Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Igreja da Escócia autoriza padres homossexuais

Igreja escocesa promete manter o compromisso para com a sua "doutrina e prática relacionadas com a sexualidade humana", mas adianta não impedir as congregações liberais de saírem da tradição.
A Igreja da Escócia autorizou na segunda-feira os padres homossexuais, ao fim de anos de debate entre partidários de posições liberais e tradicionalistas. Os defensores dos direitos dos homossexuais escoceses elogiaram a decisão, mas a Igreja Livre da Escócia classificou-a como um absurdo.
A assembleia geral da Igreja escocesa prometeu manter o compromisso para com a sua "doutrina e prática relacionadas com a sexualidade humana", mas adiantou que não iria impedir as congregações liberais de saírem da tradição.
O assunto voltará a ser analisado na reunião magna da igreja escocesa no próximo ano, esperando-se que a assembleia geral aprove novas orientações se decidir aplicar o resultado do histórico voto de segunda-feira.
Esperava-se que os líderes da igreja votassem uma de três possibilidades: rejeitar a ordenação de homossexuais e lésbicas como padres; autorizar a sua ordenação; ou autorizar a sua ordenação mas com a possibilidade de as congregações que o entenderem optarem por não o fazer.
No fim, a Igreja votou uma quarta proposta, apresentada pelo reverendo Albert Bogle. Na sua moção, Bogle propôs "afirmar a doutrina e prática, atual e histórica, da igreja em relação à sexualidade humana, mas permitir a saída dessa doutrina e prática a quem o pretender".
A decisão foi aprovada por 340 votos contra 282. "Saudamos esta decisão da Igreja da Escócia, que é particularmente importante para as muitas pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) dentro da igreja, os seus amigos e as suas famílias", disse o coordenador da Equality Network (Rede da Igualdade), Tom French.
"Este é um passo positivo para uma sociedade mais igual e evidencia os valores progressistas da Escócia do século XXI", acrescentou.
Porém, a Igreja Livre da Escócia, que cindiu da Igreja da Escócia no século XIX, classificou a decisão como "totalmente confusa". Um porta-voz desta organização realçou que "a moção vencedora diz que afirma a doutrina histórica da igreja, a qual é, com certeza, oposta à ordenação de padres com relações com pessoas do mesmo sexo".

Expresso

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.