Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Convenção da Assembleia de Deus aprova moção de apoio a Marco Feliciano

Assembleias de Deus defenderam permanência do deputado na comissão.
Feliciano agradeceu pastores e disse que comissão ganhou 'visibilidade'.
A Convenção das Assembleias de Deus do Brasil aprovou nesta terça-feira (9) uma moção de apoio pela permanência do deputado Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos. O documento foi lido e aprovado pela mesa diretora da convenção, realizada no Parque da Cidade, em Brasília, na presença de Feliciano, que acompanhou do palco do evento.
Alvo de pressão por declarações consideradas racistas e homofóbicas, o deputado do PSC agradeceu pelo apoio e disse que o colegiado nunca obteve "tanta oração". "Acho que no Brasil nunca houve uma comissão com tanta oração. Os pastores estão orando por mim e pela comissão", disse. Segundo o parlamentar, a Comissão de Direitos Humanos ganhou "visibilidade" desde que ele assumiu o posto.
"Chegará um tempo em que nós evangélicos teremos voz em outros lugares. Venceremos essa batalha", afirmou. Após o evento, Feliciano disse que está "feliz" com a moção de apoio. "Quem não fica feliz quando a igreja te abraça? Quando a igreja e abraça você fica feliz", disse.
Nesta terça, Feliciano participou e reunião com líderes partidários e anunciou que não irá renunciar. O deputado, no entanto, decidiu recuar da decisão de restringir o acesso do público às próximas sessões e disse, na reunião de líderes, que irá reabrir as reuniões. Caso haja novos tumultos, no entanto, Feliciano disse que poderá fechá-las novamente.

Reunião de líderes
Na reunião de líderes, mais cedo, PSB, PC do B, PSOL, PDT e PPS foram enfáticos nas críticas a Feliciano. Dos grandes partidos, apenas os líderes de PMDB e do PSD minimizaram as manifestações de protesto e disseram que, regimentalmente, o deputado tem o direito de permanecer à frente da comissão.
Representante do PSB no encontro, o deputado Glauber Braga (RJ) propôs que o PSC fosse transferido para o comando de outra comissão. Contrariado, Feliciano ressaltou aos líderes que só iria deixar a presidência do colegiado caso os deputados João Paulo Cunha (PT-SP) e José Genoino (PT-SP), ambos condenados no processo do mensalão, saíssem da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A declaração foi relatada após a reunião pelos parlamentares Ivan Valente (PSOL-SP) e Rubens Bueno (PPS-PR).
Depois de participar da Convenção das Assembleias de Deus do Brasil, em Brasília, Feliciano foi indagado a respeito da fala sobre os petistas condenados no julgamento do mensalão. "Eu disse isso? Está gravado", respondeu. O deputado do PSC não quis fazer mais comentários sobre o assunto.

G1

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.