28 de fev de 2015

Israel e Jordânia assinam acordo para levar água do Mar Vermelho para Mar Morto

Após meses e meses de negociações, foi ontem finalmente assinado um acordo entre as duas nações vizinhas - Israel e a Jordânia - para combater a preocupante escassez de água na região, especificamente no Mar Morto, cujo nível das águas desce cerca de um metro por ano.
Segundo a agência noticiosa jordana "Petra", o acordo agora assinado abrange a "execução da primeira parte" de uma carta de intenções assinada já em Dezembro de 2013, em Washington, entre representantes de Israel, Jordânia, e da Autoridade Palestiniana, com a intenção de salvar o Mar Morto, que corre o risco de simplesmente desaparecer em 2050, se não até antes.
O acordo prevê a construção de um bombeamento anual de 300 milhões de metros cúbicos de água desde o Mar Vermelho até ao Mar Morto.
Parte daquela água deverá ser canalizada através de quatro condutas para o Mar Morto. Outra parte será para dessalinizar e repartir entre Israel e a Jordânia. Os palestinianos receberão também 30 milhões de metros cúbicos de água por ano.
Segundo Silvan Shalom, ministro israelita para a Cooperação regional, "Esta cooperação construtiva entre Israel e a Jordânia vai permitir ajudar a reabilitar o Mar Morto e a criar uma solução para a falta de água na Jordânia e no sul de Israel."

Publicado em Shalom Israel

27 de fev de 2015

Filho de pastor é detido

Relatórios recentes parecem indicar muitas melhorias para aqueles que vivem em Cuba. Mas a verdade é que seu governo ainda restringe severamente a liberdade de seu povo, incluindo o culto cristão. Sob o pretexto de cometer “atividades anti-governamentais”, o filho de um pastor está agora detido em uma prisão militar.
Acusado de escrever uma canção contra o governo, Gabriel Leyva, 19, está sendo mantido numa precária prisão militar com pouco recurso. Ele foi preso faltando quatro meses para cumprir seu serviço militar obrigatório.
Colaboradores da VdM dizem que as acusações são infundadas, e que sua prisão está diretamente relacionada com as atividades evangélicas da sua família e o crescimento visível do ministério de seus pais. Contatos da VdM dizem que esta igreja tem sido muito bem recebida pela comunidade e é uma bênção poderosa.
Quando o pai de Gabriel soube da detenção de seu filho, ele foi para a prisão. Guardas colocados na sala, literalmente, tamparam a boca de Gabriel quando ele começou a contar a seu pai que era inocente. Ele não foi autorizado a falar mais nenhuma palavra.
O governo cubano desencoraja qualquer tipo de dissidência e vê os cristãos evangélicos com desprezo, especialmente aqueles de igrejas não registradas. Os pastores e suas famílias são especialmente vulneráveis, e muitos enfrentaram espancamentos, tem sua propriedade invadida, destruída e ainda enfrentam a prisão como resultado. Prisões de longo períodos são menos frequentes do que no passado, mas detenções a curto prazo aumentaram muito nesse último ano.
Orem em favor dos cristãos que vivem em Cuba.

Publicado em A Voz dos Martires

EI sequestra 220 cristãos assírios; assista

Dezenas de pessoas se reuniram em Jdeideh, no Líbano, para exigir a soltura dos mais de 200 cristãos assírios que foram sequestrados por milicianos do grupo Estado Islâmico (EI) no nordeste da Síria.



Publicado no YouTube via AFP

26 de fev de 2015

Nova teoria descarta a necessidade de “Deus” e sua criação

Uma nova equação prevê que o Universo não teve começo - e não terá fim.
A teoria mais aceita hoje é que o Universo teve um início : o Big Bang, a explosão de um ponto infinitamente denso, uma singularidade. A partir dessa explosão, teria havido uma expansão e o resultado seria o Universo atual. Essa teoria é baseada na relatividade geral, proposta por Einstein.
No entanto um novo modelo, que mistura correções quânticas na teoria de Einstein, sugere que não houve Big Bang. E que, na verdade, o Universo não começou: ele sempre existiu.
"A singularidade do Big Bang é um problema para a relatividade, porque as leis da física já não fazem sentido pra ela", afirma Ahmed Farag Ali, pesquisador da Universidade Benha, no Egito. Ele e o coautor Saurya Das, da Universidade de Lethbridge, em Alberta, no Canadá, mostraram que esse problema pode ser resolvido se acreditarmos em um novo modelo, no qual o Universo não teve começo - e não terá fim.
Os físicos esclarecem que o que eles fizeram não foi simplesmente eliminar a singularidade do Big Bang. Eles se basearam no trabalho de David Bohm, físico que, nos anos 1950, explorou o que acontecia se substituíssemos a trajetória mais curta entre dois pontos numa superfície curva por trajetórias quânticas. No seu estudo, Ali e Das aplicaram as trajetórias Bohminanas a uma equação que explica a expansão do universo dentro do contexto da relatividade geral. Com isso o modelo contém elementos da teoria quântica e da relatividade geral. Os pesquisadores esperam, com isso, que seu modelo se mantenha mesmo quando uma teoria completa da gravitação quântica for formulada.
Mas então o Universo não teve nem começo e nem fim? Com o modelo, os físicos estabelecem que o Universo tem um tamanho finito - e, com isso, podem dar a ele idade infinita, o que combina com nossas medições de constantes cosmológicas e de densidade.
O modelo descreve o Universo como preenchido com fluido quântico, que seria composto de gravitons, partículas hipotéticas que mediam a força da gravidade. Se eles existem, eles teriam um papel essencial na teoria da gravitação quântica. Agora os físicos pretendem analisar perturbações anistrópicas no Universo, elevando emc onsideração a matéria escura e a energia escura, mas eles acreditam que os próximos cálculos não afetarão os resultados atuais. "É satisfatório saber que essas correções podem resolver tantos problemas de uma vez", afirmou Das.

Publicado no Phys.Org via Galileu

Igrejas e pastores num mundo que não existe mais

Há um seleto grupo, compostos de profissionais da religião, cujas decisões influenciarão nos próximos anos a vida de milhões de cristãos, evangélicos, protestantes e católicos, ecumênicos ou não, clientes que poderiam gerar impactos sobre comunidades religiosas. Quem são os carismáticos ou pentecostalistas radicais? Quem são os crentes secularistas? Quem são os libertários? Se fossem interessantes, para além do proselitismo e da defesa apologética institucional, de cada uma das denominações avaliadas, quem professaria a identidade cidadã e cristã com maior aproximação dos valores do cristianismo apostólico?
Um glossário sobre os modelos mais frequentes, para uma síntese de uma pluralidade inumerável de tendências eclesiásticas nos dias atuais, pode ser útil. No Brasil de hoje os valores da religião se confundem com os da sociedade capitalista tradicional. Ocorre, o mesmo, com as igrejas, e com os profissionais dos púlpitos? O ponto mais agudo e tenso é aquele que, para se cumprirem as cláusulas do contrato social com a religião, admite-se uma forma comportamental domada, encilhada e submissa. Não há justificativa teológica que sustente a incapacidade de se ver os sinais dos tempos. Vejamos alguns aspectos ou tendências nas igrejas e pastores de hoje:

O apologismo reflete a crise de identidade das igrejas. Sem entender a força da modernidade, a nova moral, as democracias recentes, a tábua de salvação é procurada no calvinismo e luteranismo conservadores, principalmente. Faltam referenciais seguros, sociologicamente visíveis. O triunfalismo eclesiástico pretendido, ingênuo, abstrato, encastela-se nas igrejas mais ricas, enquanto a reação vem das igrejas pobres, entregues em total vulnerabilidade às teologias do movimento pentecostal contemporâneo. O pentecostalismo não se ocupa do apologismo, vai direto ao assunto: religião carismática. Em maioria esmagadora, cuida das raízes populares dominantes no Brasil.
Talvez o apologismo seja um modo de atenuar o impacto de uma espécie de “outro mundo” demarcando a topografia espiritual dos fieis. Igrejas, capelas, oratórios, santuários, templos, centros espíritas, terreiros, cemitérios, fazem parte da fronteira em que vivemos, entre um mundo real, concreto, e outro espiritual e abstrato. O apologismo visualiza mundos e culturas passados, enquanto acredita, anacronicamente, combater o cristianismo medieval antes da Reforma. Combate, mas reproduz seus valores conservadores.

O secularismo, porém, pretende que não estejamos mais diante de um universo religioso simbólico tomado por forças ocultas, medo e terror atribuídos ao sobrenatural. Assim, procura-se oferecer cura da alma e prazer garantidos, sem mistérios na natureza real do problema da vida religiosa em comum. Comunhão, coletividade eclesiástica e igualitarismo passam a ser assuntos proibidos ou desinteressantes. As igrejas comunitárias passam a ser lugar de encontros divertidos, ao invés de espaço de comunhão e reflexão.
Nesse setor, as pessoas desejam ser felizes não amanhã, mas hoje, agora, e talvez desde ontem. Para estas, algumas vezes, a saída da religião pela materialidade da vida, exige-se, para satisfazê-las, uma religião e um “deus ex machina” disponíveis para atender prontamente a seus desejos. Pastores secularizados se sentem obrigados a manter um cardápio “a la carte” para tornar suportável a vida do crente secularizado no mundo moderno. Nesse momento, contendo soluções prontas para os problemas do cotidiano, nada mais confortante que o consumo do luxo, sem esquecer a saúde, ou as clínicas estéticas a alto preço, para satisfazê-las.
O cardápio, nesse ponto, se amplia. Adeptos da secularização eclesiástica também gostam de falar de moral, embora entupidos pelas drogas farmacológicas “lícitas”, e alguma inclinação pela tolerância das ilícitas. Depois, vêm assuntos como ciência, religião, política, corrupção; esportes, amor, filhos, saúde, dietas, alimentação saudável, esteira rolante, próstata, eletrocardiograma, mamografia, ultrassom, colonoscopia, medicina de ponta... e mesmo assim chega o dia inevitável em que se vai depender dos caros planos de saúde, sequestrados pela caríssima medicina seletiva e privada. Poucas atividades são tão transparentes nas injustiças e desigualdades na sociedade moderna quanto ao escapismo secularista que toma igrejas e crentes.

O libertarismo jamais pretenderia a síntese das tendências anteriormente apontadas. Critica, também, o vazio das tendências secularistas, exigentes de pastores psicanalistas e de recursos de autoajuda alimentados nas fraseologias pseudoteológicas de todos os dias. Como indivíduos, o libertarismo se dirige aos considerados descartáveis, supérfluos, tidos como não merecedores da repartição dos bens culturais, econômicos e sociais.
Ao mesmo tempo, não pretende perder de vista a conversão individual, paradoxalmente coletiva. O libertarismo vai além, denuncia as estruturas e seus pecados, na sociedade, na política, na economia. Indigna-se e aponta as desigualdades. Projetos que aterrem no ambiente coletivo degradado, sob propostas concretas, malgrado as perplexidades do momento, interessam-lhe sobremaneira. Pois identificam e tramitam num caminho onde se apresentam as diferentes imposições das mortes espiritual, social, econômica e cultural.
Como identificava o teólogo Agenor Brighenti, sob olhar analítico, podemos observar os vários estilos e modelos pastorais. Um número significativo de padres, pastores e igrejas, adota o modelo dominante, apologético ou secularizado. Alguns estão comprometidos com vícios burocráticos e assembleias que não decidem sobre as urgências. Constituem combustível queimado inutilmente, sem que a organização eclesiástica saia da inércia. Outros, libertários, tendem a desprezar a cultura religiosa popular, esquecendo a maioria e acentuando uma teologia radical para a vida em comunhão.
Igrejas e pastores encontram-se fechados para a vida moderna, cegos, surdos e mudos aos sinais dos tempos e às próprias interpelações do Espírito, no mais das vezes. A sociedade humana reclama salvação, no desenvolvimento de ações que revertam em atenção a crianças, aos jovens, aos maduros e aos idosos, cujas vidas estão sob risco permanente de morte: desproteção política, violação de direitos humanos, cidadania seletiva ou privilegiada; trabalho, saúde, escola e previdência, negados; violência contra a mulher, a criança e o idoso.
Hoje, para muitos, pastores e igrejas, todo o multifacetado projeto de modernização aparece como um equívoco desastroso que seleciona privilégios de pessoas, grupos, sociedades. Ato de arrogância e maldade cósmicas. E, novas figuras surgem agora em novo papel simbólico, ocupando espaços de alto luxo, altos salários, onde as fortunas se representam, cultivando o estímulo à inveja e à ganância. Sob pressões econômicas do mundo moderno, o impulso de desenvolvimento eclesiástico tende a caminhar no sentido de um perpétuo crescimento estatístico -- sob parâmetros do IBGE, em todos os seus equívocos de mensuração -- sem evangelização autêntica e humanização da mensagem cristã.

O que testemunham? Não sentindo que, se não pararem para refletir sobre suas vocações, aceitando ser o que são na maioria, sem representação, sem relevância, seremos diminuídos quanto ao desafio de seu papel original, transformador da sociedade. Ninguém nos perguntará mais, pastores e igrejas, sobre os cristãos nos tempos iniciais da igreja: “quem são estes que têm transtornado o mundo? Chegaram também aqui?” (Atos 17.6). Será que perdemos de vista o mapa que nos foi entregue desde a igreja apostólica?

Publicado na Ultimato

Linha erótica para evangélicos tem vibrador líquido e gel 'virgem de novo'

Membros da Congregação Cristã e empresa lançam produtos sensuais na 22ª Erótika Fair, que ocorre em São Paulo.
Conquistar o direito de sentir prazer sexual – dentro do casamento entre homem e mulher, é claro – é o novo desafio da vanguarda evangélica após o abandono do modelo coque/saia e a criação do funk gospel. Para João Ribeiro e Lídia Ribeiro, membros da Congregação Cristã, uma das mais tradicionais do País, isso significa mais: ter um espaço nas prateleiras dos sexshops para produtos evangélicos. Eles apostam suas fichas na criação de uma linha voltada exclusivamente para o público religioso.
A procura de itens eróticos para apimentar a relação não é novidade no meio gospel. O iG mostrou que óleos de massagens e vibradores líquidos estão entre os produtos mais procurados pelos fiéis em sexshops. Mas o uso ainda é debatido dentro das igrejas. Para superar o tradicionalismo, os empresários tratam a nova linha, batizada In Heaven, como “novo segredo de um casamento feliz”. Os produtos serão lançados na 22ª Erótika Fair, principal feira do mercado erótico, realizada em São Paulo, entre 6 e 8 de março.
“O nosso stand [da feira] será dividido entre céu e inferno”, brinca Ribeiro, já que a linha dividirá espaço com produtos inspirados na trilogia "50 Tons de Cinza", que explora o sadomasoquismo e promete ser um dos temas mais explorados no evento.

O rótulo discreto em branco com uma pomba dourada, clássico símbolo cristão, dá certo tom divino aos quatro primeiros produtos da In Heaven (No céu, em inglês). São eles: Pure (adstringente, que promove a sensação "virgem de novo"), Vibe (vibrador líquido), Mais Prazer (excitante feminino) e Mais Tempo (prolongador de ereção).
Ribeiro conta que a inspiração do nome veio da música "Cheek to Cheek", versão cantada por Ella Fitzgerald, ícone do jazz nos EUA. Ele acredita que a linha terá a mesma função da canção, "resgatando o romantismo entre os casais apaixonados".
“A ideia principal é que o casal se sinta à vontade para comprar e tenha a certeza de que não está sozinho. Não há motivo para vergonha. Somos 52 milhões de evangélicos no Brasil e não tínhamos uma linha específica”, explica Ribeiro, que ao lado da mulher comanda a sexshop Secret Toys, em Jandira (SP).
Produzidos e distribuídos pela INTT Cosméticos, a linha deve alcançar 20 itens nos próximos três meses. A diretora da marca, Alessandra Seitz, reconhece que apesar de fortes consumidores, os evangélicos não contavam com representação no mercado erótico. “Muitas vezes eles querem o produto, mas não compram porque tem uma algema no rótulo, por exemplo. Promover essas mudanças é uma forma de respeito com o consumidor evangélico”, defende.

Produtos prometem deixar o sexo oral mais gostoso
Cada bisnaga tem o preço sugerido de R$ 15 e deve estar disponível aos clientes ainda em março. Além da nova roupagem, os produtos contam com cheiro, princípios ativos e gosto mais suaves se comparados aos outros produtos eróticos do mercado. Para Alessandra, que não é evangélica, a nova linha deve incentivar outras empresas a produzirem linhas segmentadas. "Não dá para ignorar a força deles", justifica.
O lançamento faz parte do Projeto Gospel, uma força-tarefa evangélica realizada pelo casal em parceria com a Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme). Na feira, o livro Guia Gospel para Sexshops será vendido aos lojistas para promover o surgimento de lojas eróticas especializadas, com atendimento especial a religiosos.
Já nas igrejas evangélicas, os autores do livro planejam percorrer encontros de casais, dar palestras e esclarecer o que a cosmética sensual pode fazer ao casamento. “Vamos discutir sexo e isso será feito de evangélico para evangélico. Não vamos mais ficar fora dessa”, conclui Ribeiro.

Veja mais sobre este Mercado:
Deus não se importa com o que o casal faz entre quatro paredes...
Pastora incentiva uso de produtos estimulantes e roupas sensuais...
Casal cria site de swing para cristãos...
Sex Shops receberão manual gospel...


Publicado no Delas

Pastor evangélico é morto durante assalto no Centro de Fortaleza

Dupla suspeita foi presa após bater o carro da vítima contra um poste na Praça da Bandeira.
De acordo com amigos da vítima, pastor Darkson é o fundador da Igreja Vale da Benção desde o ano de 1982.
O pastor evangélico fundador da igreja Batista Vale da Benção foi morto durante um assalto na Avenida Heráclito Graça, no Centro de Fortaleza. O crime ocorreu por volta da 1h da madrugada, nestaquarta-feira (25). Os suspeitos do crime foram presos na Meton de Alencar com General Sampaio, na Praça da Bandeira.
Francisco Darkson da Silva Lira teria saído de uma igreja no Centro e ia para a própria residência, localizada na Maraponga. Mas foi abordado por dois homens armados a faca que anunciaram o assalto. O religioso não forneceu os pertences e foi atacado. De acordo com a Polícia, foram 15 perfurações a faca.
Os suspeitos fugiram no carro da vítima. Por volta das 2h30min da madrugada a dupla foi perseguida e colidiu o veículo em um poste na Rua Meton de Alencar com General Sampaio, na praça da Brandeira. Ambos foram detidos e encaminhados ao 34º DP (Centro). A arma do crime foi apreendida.
De acordo com amigos da vítima, pastor Darkson é o fundador da Igreja Vale da Benção desde o ano de 1982. Ele também possuía um programa de rádio e era conhecido internacionalmente pelo seu trabalho como religioso.

Publicado no Diário do Nordeste

Governador do Distrito Federal pede abordagem contra a dengue durante cultos evangélicos

O governador Rodrigo Rollemberg pediu nesta terça-feira (24) o engajamento de pastores evangélicos na luta contra a dengue e a febre chikungunya, ambas transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Ele se reuniu nesta tarde com líderes religiosos na residência oficial do governo, em Águas Claras. Nosso apelo às lideranças é que, nos cultos, orientem a população a gastar cinco minutos por dia fazendo o controle e o acompanhamento para evitar a reprodução do mosquito da dengue"
“Nosso apelo às lideranças é que, nos cultos, orientem a população a gastar cinco minutos por dia fazendo o controle e o acompanhamento para evitar a reprodução do mosquito da dengue.”
Segundo a Secretaria de Saúde, foram registrados 11.458 casos da de dengue em 2014 e 11.520 em 2013. O número de mortes de um ano para o outro, no entanto, mais que triplicou: passou de 5 para 18 no mesmo período. Foram três casos de chikungunya em 2014 no DF.
Rollemberg afirmou que, a partir do fim desta semana, 200 militares do Exército passarão a contribuir com a vigilância. O pedido de ajuda do Exército foi feito na semana passada ao comando militar.
Segundo o gerente de vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde, Ailton Domícius, o sistema de saúde consegue identificar cerca de 30% dos casos de dengue e entre 60% e 90% da febre chikungunya. “Isso significa que, em caso de epidemia simultânea das duas doenças, nenhuma rede de saúde do mundo está preparada para absorver essa demanda”, afirmou.
A presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão (PDT), o secretário de Relações Institucionais, Marcos Dantas, e a presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, também participaram do encontro.

Pedidos
Antes de tratar do combate à dengue, o governador ouviu pedidos e queixas dos líderes evangélicos, principalmente em relação à regularização dos lotes das igrejas. Eles cobraram a aprovação de leis que garantam espaço para os templos religiosos.
“Todo dia, nós sofremos ameaças da Agefis. É um peso assustador”, afirmou o pastor de uma igreja no P Norte, em Ceilândia, que diz estar instalado no local desde 2000. Os religiosos questionaram o governo e a representante da Câmara sobre o texto da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), retirada do parlamento sem aprovação. A lei alterava as regras de concessão e uso dos templos.
Rollemberg afirmou que o GDF tem compromisso em regularizar os templos, mas que não fará o processo “a ferro e fogo” e sem segurança jurídica. “Vamos trabalhar para isso, mas vamos ser muito rigorosos no combate à ocupação irregular daqui para frente. É nossa obrigação”, disse. O governador também pediu o apoio das igrejas para evitar novas invasões por lideranças religiosas e por moradores das regiões administrativas.
“Acredito que todos aqui querem fazer a regularização ‘para trás’, do que já foi ocupado. Estou sendo franco. No Setor Industrial de Ceilândia, algumas igrejas ou pretensas igrejas começaram a se instalar, atrapalhando a regularização das outras”, disse.
Como exemplo, Rollemberg utilizou a desocupação de residenciais no Sol Nascente, em Ceilândia. Disse que fará o mesmo no Lago Sul, para liberar a orla do lago Paranoá para “o bem da comunidade”, e em igrejas recém-instaladas sem permissão.

Publicado no G1

Ex-mulher de pastor demitido da Igreja Universal ganha indenização de R$ 10 mil por polêmica matéria na revista Época

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) acolheu a ação indenizatória de Jacira Aparecida da Silva contra a Editora Globo, responsável pela revista Época. A decisão, oficializada na última sexta-feira (20), prevê o pagamento de R$ 10 mil por conta de uma polêmica envolvendo o ex-marido de Jacira, Gustavo Alves da Rocha, ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus.
A matéria em questão, com o título “Aprendi a extorquir o povo”, publicada em 18 de setembro de 2009, apresentava Rocha como um pastor demitido pela Universal em 2004, mas que pouco tempo antes era responsável por contar e fazer o depósito do dízimo recolhido nos 26 templos da Universal em Nova York (EUA). Na mesma matéria, Rocha afirmou “ter morado” na mansão do bispo Edir Macedo, líder da Universal e dono da Rede Record, por três anos.
Foi lá que o ex-pastor teria conhecido Jacira, com a qual foi “orientado por Macedo” a se casar, na época em que ela seria empregada doméstica do líder da igreja. A ex-mulher de Rocha moveu o processo contra a Editora Globo por conta das denúncias feitas por ele, atribuindo a ela informações falsas e declarações inexistentes sobre supostas irregularidades praticadas por representantes da instituição.
“Tal conduta, por certo, extrapola o mero exercício do direito de liberdade de informação, já que a reportagem ultrapassa os limites da função jornalística, que é de informar à coletividade fatos e acontecimentos, de maneira objetiva, sem alteração da verdade, resvalando nos direitos de personalidade da autora”, afirmou em seu voto o desembargador Alexandre Alves Lazzarini. A decisão muda àquela de primeira instância da ação que começou em 2011, a qual julgou improcedente o pedido de indenização. A editora ainda pode recorrer da decisão.

Na Record, Jacira já havia negado reportagem
Na época da reportagem, a Record produziu uma matéria com Jacira (que, segundo a revista, tinha confirmado o relato do ex-marido), na qual ela negava as denúncias feitas Gustavo Alves da Rocha. Antes de ser pastor da Universal, ele teria conhecido Edir Macedo em Londres, onde o líder da igreja estaria aumentando o número de templos e precisava de ajuda.
Já pastor nos EUA, ele garantia ter presenciado os planos de Macedo para construir o seu império, afirmando ainda que o dízimo ajudou na expansão da emissora.
“Todos os salários dos funcionários da Rede Record são pagos pela emissora em conta corrente dos beneficiários e todos os investimentos são pagos pela emissora com recursos próprios (...). Edir Macedo nos ensinava a atingir as metas que ele criava para cada igreja, e a meta era financeira. Não era de fiéis”, comentou o ex-pastor à Época em 2009.
A Record negou as informações prestadas por Rocha, assim como a Universal. Em seu blog pessoal, Edir Macedo rebateu todo o conteúdo da revista, chamando tudo de um “recomeço da guerra entre Globo e Record”.

Publicado no BrasilPost

Estado Islâmico sequestrou 220 nas últimas 72 horas na Síria, diz ONG

Sequestros ocorreram no nordeste do país, perto da fronteira com o Iraque.
Reféns seriam, na maioria, mulheres e crianças.
Os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) sequestraram 220 cristãos assírios na Síria, informou nesta quinta-feira (26) o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).
"Pelo menos 220 assírios foram sequestrados em 11 localidades pelo grupo Estado Islâmico nos últimos três dias na província de Hasake, nordeste da Síria, perto da fronteira com Iraque e Turquia", anunciou o OSDH.
No balanço anterior, o OSDH informava o sequestro de 90 cristãos pelo EI.
Na quarta-feira, Osama Edward, diretor da rede assíria dos direitos humanos com sede na Suécia, denunciou que quase 1.000 famílias, o que representa 5.000 pessoas, fugiram do nordeste da Síria desde segunda-feira para buscar refúgio nas cidades de Hasake e Qamichli.
Edward denunciou ainda o sequestro de entre 70 e 100 cristãos assírios, em sua maioria mulheres, crianças e idosos.
"Há negociações com o auxílio de mediadores de tribos árabes e de uma figura da comunidade assíria para obter a libertação dos reféns", destacou o OSDH. O EI controla 10 vilarejos cristãos da região de Tall Tamer, de onde os moradores fogem de maneira desesperada.
A ponte de Tall Tamer é importante para chegar à fronteira iraquiana a partir da província de Aleppo, destacou Edward.
Quase 30.000 assírios, uma das comunidades convertidas ao cristianismo mais antigas, viviam na Síria, a maioria na região de Hasake, antes do início do conflito sírio em março de 2011.

Publicado em G1

25 de fev de 2015

Pastor chora "Deus, eu preciso da sua ajuda" antes de cair na plataforma, morto

Darryl Edwards estava pregando no funeral de uma das suas ovelhas quando de repente gritou: "Deus, eu preciso de sua ajuda", em seguida, entrou em colapso. Ele foi declarado morto dentro de uma hora.
"Ele estava falando sobre como você precisa estar pronto para a morte, porque você nunca sabe o dia nem a hora", disse a irmã Sheila Edwards, ao Jornal texano Victoria Advocate.
Edwards tinha 55 anos de idade e era pastor da Fannin Street United Methodist Church, e conduziu a congregação por cinco anos, diz os relatórios da Defensora Pública.
Edwards estava elogiando Sally Bland, membro da igreja, quando olhou para o céu e gritou: "Deus, eu preciso da sua ajuda!" Ele caiu em seguida, e os participantes do funeral chamaram uma ambulância.
Sheila disse ao Victoria Advocate que eles sabiam que ele tinha morrido antes que chegassem ao hospital. A ambulância apagou suas luzes de emergência enquanto atravessava a cidade do Texas.
Quando a família chegou ao hospital, Sheila diz que houve um ligeiro tremor, mas a vida em seus olhos tinha ido embora.
"Ele sempre disse que você nunca sabe quando você está pronto para ir, então você tem que fazer o que é certo, no em todo o tempo", disse Sheila. "Sua vida e morte foi um sacerdócio."
Edwards, que também era conhecido como "Hacksaw", possua um restaurante de churrasco com o mesmo nome. Ele usou a comida como um ministério para os sem-teto, também.
"Ele tinha cuidado com todos os que entravam pela porta". "Se eles pediam um sanduíche, eles saiam com três ou quatro pratos, porque ele sabia que eles precisaria de comida para mais tarde," disse Sheila. "Eles sempre tinham um sanduíche e um sermão."
"Ele era um homem de amor. Ele exemplificou o amor que não tem fim", seu irmão James disse ao jornal.
Edwards também gostava de andar de moto e era conhecido por compartilhar o evangelho ao fazer tal coisa. Ele era conhecido em toda a cidade como um homem que tudo consertava, sempre oferecendo-se para servir aos outros.
Ele deixa para trás sua esposa, filho, sete netos e um bisneto.
Por favor, ore pela família de Edwards para que eles tenham como lidar com esta perda.

Publicado no Charism News
Tradução do Notícias Cristãs

24 de fev de 2015

Por que as mulheres "cristãs" estão assistindo "50 tons de cinza"?

Shane Idleman(*)

Ser seletivo com o que ver e ouvir não tem nada a ver com o legalismo; tem tudo a ver com sabedoria.
A verdade inevitável é que muitos estão se tornando insensíveis. Quando o Espírito Santo já não preenche corações e mentes com uma paixão pela pureza e santidade, há uma falta geral de convicção.
O compromisso nesta área pode ser bem ilustrado através de uma história que ouvi anos atrás.
Esquimós do árido Norte, muitas vezes matam lobos, tomando uma faca afiada e mergulhando-o em sangue. Eles deixam que o sangue congele na lâmina. Em seguida, eles enterram o cabo da faca na neve com a lâmina exposta. Como o lobo começa a lamber a lâmina, a língua torna-se dormente e insensível devido ao frio. Como ele continua a lamber, sua língua começa a sangrar, e ele lambe ainda mais rápido, sem saber que está consumindo o seu próprio sangue e lentamente se matando.
Com o tempo, os esquimós voltam e trazem para casa o animal morto.
Da mesma forma, o inimigo nos entorpece através do compromisso. Dentro de pouco tempo, nós, como os lobos, não percebemos que estamos a morrer - e morrendo espiritualmente. O inimigo nos dessensibiliza até que ficarmos dormentes para as coisas de Deus.
Uma famosa frase ressoa com clareza para nós ainda hoje: "Nem toda a água no mundo, não importa quanto ela tente, nunca poderá afundar um navio a menos que entre dentro dele. Toda a má influência do mundo, não importa o quanto ele tenta, nunca pode afundar a alma de um cristão a não ser que ela entre lá dentro."
A maior batalha que iremos sempre lutar é a que acontece dentro de nós. Nossa mente é o lugar onde a batalha é ganha ou perdida: "Como um homem pensa em seu coração assim ele é" (Provérbios 3.27). Gálatas 5.17 diz que o Espírito nos dá desejos que são opostos ao que a nossa natureza pecaminosa deseja, e que estas duas forças estão constantemente lutando umas contra as outras.
Como resultado, nossas escolhas são raramente livres deste conflito. Não se assuste. O fato de que há uma luta confirma o valor do nosso compromisso com Cristo e Seu padrão de santidade.
Há uma tendência muito preocupante em direção ao compromisso moral na igreja evangélica. Eu testemunhei imagens pornográficas em sites cristãos, clipes de filmes questionáveis ​​durante sermões em PowerPoint e jovens pastores falando de seus programa de TV favoritos que são sexualmente carregados, tudo sob o disfarce da "relatividade" da cultura.
Muitos estão se afastando de Cristo, não porque Ele falha com eles, ou porque a Palavra de Deus revela-se falsa, mas por causa do amor a este mundo (que é gratificante para carne). Não podemos ignorar a gravidade deste problema. Jesus disse que as preocupações e desejos deste mundo, juntamente com a sedução das riquezas, entram e sufocam a Palavra de Deus, tornando-a infrutífera (cf. Mc 4.19).
A paixão que já tivemos pela pureza da Palavra de Deus pode ser facilmente trocado pelos poluentes do mundo. Por esta razão, aproveito cada oportunidade de escrever ou falar sobre como fazer escolhas sábias de entretenimento. O que nós colocamos em nossa mente afeta nosso relacionamento com Deus em um nível muito profundo.
1 João 2.15-17 diz: "15 Não amem o mundo [a mentalidade dele] nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."
O que vimos e ouvimos afeta o coração, é impossível separar os dois. Se queremos ter como nosso objetivo conhecer a Cristo mais pessoalmente, se gostaríamos de pregar a Cristo de forma mais poderosa. Por exemplo, se um pastor (ou líder cristão) enche sua mente com o mundo durante toda a semana e espera que o Espírito de Deus fale ousadamente por ele a partir do púlpito, ele vai está redondamente equivocado. E.M. Bounds disse: "O sermão não pode subir as forças vivificantes acima do homem. Os homens mortos geram sermões mortos e sermões mortos matam. Tudo depende do caráter espiritual do pregador".
Os cristãos carnais dão a Deus o "que lhe é devido" (algumas horas no domingo), mas esquecem-se ao Seu chamado para "sair do meio deles (o mundo) e ser separado." Cada dia da semana o mundo está influenciando você? Em que sua dieta mental consiste? Com quem você sai? O que e quem, você ouve? O seu coração está definido para as coisas de Deus ou para a influência do mundo? Um simples olhar rápido de seus "curtis" e posts no Facebook revelam o que você tem realmente dado valor.
Compromisso também engana. Tiago 1.22 nos lembra que se ouvirmos a Palavra de Deus sem obedecê-la estamos enganando a nós mesmos ... estamos enganados. O poder da Palavra de Deus está na aplicação. Além dos não cristãos, são os cristãos que estão se assistindo aos filmes  repletos de cenas sexuais explícitas e violentas que as deixam no "Top 10", ao não aplicar a pureza em suas vidas. São os cristãos que são viciados em pornografia que estão fomentando a indústria deste tipo de filmes.
Não podemos amar a Cristo e este mundo. A carnalidade destrói nosso relacionamento com Cristo e a genuína comunhão com outros crentes. Destrói nossa vida de oração também. O cristão carnal não ora, não adora, nem busca realmente o coração de Deus. A vida de oração profunda expõe fachadas e esmaga a hipocrisia. A carnalidade também destrói o poder espiritual e impede o enchimento do Espírito. Ela também afeta a nossa vida em casa. Em suma, tudo o que Deus nos chama a ser está comprometido.
Ser seletivo com o que ver e ouvir não tem nada a ver com legalismo; mas tem tudo a ver com sabedoria. Devemos reconhecer o que glorifica a Cristo e o que claramente não e em seguida, escolhamos viver de acordo. A graça não nos isenta de responsabilidade. Nós, na verdade, vivemos sob um padrão mais elevado quando a graça orienta nossas decisões, não as regras. Não se trata de seguir regras. Deixe sua liberdade em Cristo, e um relacionamento com Ele, orientá-lo. Todos nós já assistimos materiais questionáveis e fizemos escolhas erradas; não vivemos pesarosos por isso. Mas não justifiquemos o comportamento errado ao pensar que Deus não se importa com o que você vê ou ouve, Ele sem importa sim. Devemos servir e amar a Deus com a nossa mente. (Ver Romanos 7.25.).

(*) Shane Idleman é o autor da série de livros "What Works" e do  "One Nation Above God"

Publicado no Charisma News
Tradução Notícias Cristãs