Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Fundador da Igreja Maradoniana aprova papa e vê trilogia com Lionel Messi

O argentino Hernán Amez divide o tempo entre A.D. e D.D. (Antes e Depois de Diego). Ele celebra a Páscoa no dia 22 de junho, comemora o Natal em 30 de outubro e termina sua oração diária com “livrai-nos de Havelange e Pelé. Diego”.
Fundador da Igreja Maradoniana, o jornalista de 43 anos aprova a escolha do compatriota Jorge Mario Bergoglio como papa e vê uma espécie de Santíssima Trindade formada por Francisco, Lionel Messi e o D10S, maneira como se refere ao ex-jogador.
“O futebol envolve muita fé, algo fácil de perceber quando um atleta faz o sinal da cruz ou comemora olhando para o céu. Ter um papa como o Francisco, alguém fortemente vinculado ao esporte, porque já demonstrou seu fanatismo pelo San Lorenzo, é algo positivo para torcedores e jogadores. Esperamos que ele tenha uma imagem conciliadora para que a violência que temos visto no esporte nos últimos tempos diminua”, afirmou Amez.
Idealizada em Rosário no ano de 1998, a Igreja Maradoniana conta, segundo seu fundador, com mais de 250 mil seguidores em aproximadamente 80 países, inclusive no Brasil. Na cidade argentina, os fiéis se reúnem periodicamente para ritos como batismos e casamentos. As principais celebrações são realizadas em 30 de outubro, data de nascimento de Maradona, e 22 de junho, dia em que o então camisa 10 usou a mão de Deus para fazer um gol diante da Inglaterra, nas quartas de final da Copa do Mundo do México-1986.
Sucessor de Joseph Ratzinger, Jorge Mario Bergoglio é filho de um ex-jogador de basquete e torcedor do San Lorenzo de Almagro, tradicional clube de futebol. Ao noticiar a nomeação do novo papa, parte da mídia argentina recordou o gol anotado por Maradona diante dos ingleses no México. Ainda que aprove a escolha do pontífice, Hernán Amez garante que o episódio que entrou para a história como “La Mano de Dios” é mais significativo.
“Muitos estão falando que a escolha do papa Francisco é ‘A Nova Mão de Deus’, dizem que é ‘A Outra Mão de Deus’. Acho que eles têm razão. Essa pode ser mesmo ‘A Outra Mão de Deus’, mas a primeira foi muito mais festejada”, afirmou Amez, batizado como católico. “O Maradona é um deus terrenal. Há um costume muito tradicional nas religiões de olhar para Deus somente para pedir. No nosso caso, apenas agradecemos”, explicou.
A Igreja Maradoniana tem princípios parecidos com o catolicismo, como 10 Mandamentos, entre os quais “amar o futebol sobre todas as coisas” e “difundir os milagres de Diego em todo o universo”. A entidade não conta com uma sede física e deve parte da popularidade à Internet, mas atualmente seu site está fora do ar, uma vez que os fundadores já se cansaram dos seguidos ataques de hackers, contrários à religião inusitada.
Diferentemente de Francisco, Hernán Amez, o papa maradoniano, já teve a chance de conhecer seu D10S, capaz de unir diferentes credos. “Quando o Bergoglio foi consagrado papa, também apareceram algumas divisões na Argentina. As questões políticas e de fé influenciam. Os que não são católicos, por exemplo, não participaram dessa celebração. Por isso, digo que o Maradona, em seu momento, conseguiu unificar a felicidade de todo um povo, independente das crenças”, comparou.
Campeã mundial nas temporadas de 1978 e 1986, a Argentina não ganha um título relevante desde 1993, quando faturou a Copa América do Equador. Com a Santíssima Trindade formada por Diego Armando Maradona, Lionel Messi e Francisco, Hernán Amez espera que a seleção do técnico Alejandro Sabella consiga quebrar o incômodo jejum, possivelmente na Copa de 2014, a ser disputada justamente no Brasil.
“Nós já lemos o Antigo Testamento, escrito pelo Diego, e agora estamos vendo o Messi escrever o Novo Testamento. Ele é o Messias e está escrevendo o Novo Testamento para a Igreja Maradoniana. Como papa, o Francisco passa a fazer parte de uma trilogia ao lado de Maradona e Messi, dois jogadores com áurea divina. Estamos esperançosos de que a seleção argentina consiga dar felicidade ao povo que tanto espera por isso”, afirmou Amez, ansioso para finalmente ver a fumaça branca.

Gazeta Press via Superesportes
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.