Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Após pressão, prefeito irá substituir estátua 'do coisa ruim' por Bíblia

Prefeito de Nova Olímpia (MT) diz que sofreu pressão por parte de religiosos.
Autor da obra 'A Guardiã', colocada no local em 2013, se diz indignado.
Uma escultura produzida com sucatas de ferro velho foi retirada de um canteiro em Nova Olímpia, a 207 km de Cuiabá, após quase três anos de exposição. O prefeito do município, Cristóvão Masson (PP), afirmou que a retirada se deu após pressão dos moradores, principalmente, dos religiosos, que chegaram a afirmar que a escultura seria “a representação do coisa ruim”. A arte será substituída por uma Bíblia de concreto, segundo ele.
O monumento criado pelo escultor Genival Soares foi inaugurado no dia 13 de maio de 2013 e retirado do na terça-feira (26).A nova obra deve ser executada em até 20 dias, conforme o prefeito.
'A Guardiã', como era chamada, estava fixada na entrada do município. Segundo o artista, a ideia da criação é representar “uma figura mitológica feminina que vigia o cruzamento de vias e a principal entrada do Centro de Eventos [da cidade]”.
A retirada desapontou o artista. Ele alegou não ter sido consultado pelo prefeito. “A retirada aconteceu de forma espontânea e brusca, com a ajuda de um trator. Fiquei indignado. Foi um descaso com tudo o que fiz. Se viessem falar comigo, eu aceitaria entrar num consenso e até retirar ela [escultura] de lá”, pontua.
A peça foi realocada para um pátio dentro da Secretaria de Obras do município. O escultor deve pegar a obra do lugar e revela pensar em colocá-la em frente a uma pizzaria de um amigo, que chegou a lhe pedir por isso.
O artista lembra que toda a construção foi autorizada e até que recebeu apoio na época. “Eu fiz [a obra] com a autorização da prefeitura. Meu objetivo era ornamentar os canteiros da cidade. Era um negócio que não teve gasto nenhum para a cidade, porque fui atrás de todo o material e realizei a montagem”, conta.
Genival ainda diz que a pressão para a retirada da obra aconteceu por falta de conhecimento. “Foi resultado de fanatismo e ignorância. São pessoas que não têm conhecimento do mundo artístico. A arte serve justamente para incomodar e fazer refletir”, defende.
Segundo o prefeito da cidade, a retirada da escultura não foi debatida porque avalia ser desnecessária. “A decisão foi minha. Não conversei com ele [Genivaldo] porque senti que não precisava. Eu que mandei colocar, então depois eu que mandei retirar também”, disse.
Masson argumenta que sofreu pressão da maioria das pessoas da cidade e que os grupos religiosos foram os que mais o influenciaram na tomada dessa decisão. “Fui detonado pela população. Tentei contornar a situação e deixei ela lá durante todo esse tempo. Vários segmentos religiosos pediram para que eu retirasse. Eles afirmaram que [a estátua] era do 'coisa ruim', que só chamava coisa negativa para a cidade”, comenta.
O prefeito explica que a nova escultura da Bíblia de concreto não foi debatida com a população e que não irá repensar sua colocação na entrada da cidade.
“É um livro de todas as religiões, das melhores e das piores. Vou colocá-la e não pretendo repensar, mesmo que algum grupo não goste”, defende.

Publicado em G1


Tecnologia do Blogger.