Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Encontro explica posição evangélica sobre aborto

Jurista diz que a vida é o principal bem do Direito e que se ela não há liberdade civil fundamental.
Durante a realização do 1º Encontro Nacional de Juristas Evangélicos (Enajure), evento promovido dentro da 15ª edição do Encontro para a Consciência Cristã, Uziel Santana, presidente da Enajure, explicou durante a conferência realizada na manhã de ontem, no Centro de Convenções Raimundo Asfora, em Campina Grande, os motivos do posicionamento contrário da comunidade cristã evangélica às questões relacionadas ao aborto. Segundo o jurista, a vida é o principal bem do Direito e sem ela não há como cultivar as liberdades civis fundamentais.
Pelo que apontou Uziel Santana, a contrariedade acerca de temas como injustiça social, corrupção, violência contra as crianças, além do aborto, estão inseridas no âmbito das proposições legislativas em defesa da vida, da família e da liberdade religiosa no Brasil. Ele destacou que estes são temas que não estão relacionados apenas às discussões entre os evangélicos e que toda sociedade deve dar sua parcela de contribuição para que haja um entendimento melhor e a valorização da vida.
“Como cristãos somos contra o aborto porque ele é um assassinato do feto. Entendemos que o feto não tem direito de defesa e, portanto, isso é assassinato. Está é uma posição fechada nossa, mas este é um tema que toda a sociedade precisa apreciar, porque a vida é o principal bem do direito”, destacou o presidente do Encontro Nacional de Juristas Evangélicos que, pela primeira vez, está sendo realizado em Campina Grande.
O jurista ainda apontou que, dentro do tema principal do encontro, as liberdades civis fundamentais também estão assuntos relacionados às violações à dignidade infanto-juvenil, autorizando o abuso e a corrupção e crianças e adolescentes, além da reforma técnica do Código Penal brasileiro. Segundo o presidente da Enajure, a sociedade precisa se unir contra a injustiça social, a corrupção e os problemas sociais. “Essas discussões não se encerram aqui. Elas serão prolongadas em outros momentos durante o ano”, destacou Uziel Santana.

Jornal da Paraiba
Tecnologia do Blogger.