Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Revista adia publicação de estudo de papiro que cita 'mulher' de Jesus

Revista da Universidade Harvard divulgaria pesquisa em janeiro de 2013.
Texto escrito em língua antiga do Egito vai passar por testes laboratoriais.
A revista científica "Harvard Theological Review" vai adiar a publicação de um estudo da Universidade Harvard, nos EUA, sobre um papiro que pode sinalizar que Jesus Cristo tinha uma mulher.
O objetivo é submeter o fragmento de texto a análises laboratoriais independentes e mais detalhadas para comprovar sua autenticidade, segundo informou o diretor de comunicação da Faculdade de Teologia de Harvard, Kit Dogson, ao site LiveScience. Todos esse processo pode levar de semanas a meses.
A pesquisa da autora Karen King deveria ser publicada na edição de janeiro de 2013 da revista. Na opinião de Hershel Shanks, da Sociedade de Arqueologia Bíblica, a retirada do documento é "vergonhosa".
Segundo a autora, o papiro não prova que Jesus era casado, mas mostra que toda essa questão só surgiu como parte de debates vociferantes sobre sexualidade e casamento. Ainda de acordo com Karen, o que o documento apresenta é que o estado civil de Jesus não era um tabu para os cristãos da época. "Desde o início, cristãos discordaram sobre se era melhor não casar, mas levou mais de um século após a morte de Jesus até que eles começassem a apelar para o estado civil dele como um apoio a seus argumentos", disse.
O papiro tem 4 cm de altura por 8 cm de largura, é possivelmente do século IV e está escrito em copta, língua falada por um grupo de cristãos do Egito na época do Império Romano. É nesse idioma que estão escritos os dizeres: "Jesus disse a eles, minha esposa...".
O material foi apresentado pela primeira vez em setembro, na Itália. Após o anúncio, estudiosos céticos e o Vaticano se manifestaram dizendo que o documento é falso.
Andrew Bernhard, autor do livro "Outros evangelhos dos primeiros cristãos", afirmou ter encontrado uma estranha semelhança do texto com uma tradução online do Evangelho de Tomé, considerado apócrifo, ou seja, não reconhecido como verdadeiro pela Igreja Católica.
O fragmento chegou até a autora pelas mãos do dono dele, que mora nos Estados Unidos e preferiu não se identificar. Por isso, pouco se sabe sobre a descoberta. Os especialistas sabem apenas que o papiro foi escrito em um livro – e não em rolo, pois há inscrições dos dois lados – e que provavelmente é original do Egito, por estar em copta.
Especialistas nessa língua traduziram oito linhas do papiro, cujas frases estão cortadas nas duas extremidades:
1 – ...não (para) mim, minha mãe me trouxe à vi(da)...
2 – Os discípulos disseram a Jesus: "...
3 – ...negar. Maria é digna de (ou Maria não é digna de)
4 – ..."Jesus disse-lhes, "Minha esposa ...
5 – ...ela será capaz de ser minha discípula...
6 – Deixe que as pessoas pecaminosas inchem...
7 – Quanto a mim, eu moro com ela a fim de...
8 – ...uma imagem...

G1
Tecnologia do Blogger.