Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Sex shops para evangélicos chegam ao Brasil para atrair casais que querem fugir da rotina

Diferença entre os sex shops tradicionais está nos produtos vendidos: sem itens para homossexuais ou sadomasoquismo.
Casais evangélicos estão quebrando tabus relacionados a sexo e sensualidade. Para incrementar a relação entre cônjuges, muitos buscam sex shops voltados para o público cristão. Essas lojas são comuns no Estados Unidos e Europa, e ganham cada vez mais espaço no Brasil. O mineiro Maicon Santos é pioneiro nesse segmento. Há oito meses ele fundou o site 'Sex Shop Gospel', uma loja virtual que vende produtos eróticos dedicados ao público evangélico. Santos diz que o que difere a loja gospel das demais é a venda de apetrechos que podem ser usados somente por casais. Ele também explica que outra diferença é a loja ser online. Segundo ele, os clientes têm mais liberdade para comprar pela internet.
"Não temos produtos para solteiros, homossexuais ou de sadomasoquismo. Trabalhamos com produtos 'leves', usados por casais", pontua.

Novidade no Estado
No Espírito Santo o assunto ainda é uma novidade, mas já ganha alguns adeptos. Prova disso é o sex shop Noite Perfeita, localizado na região do Parque Moscoso, em Vitória. A loja não é gospel, mas é de propriedade de um casal evangélico. Victor Souza e Izabeli de Castro Andrade inauguraram o espaço pensando em ajudar os casados a não deixarem a relação cair na rotina."O casamento é uma dádiva de Deus e o sexo com amor é uma manutenção dessa relação. Infelizmente, muitos se unem, mas com o passar do tempo, perdem essa essência e deixam a sua relação cair na rotina. Foi por isso que resolvemos abrir um negócio assim", conta Izabeli.
Ela explica que a escolha do local para abrir a loja foi intencional. O estabelecimento fica perto de várias lojas de artigos para noivas, região onde, segundo Izabeli as pessoas estão preocupadas em começar e cuidar da vida a dois.
A vendedora Ariana Santos Silva, 27, sempre vai ao sex shop e garante que comprar lingeries e se arrumar para o marido faz parte do relacionamento de um casal. Ela diz, também, que o que o casal faz entre quatro paredes não é pecado quando feito com respeito. "Desde que você esteja na presença de Senhor e faz as coisas certinhas, eu não acho que é pecado", argumenta.

Nem tudo é liberado
Apesar de todas as liberações, há algumas ressalvas sobre o que permitido nas relações sexuais. O Pastor Abílio Rodrigues, da Igreja Batista da Restauração, explica que aparelhos vibratórios, produtos anais e apetrechos que firam a santidade do casamento não são aconselháveis. Mas ele dá liberdade à criatividade."Cremos que a criatividade pode ser exercida no casamento, só não pode é cair na pornografia", explica.
Há dois anos, durante um encontro de casais, o pastor Abílio levou os maridos que participavam do evento a um sex shop. O objetivo era que os homens presenteassem suas esposas e tornassem a relação sexual mais alegre.
O pastor conta que a ideia foi muito bem recebida pelos participantes e eles compraram aquilo que queriam ver em suas esposas. O pastor ainda brinca e cota que tanto o marido, quanto a mulher ganharam seus presentes.

Gazeta Online via Surgiu
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.