua de um demônio - que apareceu misteriosamente durante uma noite em um parque de Vancouver, no Canadá - foi removida. No entanto, uma petição online pede que ela seja devolvida ao local. As informações são do Mirror.
Segundo a publicação, a estátua mede cerca de 3 metros e apareceu em um pedestal do parque. Além de ser vermelho, o diabo surpreende pelo tamanho exagerado de seu pênis ereto.
A autoria da estátua ainda não foi descoberta e ninguém sabe como ela apareceu no parque. No entanto, uma petição eletrônica pede que a estátua seja reerguida no local.
"Ao retirar a estátua, vocês estão tirando de nós a nossa liberdade de expressão, restringindo nossa sexualidade e estigmatizando nossas crenças religiosas. Favor devolvê-la imediatamente", diz a petição.
As autoridades canadenses não chegaram a comentar a petição e não confirmaram se a estátua voltará ou não ao local.

Terra

“Deus me revelou que Marina será a próxima presidente”, afirma o pastor que converteu a candidata

André Salles diz que, em suas orações, Deus mostra a candidata do PSB seguindo por um caminho de luz.
O pastor André Salles diz ter recebido, por mais de uma vez durante suas orações, uma revelação divina contundente. A imagem que lhe vem à mente nessas ocasiões de contato com Deus é da ex-senadora Marina Silva, candidata à Presidência da República pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), seguindo em frente por uma trilha repleta de luz. “Vejo o próprio Deus preparando o caminho para ela passar”, afirma. “O Senhor tem esse propósito para a vida dela, de ser presidente do Brasil”. Recém-chegado à igreja neopentecostal Plenitude do Trono de Deus, em São Paulo, Salles foi o responsável pela conversão de Marina ao protestantismo.
Marina foi criada numa família de católicos fervorosos. Com o desejo de se tornar freira, chegou a ser noviça na juventude. A conversão para a igreja evangélica se deu em 1995. Vítima de cinco malárias, uma leishmaniose e uma hepatite, Marina havia acabado de retornar de um tratamento de saúde sem sucesso nos Estados Unidos. Já em Brasília, ouviu do seu médico: “Senadora, a senhora não precisa de um médico. A senhora precisa é de um milagre”. Ele pegou o celular e ligou para um amigo. Era o pastor André Salles, na época um missionário de 20 anos à frente da igreja Assembleia Bíblica da Graça. Marina, incomodada com a reação pouco profissional do médico, mas sem coragem de fazer uma desfeita, escutou a oração. Do outro lado da linha, Salles informou que tinha o dom de revelação do Espírito Santo e passou a descrever, em detalhes, alguém que atrapalhava os rumos de Marina. “O pastor descreveu a cor da pele, o cabelo, os cacoetes dessa pessoa, tudo. Ela era ligada aos grupos que faziam uma oposição ferrenha ao meu trabalho”, disse Marina num vídeo na internet sobre sua conversão. A ex-senadora ficou impressionada com o que ouviu e começou a frequentar os cultos. Tornou-se, em 2004, missionária da Assembleia de Deus.
A antiga igreja de Salles acaba de se fundir com a Plenitude do Trono de Deus, criada em 2006 pelo apóstolo Agenor Duque e pela bispa Ingrid Duque. Amigo dos fundadores, Salles está de mudança para São Paulo para integrar sua equipe. Por ter quadruplicado sua programação na televisão aberta (estão diariamente na Mix TV, da meia-noite ao meio-dia), a igreja agora precisa de reforço. A Plenitude do Trono de Deus tem dez templos espalhados por São Paulo. Sua sede, no Brás, comporta quase sete mil pessoas sentadas. Seu poder de mobilização levou, semanas atrás, o governador Geraldo Alckmin, candidato à reeleição por São Paulo, a um culto de domingo. Assim como outras pentecostais, a Plenitude promove sessões de “cura e libertação” com cenas espetaculosas de exorcismo coletivo no centro do altar. Em geral, fiéis sugestionados pelas luzes e pela música que sobe a cada variação de voz do pastor começam a tremer e gritar em seus lugares, até que são socorridos por obreiros identificados por camisetas pretas com a inscrição: “sexta-feira forte”. As mulheres são arrastadas até o púlpito pelos cabelos; os homens, empurrados pelos braços. No altar, estrebucham, gemem, babam e viram os olhos diante de uma igreja lotada. Só depois são expurgados pelos pastores.
No dia da entrevista de Salles a ÉPOCA, outro pastor que conduzia o culto da tarde entrevistou um casal que se dizia possuído pelo demônio. O homem se dizia capa-preta. A mulher, Lúcifer. Ambos falaram sobre os planos de matar um ao outro. “Se não tivesse vindo aqui hoje, este casal estaria no [programa policial] Cidade Alerta como o próximo crime passional de São Paulo”, disse o pastor, aos gritos. “Agora vocês sabem a importância de dar o dízimo? Quando o pastor pede, ninguém dá. Preciso trazer os demônios aqui na frente para vocês acreditarem na força desta igreja”. Ele então convocou os membros a subirem ao púlpito para doar R$ 50 ou R$ 100, em dinheiro, crédito ou débito. De seus lugares, os fiéis aos poucos abriam os olhos e puxavam suas carteiras em busca de uma nota ou um cartão para levar ao altar.

ÉPOCA – Como o senhor conheceu a ex-senadora Marina Silva?
André Salles – Um amigo nosso, o geriatra Eduardo Gomes de Azevedo, estava cuidando da saúde dela e percebeu que o problema não era só de ordem natural. Foi quando ele me pediu: será que podemos orar pela Marina? Como um bom médico, ele cuidou, mas teve essa sensibilidade de entender que o problema era uma questão espiritual. Foi quando ele colocou a gente em contato. Aí comecei a acompanhá-la em oração. Ela foi sendo fortalecida na fé, passou a aceitar Deus como o senhor da vida dela, foi batizada na nossa igreja. As orações eram presenciais ou à distância, dependia da correria dela.

ÉPOCA – A Marina resistiu de alguma maneira? Porque ela foi criada na Igreja Católica...
Salles – Ela sempre foi uma mulher de muita fé, então foi aberta. Mesmo sendo um meio novo. Em nenhum momento ela foi dura.

ÉPOCA – O senhor curou a Marina?
Salles – Não vou dizer que fui eu, quem curou foi Jesus. Por meio das minhas orações, das orações de outras pessoas também. Chegar hoje e dizer “fui eu” é como trazer a glória para si. E a Bíblia pede que a gente diminua e Jesus cresça. Tudo é para ele, a glória é para ele, a exaltação é para ele. Ela foi curada, graças ao bom Deus.

ÉPOCA – A família da Marina foi resistente?
Salles – Alguns irmãos dela já frequentavam a igreja. Mas algumas pessoas, amigos e familiares acharam que ela estava mudando demais e tal. Sendo uma mulher de fé, tudo que ela faz ela pede uma direção de Deus em oração. Para algumas pessoas, parecia que ela estava ficando louca. Hoje não. Todo mundo a respeita. Vê que é uma pessoa íntegra, honesta, temente a Deus. Ela não faz nada sem buscar uma orientação do Senhor.

ÉPOCA – Ela deixou a sua igreja e mudou para a Assembleia de Deus? Por quê?
Salles – Ela terminou indo na ocasião para a sede da nossa convenção no Distrito Federal, do pastor Sóstenes Apolo, que hoje já dorme no Senhor. Nas eleições de 2010, era mais interessante para ela ficar nesta igreja. As igrejas da Assembleia de Deus têm suas convenções estaduais e uma geral. Nosso pastor presidente, ligado diretamente aos cabeças das estaduais, podia dar apoio a ela, fazer esse tipo de ponte.

ÉPOCA – Como era a Marina na igreja? Ela participava?
Salles – Ela era muito fiel à escola bíblica dominical e também missionária da casa do Senhor. Mas sempre respeitando os limites dela, né? Sempre foi bastante ativa.

ÉPOCA – Vocês perderam o contato quando ela mudou de igreja?
Salles – Não, de maneira alguma. Até porque o propósito é o mesmo, né? Não existe esta divergência, pelo menos da minha parte. Eu não incomodo, né? Por causa da correria dela. Mas tem época em que a gente está muito junto. Ainda oro por ela.

ÉPOCA – Qual foi a última vez que o senhor falou com ela?
Salles – Neste ano, pra falar a verdade, ainda não conversamos. No ano passado, falamos. Foi antes de ela se aliar ao Eduardo Campos. Mas estou sempre orando pra ela. Essas coisas acontecem. Às vezes, a gente está conversando e chega uma revelação, uma palavra por parte de Deus.

ÉPOCA – O que o senhor quer dizer quando diz que teve uma “revelação”?
Salles – Isso é muito da sua sensibilidade com Deus. Tem coisas que você vê realmente, que se apresentam numa visão para você. Tem coisas que você escuta a voz de Deus como quando Deus falou com Samuel. No caso da Marina, vejo um caminho de luz. Literalmente. A Marina seguindo por um caminho de luz. É um caminho de luz e ela caminha para frente.

ÉPOCA – O que tem lá na frente?
Salles – Aí são detalhes do mundo espiritual, que tem seus segredos. Deus abriu isso para todos aqueles que nele creem. E creem em Jesus como Senhor.

ÉPOCA – A Marina tem o dom da revelação?
Salles – Ela é uma mulher que tem a ciência de Deus na palavra. Muito forte. Ela recebe recado de Deus, é uma profetisa. Recebeu esta iluminação. Não acontece toda hora. Mas acontece.

ÉPOCA – O senhor acha que Deus falou com ela sobre a vocação de ser presidente?
Salles – Sim, esta é uma promessa antiga. Ela também recebeu. Por isso, ela tem muita certeza de que vai ser presidente do Brasil. É uma ordem de Deus. Uma providência. Te digo isso sem dúvida.

ÉPOCA – Qual foi a última revelação que o senhor teve sobre a Marina?
Salles – As últimas palavras da parte de Deus é que ele está levando ela por este caminho... Para ela se tornar presidente da República, entendeu? Eu lembro que antes de sair candidata em 2010, o governador do Estado do Acre e algumas pessoas ainda me procuraram dizendo: “pastor, eu queria que ela viesse pelo Estado do Acre, como governadora. Ela está indo por outro caminho e eu não tenho ninguém agora”. Mas a gente via que este era o caminho pelo qual Deus estava conduzindo ela.

ÉPOCA – Esta revelação de que o caminho dela é ser presidente chegou ao senhor mais de uma vez?
Salles – Mais de uma vez. E não só até mim, mas a outros profetas também.

ÉPOCA – O senhor acha que este projeto está perto de se tornar realidade?
Salles – Sim, está próximo. Porque essa é uma nova direção de Deus para o Brasil. Deus tem esse propósito para a vida dela. A gente sabe que as promessas de Deus são baseadas de acordo com o que a Bíblia diz em Deuteronômio, 28: “se atentamente obedeceres à voz do Senhor teu Deus, tendo cuidado de guardar tudo que está escrito, todas estas bênçãos virão sobre ti”. Mas existe o propósito do tempo. Podia ser quatro anos atrás? Podia. Mas, se Deus está preparando para agora, é bom.

ÉPOCA – O senhor acha que a Marina será a próxima presidente do Brasil?
Salles – Sim, eu acredito que sim.

ÉPOCA – O senhor teve alguma revelação neste sentido?
Salles – Vejo Deus abrindo o caminho para ela chegar. É o próprio Deus preparando para ela passar. Deus tem um propósito para o Brasil. Ele entregou esta nação nas mãos do presidente Lula, mas infelizmente o Partido dos Trabalhadores entrou em outro caminho, saiu do propósito. E ninguém é insubstituível. Se você não permanece no propósito, Deus prepara outra pessoa.

ÉPOCA – Como a Marina recebia essas revelações?
Salles – Isso é uma coisa natural. É uma coisa que quando você começa a frequentar a igreja e Deus começa a confirmar certas coisas na sua vida com sentido. Deus não faz nada sem propósito. Tudo tem propósito estabelecido. Então seria hoje fora do propósito chegar até à irmã Marina e dizer: “olha, Deus não tem nada com você na política”. Isso não tem sentido. O que Deus tem para ela é nesta linha. Ela sempre recebeu isso com o coração muito aberto. Um dia ela chegou para mim e disse: “pastor, será que Deus vai me tirar da política?”. E eu respondi: “não, o caminho não é este. Deus quer que a senhora continue sendo uma voz. Uma voz para o Brasil e para o mundo”.

ÉPOCA – O senhor acha que, de alguma maneira, esta certeza ajudou na decisão de se aliar ao PSB de Eduardo Campos quando a Rede Sustentabilidade teve o registro recusado pelo TSE?
Salles – Não vou te falar com propriedade sobre isso. Porque desta aliança para cá eu não participei. Não posso opinar. Mas uma convicção eu tenho: ela fez alguma orientação espiritual antes de tomar a decisão.

ÉPOCA – O senhor recebe essas revelações há quanto tempo?
Salles – Desde a época em que nós orávamos pelo presidente Lula, antes das eleições de 1998, quando o ex-presidente Fernando Henrique ganhou de Lula. Lembro que o senhor Deus havia falado que ia entregar o governo, a chave da nação nas mãos dele. Assim que ele perdeu, ele assumiria na próxima.

ÉPOCA – O senhor conheceu o Lula pessoalmente?
Salles – Sim, sim.

ÉPOCA – Foram apresentados pela Marina?
Salles – Perfeitamente. Oramos pelo Lula. Na ocasião, ele estava muito quebrantado, numa situação de perda, frustrado. Pensando: será que mais uma vez a frustração vai bater na minha porta? E ele disse: pastor, eu sou uma pessoa que todas as noites ora. Eu leio o salmo de número 13, número do meu partido. Eu disse que ele ia ganhar as próximas eleições. Quando isso aconteceu em 2002, eu disse a Marina que ela se tornaria ministra. De fato aconteceu. E o senhor Deus já vinha trabalhando, preparando o caminho para ela chegar ao que está acontecendo hoje. Tem coisas que Deus fala pra gente e acontece imediatamente. Tem outras que demoram um ano, dois, três. Mas você tem uma direção, uma linha.

ÉPOCA – O senhor se lembra da última orientação espiritual que deu para a Marina?
Salles – Tenho lembranças, mas são coisas particulares. Decisões internas.

ÉPOCA – O senhor participou das rezas para o presidente Lula durante o mensalão?
Salles – Não, não participei. Algumas vezes, pela correria do presidente Lula, eu participava com orações via Gilberto Carvalho, na época o chefe de gabinete.

ÉPOCA – E rezava pela Marina quando ela era ministra do Meio Ambiente?
Salles – Lembro de uma época que estava precisando de chuva. Não chovia no Mato Grosso, Rondônia... E ela preocupada. Nós oramos para Deus mandar chuva, porque ela estava preocupada, sofrendo muita pressão. Eram muitas queimadas. E Deus mandou chuva naquela época. Nós oramos e Deus mandou chuva. Choveu naqueles dias, precisava chover naquela semana.

ÉPOCA – O senhor ia rezar no Ministério do Meio Ambiente?
Salles – Na casa dela, outras vezes no Ministério, outras vezes na igreja.

ÉPOCA – O senhor chegou a rezar para a presidente Dilma?
Salles – Não, para ela nunca. Nós tentamos fazer este link, ficar em contato. Mas o próprio Gilberto Carvalho dizia que era diferente. O presidente Lula é um homem mais aberto. Já a presidente Dilma é uma pessoa mais fechada. Não que ela não creia, ela é uma mulher de fé. Mas é diferente. Isso entristeceu também os pastores. Não só os do meio pentecostal.

ÉPOCA – Se a Marina ganhar a eleição, o senhor acredita que Brasil se tornará um país mais evangélico?
Salles – Querendo ou não, influencia, né? Mas este não é o propósito dela.

ÉPOCA – Como a fé da Marina influencia a tomada de decisão dela?
Salles – Ela não vai fazer nada sem primeiro ter uma orientação do Senhor. Ela é livre, mas vai agir de acordo com os princípios cristãos, defendendo a família, a igreja, o Brasil. Sem ser intransigente com nenhuma religião. Agora, se houver dúvida em algum assunto, ela pedirá orientação. Não é porque você chegou à Presidência que não precisa de conselheiros.

ÉPOCA – Na sua opinião, a Marina é fundamentalista?
Salles – A pessoa fundamentalista é aquela com visão muito fechada. Não é o caso da irmã Marina. Ela é uma pessoa com domínio próprio, equilíbrio. Não acho que ela fecha e leva um pensamento ao pé da letra.

ÉPOCA - Como diferenciar quem é de quem não é?
Salles – Fica claro nos frutos. Uns olham e veem pela aparência, pelo modo de ser. Uma posição também pode mudar. O que você pensa hoje não é necessariamente o que você pensa no passado.

ÉPOCA – O senhor apoiou a presidente Dilma em 2010. Fez até um vídeo que foi para a internet. Por que?
Salles – Em 2010, o Gilberto Carvalho me pediu para fechar com a Dilma. Não só eu, mas vários pastores. Aceitei na ocasião porque entendia que o projeto do Lula teria continuidade. Eu bem sabia que a Marina estava caminhando, mas ainda não era o momento dela. Deus estava trabalhando para ela chegar. Então ficamos com a Dilma. Mas a Dilma infelizmente não cumpriu nada do que havia combinado com o meio. Apoiei a Dilma por causa do Lula, pelo pedido do presidente Lula. Gravei o vídeo assim que terminamos uma reunião. Para abraçar a causa do presidente Lula.

ÉPOCA – O vídeo teve impacto em sua relação com a Marina?
Salles – Não, ela entendeu. Ela é uma pessoa muito tranquila.

ÉPOCA – O senhor se arrepende de ter apoiado a Dilma?
Salles – Olha, hoje eu me arrependo.

ÉPOCA – Por quê?
Salles – Por tantas decepções que a gente teve com o governo.

ÉPOCA – Por exemplo?
Salles – Uma série de coisas. Não só no meio evangélico. Muita corrupção, né? Todo mundo sabe. Muitos problemas. Eu, particularmente, me arrependo.

ÉPOCA – Apoiaria de novo?
Salles – Não.

ÉPOCA – Neste ano alguém já lhe pediu apoio oficial?
Salles – Não. Só apoio em oração. Mas oficialmente estou com a Marina.

ÉPOCA – Até dia 15, os candidatos à Presidência podem mudar. Se o Lula voltasse, o senhor o apoiaria?
Salles – Não. Entendo que terminou o propósito que Deus tinha com o Lula. Ninguém é insubstituível.

ÉPOCA – O que o senhor espera de um possível governo da Marina?
Salles – Tenho orado para que seja um governo de paz. Ela vai enfrentar muitas batalhas, não vai ser fácil. Mas não vai ser impossível. É normal virem as batalhas. Um governo não governa sozinho. Ela precisa de apoio na Câmara e no Senado. Acredito que daqui pra frente vamos ver as alianças acontecerem. O Brasil vai melhorar com Marina. A Bíblia diz que quando o justo governa, o povo se alegra. O justo não significa o religioso, mas o honesto. Essas características de humanidade, de temor e amor a Deus ela tem. Marina é um produto novo. Não basta você cair na graça de Deus, tem de cair na graça do povo. E a Marina está caindo nas graças do povo. Já caiu. É um caminho.

Época

Ativistas do Femen protestam contra Igreja Ortodoxa russa na Ucrânia

Mulher levou banho de tinta representando 'sangue ucraniano'.
Países estão em trégua acordada no último dia 5.
Ativistas do grupo feminista Femen fizeram um protesto seminuas em frente ao monastério de Pechersk Lavra, em Kiev, na Ucrânia, nesta quinta-feira (11), contra o que consideram "agressões" russas ao país, apoiadas pela igreja ortodoxa do Patriarcado de Moscou. Os separatistas pró-Rússia assinaram um acordo de cessar-fogo com o governo da Ucrânia para o leste do país na última sexta-feira, dia 5.


Reuters via G1

Stephen Hawking: “partícula de Deus” pode destruir o universo

Físico acredita que o mundo poderia sumir a qualquer momento.
O Bóson de Higgs, também conhecido como partícula de Deus, pode destruir o universo a qualquer momento, de acordo com uma declaração feita oficialmente por Stephen Hawking. As informações são do IFLScience.
De acordo com o físico, o bóson está diretamente conectado a uma “bolha da morte” que alguns cientistas têm acreditado que está presente no universo. Essa bolha seria responsável pela mudança estrutural da energia das galáxias, o que causaria uma deterioração do vácuo. Essa possibilidade seria catastrófica para todo o universo.
A partícula de Deus, por causa dos seus níveis energéticos elevados, poderia causa a explosão da bolha. Caso isso aconteça, ela iria pulverizar tudo que estivesse em seu caminho, inclusive galáxias inteiras. E o pior: isso pode acontecer a qualquer momento.
Stephen Hawking diz em evento que quer viajar ao espaço
Hawking, entretanto, diz que a situação não é tão ruim quanto parece. O físico acredita que a possibilidade do Bóson de Higgs destruir o mundo que conhecemos é real, mas isso deve acontecer somente daqui centenas de milhares de anos.
A existência do Bóson de Higgs foi comprovada há poucos anos. De acordo com os cientistas, essas partículas foram responsáveis por dar massa a toda a matéria criada no Big Bang. Ou seja: sem elas, nada que conhecemos no universo poderia existir.
Confira em reportagem como o Bóson de Higgs foi comprovado e entenda qual é o seu papel na formação do universo:

R7

Bandidos levam R$ 70 mil de igreja no Passaré

Quantia levada pelos assaltantes havia sido apurada em um evento realizado no último domingo.
Um prédio da igreja Assembleia de Deus Canaã, localizado na Av. Silas Munguba, no bairro Passaré, foi assaltado por volta das 11h30 desta segunda-feira (8). Os dois suspeitos conseguiram levar cerca de R$ 70 mil do local, segundo informações dadas pela instituição à Polícia Militar.
A dupla teria chegado ao local em um carro Celta branco, com placa de numeração 2685, e rendido o segurança e o pastor da igreja. A quantia que foi levada pelos assaltantes havia sido apurada em um evento realizado no último domingo (7).
Após a ação, os suspeitos fugiram. Viaturas de várias forças policiais, como o Ronda do Quarteirão e o Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio), estão à procura da dupla que cometeu o assalto.

Diário do Nordeste

11/09/2014

Cristão ortodoxo, o presidente da Rússia estaria sob influência de Satanás, diz alto clero da Ucrânia

Por meio de comunicado, clérigo ucraniano afirma que Vladimir Putin seria um "novo Caim".
Através de comunicado divulgado neste sábado (6), o patriarca ucraniano Filaret observou que o presidente russo Vladimir Putin caiu sob feitiço de Satanás, sendo o culpado pelos conflitos entre forças ucranianas e rebeldes pró-Rússia no leste da Ucrânia.
Voz influente no alto clero da Ucrânia, Filaret comanda o Patriarcado de Kiev, ramo da Igreja Ortodoxa que rompeu com a Rússia em 1992, após a declaração de independência da Ucrânia.
Por seu desligamento com a Rússia, o clero ucraniano é rival do Patriarcado de Moscou, além de defender fortemente a nacionalidade de seu país e ir contra o separatismo.
Invocando Caim, filho primogênito de Adão e Eva conhecido por matar seu irmão, Abel, segundo o Velho Testamento, Filaret ressaltou que vê muitas semelhanças entre Putin e Caim.
"Assim como o primeiro fratricídio da história cometido por Caim, várias ações mostram que o governante mencionado (Putin) caiu sob ação de Satanás", disse o patriarca em seu comunicado.
O próprio comunicado deste sábado (6) foi intitulado de "Novo Caim", lançado no primeiro dia de cessar-fogo entre forças ucranianas e rebeldes separatistas, que já causaram cerca de 2.600 mortes através do combate.
Por sua vez, batizado como cristão ortodoxo, Putin forja laços estreitos com a Igreja Ortodoxa da Rússia, tendo a congregação como valioso aliado contra o que ele enxerga como mundo ocidental decadente.
E apesar das acusações de Filaret, Putin nega ter alimentado o conflito, o envio de tropas russas para a Ucrânia ou o armamento de separatistas.
No entanto, o patriarca ucraniano garante que o discurso do presidente russo é baseado em "mentiras cínicas" e pede que seus fiéis ortodoxos rezem para que Putin "caia em si", para que ele não enfrente "um fim desonroso e condenação eterna ao inferno".

CP

Fred volta a frequentar a igreja evangélica

Segundo fonte, jogador do Fluminense teria saído do Maracanã - onde jogou contra o Cruzeiro no último domingo, 7 - diretamente para o culto.
A fase evangélica do jogador Fred, do Fluminense, parecia ter chegado ao fim depois que ele, ao ser convocado para participar da Copa do Mundo, nunca mais apareceu nos cultos que costumava frequentar, na Igreja Evangélica Internacional da Zona Sul, no Rio de Janeiro.
Mas no último domingo, 7, o jogador deu fim ao jejum de orações. Segundo uma fonte do EGO, Fred seguiu do Maracanã - logo depois da partida do Fluminense contra o Cruzeiro -, diretamente para o Congresso de Avivamento, que aconteceu junto com o aniversário da igreja. "Ele chegou atrasado, por volta das 20h, porque veio direto do jogo. Ele sempre chega cedo. Mas mesmo assim conseguiu sentar na lá frente, como é de costume, e assistir ao culto de um pastor americano. Ele voltou para o colo do Pai", contou uma frequentadora da igreja.
O Congresso de Avivamento começou no sábado, 6, mas, por causa da concentração para a partida do domingo, Fred não conseguiu ir. A expectativa dos frequentadores da igreja é que o jogador se firme na sua fé e volte a viver uma boa fase em campo. Da forma que vivia quando era assíduo dos cultos.

EGO

"Eu amo sexo", diz Deus em cartaz usado por igreja

A Restored Church, igreja baseada em Wilke-Barre, Pennsylvania (EUA), e liderada por jovens pastores, causou um rebuliço na comunidade local com apenas uma placa colocada na Route 309, rodovia que corta o estado. A mensagem publicada no outdoor é:
"Eu amo sexo"
— Deus
A ideia da igreja era promover uma série de sermões que terão como foco o Cântico dos cânticos, livro da Bíblica que, de acordo com a Edição Pastoral da Bíblia, é uma coleção de cantos populares de amor.
O livro começa com o seguinte trecho:
Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho.
Suave é o aroma dos teus unguentos; como o unguento derramado é o teu nome; por isso as virgens te amam.
Leva-me tu; correremos após ti. O rei me introduziu nas suas câmaras; em ti nos regozijaremos e nos alegraremos; do teu amor nos lembraremos, mais do que do vinho; os retos te amam.
Eu sou morena, porém formosa, ó filhas de Jerusalém, como as tendas de Quedar, como as cortinas de Salomão.
"O sexo está em toda série de comédia. Está no rádio. Quer dizer, você olha qualquer veículo de comunicação e encontra histórias sobre sexualidade", diz o Pastor Dan Nichols, líder da igreja, ao canal local WNEP, "Se uma cultura é tão forte, acho que a igreja pode ser igualmente forte e falar diretamente sobre o assunto e ser direto sobre isso."
Aos 26 anos, Nichols acredita que a placa deve atrair os millennials das faculdades locais à igreja, "Queremos alcançar aos colegiais, mas a mensagem é para todas as gerações", complementou em entrevista ao HuffPo.
A Restored Church começou a operar há um ano, em 8 de setembro de 2013. Atualmente a congregação tem cerca de 100 pessoas.

Brasilpost

10/09/2014

Cursos 24 Horas inclui novo curso: Contadores de Histórias


Cursos Online com CertificadoJá estamos nos encaminhando para o fim de 2014.
Pare suas atividades por um minuto e tenha um momento de reflexão: Pense no que ocorreu durante o ano que passou. Você alcançou seus objetivos? Evoluiu nos campos Pessoal e Profissional?
Independente da sua resposta, chegou a hora de colocar em prática os planos para 2015 e 2016.  Anos de oportunidades.
No campo Profissional, talvez receber um aumento ou promoção em seu emprego atual. Já no campo Pessoal, talvez administrar melhor seu tempo, organizar-se um pouco mais.
Não importa quais são seus planos, é preciso traçar estratégias para alcançá-los. Uma delas pode ser investir no seu desenvolvimento pessoal, estudando. Que tal fazer AGORA um curso online?


E também o excelente curso para auxiliar professores de Escola Dominical:

Curso de Contadores de Histórias



Grupo de judeus ortodoxos tenta reconstruir "Templo de Salomão" em Jerusalém; assista

Ideia de instituto é erguer obra no mesmo local que abrigou o Primeiro Templo, em Israel; no Brasil, rabinos atacam iniciativa.
Reconstruir o Templo de Salomão não é ideia exclusiva da Igreja Universal do Reino de Deus. Composto por judeus ortodoxos, o Instituto do Templo, sediado em Israel, tem feito grandes esforços para erguer o Terceiro Templo Sagrado da religião no mesmo local onde teria existido a construção original - o Monte Moriá, de acordo com a narrativa do Antigo Testamento. E não é só uma ideia jogada: já existem plantas feitas por arquitetos especializados na Torá (conjunto de livros sagrados do judaísmo), lista de materiais a serem usados na obra e até estratégia completa para arrecadar doações - atualmente em quase US$ 65 mil.
Entretanto, assim como a construção orçada em R$ 680 milhões promovida pelo bispo Edir Macedo, o templo dos ortodoxos israelenses também é alvo de críticas. E de seus próprios pares. Ao menos foi assim que expuseram ao iG o tema representantes da comunidade judaica no Brasil, que parecem unânimes ao se dizerem totalmente contra a possibilidade da construção de um edifício semelhante ao da Universal para a sua religião em Israel.
"O judaísmo é completamente contra a construção de um templo", afirma o rabino Alon (o nome foi trocado a pedido do entrevistado). "Isso porque o Templo, principalmente esse terceiro, não é uma construção para vir das mãos do ser humano. O que se acredita é que ele virá pronto do céu. Nós, homens, não temos que nos envolver com isso."
Também conhecido como Primeiro Templo ou Templo de Jerusalém (Beit Hamikdash, em hebraico), o templo original foi erguido pelo Rei Salomão no longínquo século IX A.C., em Jerusalém. O objetivo principal do espaço era guardar a Arca da Aliança que protegia os Dez Mandamentos - ou tábuas da lei, conjunto de regras básicas passadas por Deus a Moisés durante o êxodo judaico do Egito. A Universal, por sinal, inseriu em seu edifício uma réplica de como a arca era descrita, em uma das inúmeras "inspirações" para seu mega-monumento.

video

Mas a tradição judaica acredita que o aguardado Terceiro Templo - o sucessor do Templo de Heródes, destruído em 70 D.C. - só poderá surgir com a vinda ao mundo do Messias (o escolhido, em hebraico), um descendente direto do Rei David que o reconstruiria e levaria judeus espalhados em todo o mundo a se reunirem na Terra de Israel.
"Não adianta se construir um templo sem ter toda a união do povo judeu. Seria forçar uma situação superficial porque o templo em si não é a estrutura física, mas o que ele representa, que é a união total do povo judeu. O mashiach [messias] tem de vir antes para, assim, o templo descer do céu", explica outro rabino ortodoxo, Dvir, que também pediu para não ter seu verdadeiro nome identificado.
É o mesmo posicionamento da Federação Israelita de São Paulo (Fisesp), que congrega instituições judaicas de todo o Estado. "É uma construção divina. Em Israel temos judeus mais ortodoxos e outros menos ortodoxos, cada um com a sua visão. Mas sem entrarmos na Era Messiânica o templo simplesmente não deve existir", diz Ricardo Berkiensztat, vice-presidente-executivo da entidade.
O Instituto que prega a construção do Terceiro Templo tem uma visão diferente e chama de mito a ideia de que o edifício descerá milagrosamente do céu. Para o Rabino Yisrael Ariel, fundador do grupo que existe há quase 30 e atualmente mantém um museu sobre a história dos monumentos sagrados em Jerusalém, existe uma visão deturpada da religão a respeito do tema. "Ao longo do tempo em que investi em meus estudos descobri que as expectativas sobre o templo estavam simplesmente erradas", afirma ele no site oficial do grupo. "Deus não tem a pretensão de que esperemos por um dia de milagres: a expectativa é de que ajamos por conta própria."

video

Em vídeo divulgado quando do anúncio da construção da réplica do Templo de Salomão em São Paulo, o diretor do departamento internacional do instituto, Rabino Chaim Richman, foi bastante crítico em relação aos planos da Igreja Universal do Reino de Deus. Para ele, a obra de orçamento astronômico - R$ 680 milhões - "sequestraria o conceito mais profundo do Templo Sagrado judaico e do que ele significa a Israel". "Para quem esse templo está sendo construído? Quem será nele verdadeiramente cultuado? Isso corrompe totalmente a santidade do Templo Sagrado", disse na ocasião.
Em nota, a Universal afirma compartilhar com o povo de Israel "a esperança de que o tão aguardado Terceiro Templo seja construído em Jerusalém" e ressaltou o fato de nunca ter tido como objetivo de "comparar ou transferir a santidade e a importância" do edifício original para sua obra na capital paulista: "A Universal respeita a opinião do Instituto do Templo, contudo ressalta que tal posição não é compartilhada por inúmeros membros das comunidades judaicas brasileira e internacional. Prova é que contamos com a presença de vários representantes de Israel e do povo judeu na inauguração oficial do Templo de Salomão e em outras ocasiões".
Atualmente, a meta do instituto é atingir US$ 100 mil em doações para se chegar aos US$ 300 mil necessários para o encerramento da fase inicial do projeto, que inclui um completo detalhamento dos planos para quando o templo iniciar sua construção. No entanto, além do desafio financeiro e da crítica de parte da comunidade judaica, o grupo ainda terá de enfrentar outros obstáculos se quiser atingir seu objetivo. Um deles, e talvez o maior, é o fato de o Monte Moriá, onde pretendem construí-lo, atualmente abrigar a Mesquita de Al-Aqsa, a maior de Jerusalém e o terceiro lugar mais sagrado do islamismo. O iG contatou o instituto mas não obteve um posicionamento até o fechamento desta reportagem.

iG

Polícia israelita desmonta rede de prostituição de culto judeu

Uma rede de prostituição foi desmantelada este fim-de-semana em Israel. Poderia ser um caso semelhante a muitos outros um pouco por todo o mundo, não fossem as mulheres judias forçadas a ter relações sexuais, com não-judeus, como forma de “redenção”, para “salvar o povo judeu”.
Segundo a Polícia israelita de Judeia e Samaria, citada pelo Jerusalem Post, o grupo de oito pessoas aliciava as mulheres judias com uma mensagem religiosa, dizendo-lhes que ao terem sexo com homens não-judeus estariam a salvar toda a nação de Israel e a atingir a redenção. Depois eram mantidas na rede com recurso a drogas e álcool.
Os clientes das prostitutas – o superintendente Arik Mordechai, que chefiou a investigação de vários meses, referiu cerca de 15 mulheres, algumas possivelmente menores, a operarem em todo o país – eram palestinianos da Cisjordânia e trabalhadores estrangeiros, principalmente de Telavive.
Na liderança do culto messiânico extremista estava um homem de 60 anos do colonato Kiryat Arba, uma zona de radicais. No grupo de oito detidos estavam duas mulheres, que se pensa terem a tarefa de fazer a ‘recruta’ inicial.
Curiosamente, terá sido outro grupo extremista a denunciar esta rede de prostituição: o Lehava, que se bate contra o casamento de judeus com não-judeus, principalmente homens árabes.

SOL

Papiro com texto sobre a Última Ceia encontrado

Pesquisadores descobriram um fragmento de papiro grego de 1.500 anos com escrita que se refere à Última Ceia e ao “maná do céu” (maná, segundo o livro bíblico de Êxodo, é um alimento produzido milagrosamente e fornecido por Deus ao povo israelita). Eles acreditam que esse papiro é um dos mais antigos amuletos cristãos.
O fragmento foi provavelmente dobrado e usado dentro de um medalhão ou pingente como uma espécie de talismã para proteção.
Roberta Mazza, que encontrou o papiro pesquisando milhares deles mantidos no cofre da biblioteca do Instituto de Pesquisa John Rylands da Universidade de Manchester, no Reino Unido, disse: “Esta é uma descoberta importante e inesperada, pois é um dos primeiros documentos registrados de uso da magia no contexto cristão e o mais antigo amuleto encontrado que se refere à Eucaristia – a Última Ceia – como o maná do Antigo Testamento”.

O Papiro
O texto do papiro é uma mistura de trechos do Salmo 78: 23-24 e Mateus 26: 28-30, entre outros.
Como cristãos usam até hoje passagens da Bíblia como amuletos de proteção, a descoberta desse fragmento pode marcar o início de uma tendência importante no cristianismo. O texto diz (tradução literal para o português, que pode ser diferente do texto encontrado nas versões da Bíblia):
“Temam todos aquele que governa sobre a terra. Saiba você as nações e povos que Cristo é o nosso Deus.
Pois ele falou e eles vieram a ser, ele mandou, e logo foram criados; ele pôs tudo sob os nossos pés e nos libertou do desejo de nossos inimigos. Nosso Deus preparou uma mesa no deserto sagrado para o povo e deu o maná da nova aliança para comer, o corpo imortal do Senhor e o sangue de Cristo derramado por nós na remissão dos pecados.”
Segundo Mazza, as pessoas da época acreditavam que tais passagens tinham poderes mágicos. Apoiando essa ideia, vincos podem ser vistos no fragmento, sugerindo que o papiro foi dobrado em um formato retangular medindo 3 por 10,5 centímetros e ou colocado em uma caixa ou usado ao redor do pescoço de uma pessoa.

Contexto histórico
O amuleto foi escrito no verso de um recibo que parece ser do pagamento de um imposto sobre grãos.
O texto do recibo, quase ilegível, refere-se a um coletor de impostos da vila de Tertembuthis, localizada na zona rural de Hermoupolis, uma antiga cidade que é hoje a cidade egípcia de El-Ashmunein.
“O texto diz que o recebimento foi lançado na aldeia de Tertembuthis. Portanto, podemos razoavelmente crer que a pessoa que reutilizou o recibo para escrever o amuleto era dessa mesma aldeia ou região próxima, embora não possamos excluir outras hipóteses”, afirma Mazza.
Análise por datação de carbono concluiu que o fragmento é de 574 a 660 dC.
Enquanto o criador do amuleto conhecia a Bíblia, ele ou ela fez muitos erros. “Algumas palavras estão com erros ortográficos e outras estão na ordem errada”, disse Mazza. “Isso sugere que a pessoa estava escrevendo de cabeça, em vez de estar copiando”.
A descoberta revela que os cristãos adotaram uma prática egípcia de usar talismãs para afastar o perigo.
“Esta prática não é muito diferente da de hoje de usar colares com cruzes ou imagens de Jesus, Maria ou dos santos para proteção”, argumenta Mazza. “Em muitas igrejas católicas, os crentes recebem santinhos com uma oração no verso que podem levar consigo para proteção”.

LiveScience via Hypescience

As representações de Jesus Cristo ao longo da História


Talvez os teólogos não se ocupem mesmo de discutir o “sexo dos anjos”. Afinal, há outras preocupações. Entre elas, a aparência definitiva do messias supremo do cristianismo. Mas não apenas os peritos, é verdade. Muito se discute sobre a cor da pele, as feições, a estatura e a beleza física de Jesus Cristo.
Ok, considerando-se as dúvidas levantadas em relação à originalidade do Sudário de Turim (o Santo Sudário), é provável que críticos, fiéis e estudiosos jamais cheguem a um consenso sobre a aparência do Salvador. Entretanto, isso não nos impede de atravessar a História, recolhendo representações variadas, desde os primeiros séculos.


Há de um tudo, é verdade. Vai-se do Cristo pastor, envolto em santidade e também por um clima bucólico. Outras representações mostram o Messias ainda jovem, sem barba e com cabelos curtos. Por fim, parte-se daí para a beleza personificada durante a Idade Média, para o cristo “extraterreno” das representações globais e, por fim, para o fruto de uma investigação científica — a qual tentou se aproximar o máximo possível da fisionomia real de Jesus.
Enfim, seja você um cético, um religioso ou um amante de artes, a sequência abaixo traz consigo um belo retrato da evolução das próprias religiões cristãs — desde o século III até os dias de hoje.


Primeiras representações
A imagem do afresco acima é uma das primeiras representações de Jesus Cristo encontradas. O retrato foi originalmente pintado nos muros de uma sinagoga na cidade síria de Dura Europos. No registro, “A Cura do Paralítico”, o Messias aparece jovem, ainda sem barba e com cabelos curtos e encaracolados.


Surgem a barba e o cabelo comprido
As primeiras imagens do Cristo barbado e com cabelos longos datam do século IV. Acima, uma representação encontrada na Catacumba de Marcelino e Pedro. A inspiração vem das representações de deuses do panteão grego e romano, trazendo consigo uma das imagens do Cristo mais tradicionais até hoje.

O “Bom Pastor”
O mosaico da imagem acima foi encontrado no Mausoléu de Galla Placidia e mostra o Cristo jovem e, novamente, sem barba — embora tenha sido acrescentado um halo. O Messias pode ser visto segundo a identidade do “Bom Pastor”, conforme é apresentada no evangelho de João. A representação inclui as cores púrpura e dourado, consideradas nobres, e traz a semelhança de um cidadão da Roma Antiga.

Primeira aparição dos apóstolos
A imagem acima foi encontrada nas catacumbas de Santa Tecla, próximas à Basílica de São Pedro, em Roma. O afresco é a obra mais antiga a reunir Jesus Cristo e seus 12 apóstolos — além de Paulo. De fato, as representações dos seguidores de Cristo serviram como base para diversas outras obras ao longo dos séculos.



O bebê Jesus
Os retratos de Jesus ainda bebê começaram a surgir a partir do século IV. O mosaico acima encontra-se na Basílica de Santa Sofia, em Istambul (Turquia), e mostra a Virgem Maria embalando o Cristo, enquanto os imperadores bizantinos o presenteiam com a cidade.


No Calvário
As imagens de Jesus Cristo no Calvário começaram a emergir a partir do Século V. O retrato acima é encontrado nos Evangelhos de Rabbula, um livro do século VI que trazia ilustrações sagradas. Trata-se, portanto, de uma das primeiras iconografias do salvador cristão crucificado — ao lado de dois ladrões convictos, conforme aparece nas Escrituras Sagradas.


A legitimidade do Sudário de Turim (ou Santo Sudário) é debatida até hoje. Há quem afirme ser o próprio manto que cobriu o rosto de Jesus Cristo, quando sepultado, mantendo assim suas feições. Entretanto, um reste baseado em radiocarbono realizado em 1988 revelou que a peça foi tecida em algum momento durante a Idade Média. Os fiéis rebatem, afirmando que apenas a restauração é recente.


Belo ou apenas comum?
A Bíblia fornece apenas algumas poucas informações bastante vagas sobre a aparência do Messias. Dessa forma, há quem acredite em uma fisionomia pouco destacada, bastante comum para a época. Outros, como Agostinho de Hipona, acreditam que o Cristo foi também a personificação da beleza mundana. De qualquer forma, a representação de Jesus como um homem belo constituiu o padrão durante a Renascença.


O Cristo globalizado
Há atualmente cerca de 7 bilhões de praticantes da fé cristã no mundo. Nisso se incluem diversas etnias, culturas e tradições artísticas. Dessa forma, o Cristo representado nos dias de hoje tende a ser um tanto mais “extraterreno” do que já foi um dia. Um bom exemplo é o nosso Cristo Redentor, postado no topo do Corcovado, no Rio de Janeiro (RJ). Trata-se do fruto de nove anos de trabalho, predominantemente em concreto e pedra-sabão.


Jesus forense
A imagem acima foi idealizada por uma série da BBC exibida em 2001. Intitulado “Son of God”, o programa teve por objetivo investigar desde os traços étnicos até as formas artísticas praticadas na época de Cristo, a fim de chegar a uma “conclusão” sobre a aparência do Cristo.
As diversas vias forenses chegaram, ao final, a um homem com tonalidade de pele escura e cabelos curtos (também escuros). Algo distante do Salvador de olhos azuis e pele alva dos filmes bíblicos, portanto.

Discovery via Mega Curioso

03/09/2014

Eleitorado evangélico cresce e pode decidir eleição

Segundo analistas, o grande poder de comunicação das lideranças evangélicas mobiliza este segmento.
O eleitorado evangélico é crescente no país e como representa um dos segmentos mais coesos da sociedade, tem o potencial de decidir a eleição presidencial deste ano.
Essa é a avaliação de analistas que ponderam também que os valores religiosos não são as principais preocupações dos eleitores.
Para eles, posições contrárias à homossexualidade ou ao aborto não subtraem ou somam votos de uma candidatura, mas ganham destaque na disputa, como o episódio da revisão do capítulo sobre direitos para homossexuais do programa de governo de Marina Silva (PSB), que é evangélica.
O grande poder de comunicação das lideranças evangélicas mobiliza este segmento, assim como um sentimento de solidariedade com candidatos que sigam a mesma orientação religiosa.
"Esse segmento da população tem uma orientação de solidariedade com outros evangélicos, quer por referência moral, quer por disciplina de organização", disse a socióloga e especialista em análise de pesquisas de opinião Fátima Pacheco Jordão.
Ela lembrou que as várias vertentes evangélicas existentes no país possuem meios de comunicação de massa, como emissoras próprias e espaços alugados em canais de TV.
"Eles estão se tornando players, agentes importantes no cenário político. Já são, aliás. E do jeito que a coisa anda, é possível que nós tenhamos pela primeira vez uma presidente evangélica."
Marina, que é membro da Assembleia de Deus, é a principal destinatária dos votos dos evangélicos. Segundo a última pesquisa do Datafolha, ela cresceu 17 pontos entre os evangélicos pentecostais e outros 17 pontos entre os não-pentecostais.
De acordo com o levantamento, entre os pentecostais, grupo no qual a igreja frequentada pela ex-senadora está, Marina tem 41 por cento das intenções de voto, contra 30 por cento da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e 11 por cento do tucano Aécio Neves.
Entre os não-pentecostais, a candidata do PSB lidera com 44 por cento, contra 29 por cento da petista e 13 por cento do tucano.
Marina também teve bom crescimento entre os católicos, que representam a maioria da população, 11 pontos, mas segue atrás de Dilma neste segmento.
No total do eleitorado, o Datafolha apontou empate em 34 por cento entre as duas principais candidatas. Aécio tem 15 por cento.
Segundo dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os evangélicos representam 22,2 por cento da população. Atualmente, estimativas de analistas colocam esse percentual em até 30 por cento do eleitorado.
"As pesquisas mostram que Marina Silva tem um desempenho no eleitorado evangélico muito melhor do que o que ela tem entre o eleitorado católico. Se o eleitorado brasileiro fosse só de evangélicos, ela ganharia com mais facilidade", disse o cientista político Rubens Figueiredo, diretor-executivo da Associação Brasileira de Consultores Políticos (ABCOP).
Para Jordão, entretanto, o apoio evangélico não é o principal fator que explica a ascensão de Marina, que se tornou a principal estrela do cenário eleitoral ao assumir a cabeça de chapa do PSB após a morte de Eduardo Campos, em agosto.
"A Marina é muito maior do que o poder de persuasão das igrejas. Ela representa uma coisa maior do que isso", avaliou a socióloga. "Ela não será nem beneficiada nem punida pelas posições de ordem religiosa. Ela será atacada por isso."

Princípios Negociáveis
Nas últimas eleições, vários candidatos têm buscado o apoio de lideranças evangélicas. Na campanha deste ano, por exemplo, Marina levou Campos a um encontro com pastores quando o ex-governador era o candidato do PSB.
Aécio também realizou encontros com evangélicos e Dilma foi a um encontro de mulheres evangélicas e fez um discurso no qual citou trechos da Bíblia.
Em 2010, a questão do aborto ganhou destaque na eleição presidencial, ainda que, como afirma Jordão, o tema tenha sido usado mais como ferramenta política do que pensando no interesse do eleitorado.
No pleito deste ano, além de Marina, o presidenciável pastor Everaldo (PSC) também é evangélico da Assembleia de Deus. A Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), no entanto, ainda não definiu qual dos dois candidatos vai apoiar para presidente.
"A probabilidade de apoiar qualquer um dos dois é maior que a de apoiar qualquer outro candidato", disse à Reuters o pastor Lélis Marinho, presidente do Conselho Político da CGADB.
Segundo ele, o apoio ao candidato do PSC estava praticamente acertado, mas a entrada de Marina na disputa mudou o panorama e, agora, não está descartado um apoio a ela já no primeiro turno. Uma decisão deve ser tomada ainda nesta semana, disse Marinho.
No sábado passado, menos de 24 horas depois de lançar o programa de governo, a campanha de Marina divulgou uma errata alterando trechos sobre as políticas para a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais).
A mudança, que segundo a candidata se deu para corrigir uma falha de editoração, eliminou os compromissos com o apoio a uma lei que criminaliza a homofobia e com mudanças na legislação para aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, entre outros pontos. Marinho classificou a mudança no programa marineiro como uma "abertura altamente positiva".
"Nós queremos ter liberdade de falar aquilo que nós entendemos e que, inclusive, está na Bíblia Sagrada. Ela condena a prática (homossexual)", disse o pastor.
"Não abrimos mão daquilo que nós consideramos princípios... Agora, nós respeitamos a todos. Não é porque eu defendo um princípio que eu acho que todo mundo é obrigado a defender esse princípio. Mas eu não quero ser incomodado naquilo que eu defendo."
Não por acaso, Marinho, do Conselho Político da CGADB, disse que o fato de Marina e pastor Everaldo serem evangélicos "já os credenciam" para receber apoio dos fiéis.

Exame