Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Isso é o que fala a teoria científica premiada que prova a existência de Deus


A ciência e a religião tem um longo histórico de confrontos e oposições ferrenhas ao longo de todo o processo civilizatório. Elas nunca se deram bem. E nessa queda de braço a impressão é que só podemos escolher um lado da moeda. Aqueles que tentam equilibrar-se entre as duas vertentes ainda são vistos com maus olhos. O que é mesmo um paradoxo é que ambos os lados sabem que não existe uma única verdade. A verdade em si é contraditória. Portanto, Shakespeare estava certo: “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia” seja ela religiosa ou científica.
Quem acredita nessa afirmação é um padre e cosmólogo polonês chamado Michael Heller, de 72 anos. Ele é a prova viva de que é possível pensar em Deus sob uma perspectiva científica e ele propõe ao mundo uma reconciliação entre as duas teorias.


Para os fanáticos da ciência que torceram os lábios em reprovação, devido à carreira profissional de Michael, é importante saber que ele e sua teoria que prova o casamento entre Deus e a ciência, foram vencedores do maior prêmio acadêmico do mundo, o “Templeton” estimado em 820 mil libras esterlinas (cerca de R$ 2,87 milhões), isso em 2008.
Os trabalhos de Heller estudam principalmente a origem do Universo, ou também conhecido como “Big Bang” baseando-se em conceitos da mecânica quântica, da geometria não-comutativa, assim como as teorias da relatividade.


Segundo matéria publicada pela rede britânica BBC, o professor não consegue compreender como as pessoas são tão radicais quanto as suas teorias. Para ele, a ciência e a religião são complementares e não excludentes.
“Invariavelmente eu me pergunto como pessoas educadas podem ser tão cegas para não ver que a ciência não faz nada além de explorar a criação de Deus,” ele explica.
E em seguida reitera que é possível ter uma visão equilibrada entre os dois mundos.
“A ciência nos dá o Conhecimento, e a religião nos dá o Sentido. Ambos são pré-requisitos para uma existência decente,” ele afirmou em uma entrevista por telefone, ao jornal The New York Times.


A existência persiste como a grande questão da humanidade. De onde viemos e para onde vamos?
Não sabemos a origem do Universo. A ciência explica o Big Bang. Mas não os acontecimentos antes da grande explosão.
Para Michael Heller o mistério divino está justamente aí. Nada surge do nada. Algo proporcionou o Big Bang e antes disso, Deus é o responsável por criar todas as condições para a origem do Universo, incluindo o Big Bang.
O polonês sustenta seus argumentos divinos partindo dos pressupostos científicos, na sua obra “Teologia da Ciência”.


Tanto os cientistas quanto os religiosos mais radicais não aceitam com bons olhos a teoria de Michael.
Mas contrariando muitos pensamentos ortodoxos, o próprio Papa Francisco, líder da Igreja Católica, afirmou que a Teoria do Big Bang é real e que acreditar nela, não vai contra os conceitos cristãos.
Segundo matéria publicada pelo jornal O Globo, o pontífice afirmou que “o Big Bang, que hoje temos como a origem do mundo, não contradiz a intervenção do criador divino, mas sim o exige. A evolução na natureza não é incompatível com a noção de criação, pois a evolução exige a criação de seres que evoluem.”
Em outras palavras, o Papa esclareceu que “quando lemos a respeito da criação em Gênesis, corremos o risco de imaginar que Deus era um mágico, com uma varinha mágica capaz de fazer tudo. Mas isso não é assim.”


A religião começa a estender a sua mão para a ciência. A ciência será capaz de fazer o mesmo gesto?
E você? O que pensa sobre a teoria de Michael Heller? É possível acreditar em Deus e nos princípios da evolução e criação do Universo? Não esqueça de deixar o seu comentário sobre o tema.

Publicado originalmente em Fatos Desconhecidos
Tecnologia do Blogger.