Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Esposa de pastor recebe multa por “orar muito alto” nas ruas; Moradores a acusaram de “gritar” em frente às casas

Esposa de pastor recebe multa por “orar muito alto” nas ruas; Moradores a acusaram de “gritar” em frente às casas A esposa de um pastor foi multada por orar gritando nas ruas de Lisbon, cidade do estado norte-americano da Dakota do Norte.
Martha Nagbe foi condenada pelo Tribunal da cidade a pagar uma multa de US$ 150 por causa das orações “muito altas”, que foram consideradas uma “contravenção”.
De acordo com o Christian Post, a esposa do pastor Juwle Nagbe, disse que pagaria a multa, mas não deixaria de expressar sua fé em Deus por entender que seus direitos como cidadã estavam sendo violados.
Juwle e Martha Nagbe são liberianos, e imigraram do continente africano anos atrás. Hoje, já são naturalizados norte-americanos e Juwle é dirigente da congregação da Igreja Metodista Unida na cidade.
“Eu não posso parar. Eu estou confiando em Deus”, disse Martha Nagbe em entrevista a uma emissora de TV da região.
A evangélica disse que a Polícia da cidade havia dito a ela que parasse de orar no centro da cidade e nos bairros, porque os moradores a acusavam de “perturbar a paz”. Na entrevista, Martha disse que tomou a advertência como uma contradição do que o país diz ser a democracia.
No entanto, a xerife da cidade disse que a contravenção de Martha não era a oração em público, mas sim o volume das preces: “Quero dizer, todos nós precisamos de orações e é ótimo que ela esteja lá fora, orando por todos nós. Mas é apenas o volume de sua voz que precisa abaixar”, disse a oficial Jeanette Persons.
Jeanette afirmou que não é correto dizer que os direitos de Martha Nagbe estão sendo violados pois a multa aplicada não aconteceu por causa de sua etnia, religião ou por expressar suas ideias, mas sim, por fazer barulho e, segundo alguns moradores, ficar “gritando” na porta de suas casas.
A xerife disse que sugeriu à evangélica que abaixe a voz como sinal de sua intenção de resolver os problemas de forma pacífica.
O marido de Martha lamentou que a situação tenha se tornado tão controversa: “Eles a antagonizam, para fazê-la parecer uma pessoa ruim e isso às vezes me deixa irritado. Alguém deveria dar a ela o respeito que ela merece”, disse o pastor Juwle Nagbe.

Publicado no Gospel +
Tecnologia do Blogger.