Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Igreja católica da Austrália assume "vergonha" de abuso sexual

O chefe da Igreja Católica da Austrália reconheceu a "vergonha" do abuso sexual infantil entre o clero e acolheu uma investigação abrangente, nesta terça-feira, mas também advertiu que a extensão do problema dentro da igreja tinha sido exagerada.
Na segunda-feira, a premiê Julia Gillard ordenou uma rara Comissão Real, a mais alta forma de investigação na Austrália, sobre como as igrejas, órgãos governamentais e outras organizações têm lidado com possivelmente milhares de acusações de abuso sexual de crianças.
O único cardeal da Austrália, George Pell, disse que a Igreja iria cooperar plenamente com o novo inquérito, o que pode obrigar as testemunhas a prestarem depoimento e produzirem documentos, e que ele não acreditava que a Igreja Católica foi o autor principal.
"Nós não estamos interessados ​​em negar a extensão do delito na igreja católica. Nós nos opomos a ser algo exagerado, nós contestamos ser descrito como 'se a Igreja fosse a única'", disse Pell, que também é arcebispo de Sydney.
"Reconhecemos, com vergonha, a extensão do problema e eu lhes quero garantir que temos sido sérios na tentativa de erradicá-lo e lidar com ele", disse a jornalistas em Sydney.
Gillard convocou o inquérito em face da crescente pressão política depois de relatos de que ordens dentro da Igreja Católica tinham encoberto acusações de abuso sexual e impedido investigações policiais durante várias décadas em Nova Gales do Sul e Victoria, os dois Estados mais populosos da Austrália.
Pell também disse que os padres deveriam se recusar a ouvir confissões de supostos agressores de crianças para garantir que os sacerdotes não fiquem presos ao sigilo do confessionário.
"Se o padre sabe de antemão sobre tal situação, o sacerdote deve se recusar a ouvir a confissão, este seria o meu conselho. Eu nunca ouviria a confissão de um padre que fosse suspeito de uma coisa dessas ", afirmou o sacerdote.
O ex-policial Peter Fox provocou um protesto nacional na semana passada, quando alegou que a Igreja Católica havia encoberto abusos cometidos por sacerdotes em Hunter Valley, região ao norte de Sydney. Suas acusações levaram a uma nova investigação que está sendo convocada.
A Igreja Católica é a maior da Austrália, com 5,4 milhões de fiéis, representando cerca de um em cada quatro australianos.

Reuters

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.