Pages

sábado, 25 de agosto de 2012

Pastor da Assembleia de Deus é acusado de pedofilia

0 comentários
A denúncia foi feita pelo pai de uma adolescente que está gravida. O suspeito, de 61 anos, confessou que mantinha relações sexuais com a garota.
Um pastor que trabalhava em uma igreja da Assembleia de Deus, próxima ao terminal Rodoviário, foi encaminhado para a Delegacia, na noite de ontem (24), acusado de pedofilia. Cesar Antônio Caetano, de 61 anos, confessou que mantinha relações sexuais com a adolescente E.K.M.T, de 16 anos e pode responder por estupro. A garota está gravida e o pastor é apontado como o pai da criança.
De acordo com o tenente Rodrigues, o pastor confessou o fato. “Ele confirmou que mantinha relações sexuais com essa adolescente desde que ela tinha 14 anos de idade. Agora ele vai prestar esclarecimentos para o delegado de polícia”, diz.
A denúncia foi feita pelo pai da adolescente, Carlos Roberto Teixeira. “Devido ele fazer esse mal para a minha menina eu corri atrás, chamei a polícia e ele confessou. Ele tem 61 anos, minha menina 16. Por isso chamei a polícia porque fiquei com medo de ele fazer alguma coisa com ela”, diz.
“Estoura a gente por dentro é um pedaço que vai embora. Uma menina nova que acaba com a vida. Agora quero é justiça pra ver no que vai dar, porque não pode deixar do jeito que está. E se tiver mais meninas?”, questiona o pai da adolescente.
Carlos Roberto diz que desconfiava dos encontros entre a filha e o pastor, mas não tinha provas. “Eu já vinha seguindo ela, já vi ela saindo da igreja, mas ela falava que estava fazendo faxina. Muita gente me ligou falando ‘desce aqui que você vai ver’, mas eu ia lá e ela falava que tinha ido pagar uma conta pra igreja ou fazer faxina. E ela não confessava”, destaca.
O pai teme que o relacionamento da filha com o pastor, 45 anos mais velho, prejudique a vida da garota. “Eu não ia deixar isso barato, por isso que tomei essa decisão. Um homem desses, de 61 anos, com uma menina de 16, que futuro que ela vai ter? Acaba com a vida dela. Agora vamos ver o que vai ser. É entregar pra Deus que ele toma conta”, afirma.
A Polícia Civil vai abrir inquérito para apurar o caso. “Vamos averiguar como aconteceu o fato. Aparentemente é um crime de estupro e ele deve responder em liberdade”, diz o delegado de plantão Luiz Antônio da Costa. Caso a Polícia Civil entender que há a necessidade o pastor pode ser preso preventivamente. O acusado é casado e tem três filhas.

Diário de Araxá

Comentários
0 Comentários

0 comentários: