Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Meiriam está livre!

Hoje fotos foram tiradas de Meriam e sua família chegando com segurança na Itália.
Meriam que foi condenada à morte por sua recusa em renunciar à sua fé cristã tinha sido libertada da prisão no Sudão, mas foi detida antes de sair do país. Agora podemos finalmente dizer, Meriam está livre.
A televisão italiana mostrou Meiriam, 27 anos de idade, deixando a aeronave no aeroporto de Ciampino, em Roma acompanhada por seu marido, dois filhos e vice-ministro da Itália, dos Negócios Estrangeiros, Lapo Pistelli.
Meiriam Ibrahim foi sentenciada a 100 chibatadas por adultério e à morte por apostasia, em maio, o que provocou uma campanha internacional para suspender a sentença de morte. Mais de um milhão de pessoas apoiou uma campanha da Anistia Internacional, juntamente com David Cameron, o primeiro-ministro britânico, e o ativista dos direitos civis EUA, Jesse Jackson entre outros líderes mundiais, que clamavam por sua libertação.
Enquanto no corredor da morte, Ibrahim, uma graduada no Sudão na faculdade de medicina da Universidade, deu à luz presa, em maio. Foi um parto difícil, pois suas pernas estavam em cadeias e Meiriam estava preocupada que a menina pudesse precisar de apoio para andar.
Meiriam foi informada de que sua sentença de morte seria adiada por dois anos para permitir que ela amamentasse seu bebê.
Sob o código penal sudanês, os muçulmanos estão proibidos de trocar de fé, e as mulheres muçulmanas não têm permissão para se casar com homens cristãos.
Durante seu julgamento, em Cartum, ela disse ao tribunal que ela tinha sido criada como cristão, e se recusou a renunciar à sua fé. Ela e Daniel Wani - um cidadão americano - se casaram em 2011, o Tribunal decidiu que a união era inválida e que Meiriam era culpada de adultério.
Suas convicções, frases e detenção na prisão feminina de Omdurman, enquanto grávida e com sua criança encarcerado ao seu lado causou indignação internacional. Depois que um tribunal de recursos revogou a sentença de morte, Meiriam, Wani, e seus dois filhos tentaram sair no mês passado, mas foram novamente presos. O governo sudanês acusou-os de tentar sair do país com documentos falsos, impedindo sua partida para os EUA.
O advogado dela, Mohaned Mostafa, disse que não tinha sido informado de sua partida na quinta-feira.
"Eu não sei nada sobre essa notícia, mas até agora a queixa que foi apresentada contra Meriam e que a impede de viajar de Sudão não foi cancelada", disse Mostafa à Reuters.
Meirian e sua família estão hospedados na embaixada dos EUA em Cartum.

The Guardian
Tradução livre do Notícias Cristãs
Tecnologia do Blogger.