Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Polícia da Rússia encontra bordel dentro de uma igreja

Duas mulheres - uma da Ucrânia e outra do Tajiquistão - foram presas.
A polícia da capital russa encontrou nesta semana um bordel funcionando nas instalações do Monastério Sretensky, um dos mais antigos de Moscou. Em mais um escândalo envolvendo a Igreja Ortodoxa, os serviços do chamado “hotel dos amantes” estavam sendo oferecidos a 1750 rublos (aproximadamente 115 reais) a hora. Duas mulheres - uma da Ucrânia e outra do Tajiquistão - foram presas por suspeita de prostituição.
Por telefone, uma funcionária da igreja informou que "tudo não passou de um mal-entendido". Segunda ela, o mosteiro havia alugado algumas instalações temporariamente, “mas agora não há absolutamente nenhuma conexão entre o bordel e o templo".No entanto, segundo o popular website Life News, que tem laços estreitos com a polícia e os serviços de segurança, o prédio onde o bordel foi encontrado pertence ao monastério. No site da sede da polícia de Moscou, consta apenas que duas prostitutas foram presas por falta administrativa. A polícia pode abrir um inquérito nos termos do artigo "Organização da prostituição".
A atividade na Rússia é ilegal, mas não é um crime grave. A pena máxima para uma prostituta é uma multa de até dois mil rublos. No entanto, qualquer forma de proxenetismo é punível com pena de prisão. O abade do monastério, padre Tikhon, tido por muitos como o conselheiro espiritual do presidente Vladimir Putin, criticou a imprensa pela polêmica. "A tempestade criada pela mídia é apenas um exemplo de como as pessoas estão dispostas a divulgar qualquer calúnia e fazer piadas vulgares, tudo para atacar a Igreja", disse o abade.
Fundado em 1395, o mosteiro foi construído no local onde moscovitas supostamente encontraram um ícone da Virgem Maria trazido da cidade de Vladimir para proteger Moscou contra a invasão do exército de Timur, o Coxo, um dos grandes conquistadores nômades da Ásia Central.

Uma igreja e muitas polêmicas
Este foi mais um ano de polêmicas envolvendo a igreja ortodoxa russa. Em abril, uma foto do líder máximo da igreja, Kirill I, foi alvo de muitas críticas e ironias na blogosfera. O sacerdote foi fotografado usando um relógio de ouro avaliado em mais de 60 mil reais. Antes da publicação da imagem, o acessório foi apagado de seu pulso. No entanto, por um descuido, esqueceram de eliminar o reflexo do objeto sobre a mesa onde estava sentado o patriarca. A igreja ortodoxa emitiu um pedido oficial de desculpas.
Em junho, a Associação de Direitos dos Consumidores da Rússia recebeu uma reclamação de que a Catedral Cristo Salvador, em Moscou, estaria violando inúmeras leis relacionadas a atividades comerciais. Depois de uma inspeção, especialistas determinaram que no território da catedral havia várias empresas operando sem o cumprimento da legislação. Quiosques com joias, utensílios de cozinha, artigos de vestuário, lojas de pneus, estacionamento e até mesmo um centro de negócios com salas para alugar – tudo sem as informações básicas necessárias para o consumidor. A Catedral Cristo Salvador é a igreja onde as integrantes do grupo Pussy Riot cantaram em março deste ano uma oração pedindo que a Virgem Maria tirasse Vladimir Putin do poder.
A aproximação entre a Igreja Ortodoxa Russa e o Kremlin, que está sendo levada a cabo por Putin na última década, tem gerado preocupação entre alguns grupos de direitos humanos e da oposição russa, que temem que a utilização da religião pelo Kremlin faça parte da estratégia do governo para enfraquecer os dissidentes. O respeito às minorias também é outra preocupação. Em um país onde pelo menos 6,5% das pessoas se declaram muçulmanas, a crescente importância política da Igreja Ortodoxa gera apreensão. Recentemente, Putin declarou ser a favor da proibição do véu nas escolas do país.
Em uma pesquisa de 2011 do Centro Levada, o número de pessoas que se auto-identificam como ortodoxas russas experimenta um aumento constante - de 31% em 1991, para 50% em 2001 e quase 70% em 2011.

180Graus

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.