Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Leitura da Bíblia termina com homem expulso

A leitura de um trecho da Bíblia dentro da Câmara Municipal de Piracicaba (a 160 km de São Paulo) deu início a uma discussão que terminou com um homem expulso da Casa por guardas municipais na noite de ontem.
O vídeo de registro da sessão mostra quando o presidente da Câmara, João Manuel dos Santos (PTB), inicia os trabalhos e pede que todos os presentes fiquem de pé para a leitura e nota que Regis Montero, funcionário do Ministério Público Federal, permanece sentado.
"Eu gostaria que o cidadão, não querendo ficar de pé, por favor se retire do plenário porque não vou permitir a leitura enquanto todos não obedecerem a questão regimental", afirma Santos.
Montero permanece sentado de braços cruzados, e os guardas se aproximam para retirá-lo do local. "Por que estou sendo retirado da Casa, presidente? É pela leitura da Bíblia?", questiona. "Por desrespeitar o regimento interno", afirma o vereador. "O senhor pode se retirar e voltar depois que terminar a leitura."
Como o Montero estava de pé discutindo, o presidente da Câmara ordena que se retome a leitura da Bíblia e, neste momento, ele volta a se sentar. Mais uma vez, Santos questiona a atitude e paralisa a sessão até que o homem seja retirado do local.
À Folha de S.Paulo, Montero disse que acha "inapropriada" a exigência de leitura. "Eu não quis participar de um ato religioso em um órgão publico. A Câmara não pode ter uma religião oficial ou só permitir a participação de quem tenha as mesmas crenças", afirmou. "Eu não fui desrespeitoso por me negar a participar do ato, pelo contrário, respeito todas as opções religiosas."
Segundo o diretor jurídico da Câmara, Robson Soares, as regras da Casa preveem a leitura, mas a expulsão não ocorreu porque Montero se negou a levantar, e sim porque ofendeu servidores e iniciou um tumulto no local.
"Nada impede que alguém faça manifestações religiosas na Câmara. Mas se o cidadão reage de forma violenta, como dizer que funcionários são vagabundos, [contra] esse tipo de desordem a gente tem que tomar alguma providência", disse. Pelo vídeo, não é possível saber se Montero ofendeu os servidores.
O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Piracicaba, Odinei Assarisse, disse que houve "exagero" se a retirada ocorreu apenas por conta da negativa de ficar em pé.
"Mesmo a Câmara alegando que consta do regimento interno, não pode ser obrigatório o ato de ficar em pé para uma manifestação religiosa específica", afirmou. "A Câmara tem outros meios para garantir o cumprimento das regras, mas retirar alguém apenas por esse ato foi exagerado."
Segundo ele, o Estado é laico, e, se o regimento da Casa desrespeitar esse princípio, pode ser o caso de revê-lo. O órgão vai analisar o caso.

Folha

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.