Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Evangélicos de Aparecida querem manter rotina durante visita do Papa

De acordo com o IBGE, 11% da população da cidade é evangélica.
Templos evangélicos vão manter rotina de cultos e orações nesta quarta.
Evangélicos que moram em Aparecida pretendem manter a rotina durante a visita do Papa Francisco nesta quarta-feira (24). Cultos e a rotina de orações e louvor não devem ser interrompidas nos templos evangélicos.
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) de 2010, na capital da fé, 85% dos habitantes da cidade são católicos, enquanto 11% são evangélicos. Apenas 0,4% são espíritas e 1,8% não tem religião.
Além da maioria da população ser católica, Aparecida é destino de mais de 11 milhões de romeiros por ano e, consequentemente, tem na religião católica o carro-chefe da economia na cidade.
Na Assembleia de Deus Bom Retiro, comandada pelo pastor Alcir de Souza Siqueira, 51 anos, os cerca de 300 fiéis devem se reunir às 20h do próximo dia 24 para um culto. Mais cedo, o pontífice vai passar de papamóvel em frente ao templo.
"Para nós vai ser um dia normal. Apesar do Papa ser um autoridade eclesiástica, não é o líder da nossa religião. Então, se ele passar aqui em frente e eu estiver no templo, pode ser que eu saia para observá-lo, mas só por curiosidade", afirmou o pastor ao G1.
Ele disse ainda que nenhuma orientação foi dada aos fiéis sobre a presença ilustre. "Isso é a critério de cada um, se alguém tiver a curiosidade de ir ver, tudo bem. Nós respeitamos o Papa Francisco", disse o líder do templo evangélico que fica no centro, na mesma rua do Seminário Bom Jesus, onde o papa vai repousar após a missa no Santuário Nacional de Aparecida, maior templo católico do país.
A evangélica Mônica Rocha Romero, de 32 anos, convertida a religião há cerca de 10 anos, avalia que a visita do Papa é positiva para a economia da cidade, mas diz que não haverá interferência da visita do pontífice nas atividades da igreja, que fica no Jardim Paraíba.
"Nossas orações serão para que tudo ocorra bem. A visita do Papa é tratada com naturalidade e respeito na igreja que eu frequento. Não tenho a curiosidade de ir vê-lo porque somos contra a idolatria, seja de imagens ou de pessoas. Nosso líder é Jesus", explicou a dona de casa que cresceu dentro da igreja católica e foi membro do movimento carismático Canção Nova.
Membro da Igreja Cristã Maranata, Hilton Bruno Mendes Carvalho diz que a visita do Papa não deve interferir na rotina. "Vou trabalhar normalmente e a noite vou à igreja. O Papa é uma autoridade e um líder, portanto acho normal que quem professa a fé católica vá vê-lo. Eu não vou, nem por curiosidade, porque não vejo um significado religioso nisso para mim", disse.
O pastor Adilson José de Lima Castro da Igreja Apostólica do Evangelho Pleno, que fica no bairro Santa Rita, sinaliza que a visita do Papa será um dia de muito trabalho, sobretudo para ele que é comerciante na cidade. "Vou trabalhar muito para recepcionar nossos irmãos católicos. Mas fora isso será um dia normal, com um culto na igreja à noite. Acho que nossos fiéis são livres, quem quiser, pode ir ver o Papa, sem problema", garantiu o líder religioso. Adilson é vereador em Aparecida e proprietário de um hotel e um restaurante na cidade.

G1
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.