Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Francisco não faz aumentar o número de católicos na América Latina, diz pesquisa

América Latina possui mais de 425 milhões de fiéis na Igreja, que representam quase 40% da população católica do planeta
Mesmo sendo o primeiro Papa latino, Francisco não traz mais fiéis para a Igreja no continente
O papa Francisco tem uma imagem extremamente positiva na América Latina, mas isto não impede a contínua queda do número de adultos que se declaram católicos, de acordo com uma pesquisa realizada em 18 países.
O estudo do instituto PEW Research mostra que atualmente apenas 69% dos adultos se identificam como católicos na região.
A América Latina possui mais de 425 milhões de fiéis na Igreja, que representam quase 40% da população católica do planeta, mas o número de fiéis que procuram outra denominação religiosa aumenta de maneira sustentada, em sua maioria para denominações protestantes.
A pesquisa PEW revela que 84% dos latino-americanos adultos afirmam que foram criados dentro do catolicismo. Como 69% deles professam a religião, a dedução é de que 15% procuraram outras igrejas.
No sentido contrário, segundo o estudo, 9% dos latino-americanos afirmam que foram criados como protestantes, mas na idade adulta 19% deles se reconhecem em uma de suas denominações, o que ressalta a transição religiosa.
"Em cada país pesquisado, a Igreja Católica registra perdas por causa da mudança religiosa, já que muitos latino-americanos se uniram a igrejas protestantes evangélicas ou simplesmente rejeitaram uma religião organizada", destacou o instituto.
Neste quadro, aproximadamente um em cada quatro nicaraguenses, um em cada cinco brasileiros e um em cada sete venezuelanos se declaram como ex-católicos"
Estas pessoas deixaram o catolicismo e se voltaram para uma série de denominações e igrejas independentes que, em geral, são consideradas protestantes.
O estudo considera protestantes os batistas, adventistas, metodistas, luteranos e presbiterianos, assim como as igrejas pentecostais. Estas últimas reúnem quase metade dos fiéis, com a igreja Assembleia de Deus como a mais citada.
Na Colômbia, por exemplo, 74% dos declarados protestantes afirmam que foram criados como católicos.
Questionadas sobre as razões da mudança da Igreja Católica para uma denominação protestante ou evangélica, muitas pessoa citaram a "busca de uma conexão pessoal com Deus" (81%) ou a preferência por um tipo de ritual em sua nova igreja (69%).
O PEW destacou que, em geral, a América Latina abraçou o papa Francisco (o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, um jesuíta), que tem uma imagem muito favorável, que em seu país natal chega a 91% dos entrevistadoss.
"Mas Francisco não impressiona a todos por igual", afirma o estudo. Entre o contingente dos declarados ex-católicos, quase metade expressa apoio ao pontífice ou considera seu papado uma mudança para a Igreja Católica.
Na Argentina, por exemplo, 91% dos adultos têm opinião favorável a Francisco, contra 3% que apresentam uma visão negativa. Na Guatemala, porém, o papa tem 54% de opiniões favoráveis e 17% contrárias, com 28% de pessoas sem uma opinião formada.

Publicado originalmente no Terra
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.