Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Site de relacionamento evangélico auxilia fiéis a encontrarem o par perfeito

Antonio Junior é o consultor do “Divino Amor” e diz receber cerca de 10 e-mails por dia com dúvidas a respeito do site
Um dos mais famosos do País é o "Divino Amor", com quase 2 milhões de cadastrados. Pastor Antonio Junior presta consultoria e explica como funciona.
Conhecer alguém que se alinhe com as nossas expectativas pode ser tão incrível quanto raro, ainda mais quando existem pré-requisitos inarredáveis de um lado ou de outro. É o caso de religiosos que consideram fundamental encontrar no parceiro uma devoção semelhante à sua religião. Para auxiliar nessa busca pelo par perfeito, que pode ser por vezes difícil em meio a uma sociedade tão multifacetada, uma ferramenta tem ganhado força: os sites de relacionamento cujo filtro principal é justamente o mais importante para os fiéis que sonham em namorar e casar.
É o caso do “Divino Amor” (www.divinoamor.com.br), portal de relacionamento voltado para evangélicos, possivelmente, um dos públicos religiosos mais exigentes. Com quase 2 milhões de usuários cadastrados, chega a ter 10 mil usuários online ao mesmo tempo. O pastor Antonio Junior, da Igreja Presbiteriana de São Seb. do Paraíso (em Minas Gerais) é o consultor oficial do “Divino Amor”, e defende-o como uma ferramenta válida para se conhecer gente do meio evangélico.
“É possível fazer filtros pela região, pela idade, pelos valores, pela igreja que se frequenta. A pessoa pode conversar bastante, sendo essa uma chance que ela tem de conhecer outras sem se envolver sentimentalmente. É preciso conhecer primeiro de forma racional. Perguntar bastante e também se perguntar se aquela é a pessoa que você quer”, afirma.
Além de consultor do site, pr. Antonio Junior trabalha junto aos jovens de sua igreja. Esses de certo são os mais apressados para namorar, pelo fato de o evangélico ter o casamento como uma instituição divina e a família como plano de Deus. “Eles têm dúvidas, como ‘será se devo esperar’, ‘será que Deus tem uma só pessoa para mim’, etc. A gente aconselha a moçada mais nova a esperar um pouco, porque é difícil o relacionamento ir até o casamento quando começa cedo”.
Mas quando há mais maturidade, esta deve ser preservada no momento em que o evangélico fizer o seu cadastro no site. “Não se deve passar dados pessoais de primeira. Se possível, pegar nome da pessoa e analisar pelo Facebook os amigos, sua relação com a família e conversar bastante. Depois, marcar um encontro em um local público. De repente na igreja”, sugere.

Com o pé atrás
No início de sua consultoria para o “Divino Amor”, o pastor esbarrou em fiéis com algumas ressalvas em relação ao site. Alguns, desconfiados, lhe questionaram a respeito da segurança, da viabilidade e até mesmo se era algo correto perante aos olhos de Deus. Diante do número de casos bem-sucedidos (chega até o conhecimento dos administradores do site uma média de 2 a 3 testemunhos de casamentos/ noivados por mês), o pastor é só elogios. “Ficamos satisfeitos de ver que estamos ajudando”, diz.
A dúvida, claro, não permanece só dentro da igreja de Antonio Junior. Partindo da perspectiva de que se deve esperar o parceiro enviado por Deus, e não “colocar a carroça na frente dos bois”, assim pensa a estudante Larissa Seixas, frequentadora da Igreja Assembleia de Deus Madureira.
“Eu não usaria. Para mim, é passar por cima das coisas. Se eu estou esperando, devo esperar e não sair do natural indo lá procurar. O ‘esperar’ não quer dizer ficar sentado de pernas cruzadas, e sim, seguir sua vida sem ansiedade”, explica Larissa, acerca de sites de relacionamento evangélicos em geral. Em seu entendimento, a intimidade deve ser construída aos poucos.
“Quando aceitei Jesus, aprendi que a pessoa que vai casar comigo precisa ser meu amigo, portanto, tem de ser alguém do meu convívio”, sentencia.

Ou uma surpresa boa
Já Krishna Pennutt, também da Igreja Assembleia de Deus Madureira, ressalta o livre arbítrio e diz acreditar que Deus pode unir pessoas das mais diversas formas que alguém possa imaginar.
“Nem sempre é Deus quem escolhe a pessoa exata que um dia você vai namorar ou casar. Pode ser que eu escolha alguém e Deus aprove ou não. Não significando que foi Deus quem não quis, mas que eu também fiz a escolha errada”, opina, endossando a tentativa por meio de sites como o “Divino Amor”.
“Acho bacana, porque podem surgir não só relacionamentos afetivos, mas amizades. Ou também pode sair um casamento que vai durar a vida inteira. É uma ferramenta interessante”.

Cadastro minucioso
O “Divino Amor” foi fundado em 2009. Para garantir que os usuários possuam perfis bem completos e centrados em questões religiosas, eles devem fazer o cadastro respondendo cerca de 100 perguntas. O cadastro, em si, é gratuito, porém é preciso pagar para poder conversar com os usuários que lhe interessarem. Os valores mensais de assinatura variam entre R$19,99 (semestral) e R$ 79,99 (mensal).

Perfil dos usuários

Idade
18 a 34 anos – 25%
34 a 49 anos – 50%
Mais de 50 anos – 25%

Sexo
Mulher – 61%
Homem – 39%

Denominações
30% Assembleia de Deus
20% Batista
50% Outros

Distribuição geográfica
Sudeste – 73%
Sul – 9%
Nordeste – 8%
Outros – 10%

Publicado em A Crítica
Tecnologia do Blogger.