Header Ads



ATUALIZADAS
recent

"Será que quero que Deus leia o meu tweet?" - Os nove "mandamentos" para os anglicanos internautas

A diocese de Bath & Wells, no Reino Unido, publicou os nove "mandamentos" para os anglicanos que usam as redes sociais, como o Twitter.
"Cabe-me a mim partilhar esta história?", Será que quero que a minha mãe leia isto?", "Será que quero que Deus leia isto?" ou "Será que quero isto na primeira página de um jornal". Estas são algumas perguntas que os anglicanos que usam o Twitter devem fazer antes de publicar uma nova mensagem, segundo a diocese. O primeiro "mandamento" é por isso: "não se apresse."
"Este guia de boas práticas foi compilada para ajudar o clero, titulares de cargos e restantes trabalhadores já ativos nas redes sociais (ou a pensar nisso) a cumprir, com confiança, o seu papel como embaixadores das suas paróquias, da igreja e da fé cristã", diz o documento com esta espécie de nove "mandamentos". O segundo mandamento é "transitório mas permanente" e lembra que apesar da publicação de uma mensagem ser imediata, ela ficará sempre online, mesmo quando seja apagada, já que pode já ser sido republicada por alguém ou citada.
O terceiro mandamento lembra aos membros da igreja que são seus "embaixadores", pelo que se quiserem falar sobre um assunto da igreja devem deixar bem claro que essa é a sua opinião pessoal e não da igreja. O que vai de encontro a outro mandamento, que se prende com a diluição das fronteiras entre vida privada e vida pública. A sugestão, para quem desempenha um papel ativo na igreja (um padre, por exemplo) pode ser criar diferentes perfis: um pessoal e outro profissional Outro mandamento é "não se escondam", sendo uma crítica aos comentários anônimos nas redes sociais.

DN Globo
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.