Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Pastor evangélico viola menina para lhe "tirar feitiço", vítima tem 12 anos


Uma menina de apenas 12 anos de idade foi várias vezes violada sexualmente pelo pastor do templo evangélico que frequentava, na cidade de Campos Novos, no estado brasileiro de Santa Catarina, depois de o religioso a ter convencido de que as violações eram uma forma de cura.
O pastor conseguiu manter relações sexuais com a menina convencendo-a de que ela estava possuída por um feitiço e que só o sexo "com um homem de Deus" poderia libertá-la.
As violações aconteceram entre Junho e Agosto do ano passado, mas só foram conhecidas publicamente esta quinta-feira, depois de o pastor, que é casado e tem filhos, ter sido preso.
Além da menina de 12 anos, o pastor tentou violar igualmente outras duas menores, uma de 15 e outra de 16 anos, usando o mesmo argumento, mas não conseguiu pois as famílias delas interferiram.
O delegado (inspetor) Luís Eduardo Machado Córdova, que comandou as investigações, contou que a menina violada repetidas vezes ficou calada durante meses porque o pastor, após as violações, lhe disse que, se ela contasse o caso a alguém, o feitiço a mataria.
Mas há algumas semanas a menina não suportou mais carregar o peso do trauma das violações sofridas e contou tudo à mãe, que procurou a polícia. Na sua narrativa, a menina contou que o pastor, que é o líder local da Igreja Mundial do Novo Nascimento em Cristo, em algumas visitas dela ao templo começou a assustá-la afirmando que alguém tinha feito um feitiço muito forte contra ela.
E que só havia um jeito de desfazer esse feitiço, manter relações sexuais sete vezes com um homem de Deus, que tinha de ser casado e ter uma família abençoada, ou seja, alguém como ele. A certa altura, a menina, apavorada, procurou o pastor e submeteu-se às violações, acreditando que realmente precisava submeter-se àquelas provações para continuar viva e ter uma vida feliz.
Tendo dado certo o seu plano, o pastor tentou então concretizá-lo com as outras duas menores, usando exatamente o mesmo argumento do feitiço, mas, dessa feita, através de um telemóvel comprado em nome de uma auxiliar do templo. Através desse telemóvel, o pastor fez-se passar por um rapaz que tinha estudado com as duas adolescentes e, por mensagens, disse-lhes que o pai dele era bruxo e que tinha feito um feitiço contra elas e que elas deveriam procurar o religioso para se aconselhar.
As duas adolescentes procuraram o pastor no templo e ele repetiu a história contada à menina de 12 anos de que só fazendo sexo com ele se libertariam, mas, talvez por serem mais velhas, elas não cederam e contaram às famílias.

Publicado originalmente em CM
Tecnologia do Blogger.