Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Líderes da Igreja Maranata são presos, acusados de desvio de dinheiro do dízimo

A polícia cercou a sede da Igreja Maranata, na cidade de Vila Velha (ES). Os pastores foram presos em casa e levados para a delegacia.
A polícia prendeu nesta segunda-feira (24) os líderes da Igreja Maranata no Espírito Santo, acusados de desvio do dinheiro do dízimo.
A polícia cercou a sede da Igreja Maranata, na cidade de Vila Velha. Os pastores foram presos em casa e levados para a delegacia.
“Eu não sei por que estou sendo preso”, afirmou um dos pastores.
A Justiça decretou a prisão de 10 pessoas, porque entendeu que, soltas, elas poderiam atrapalhar as investigações. O Ministério Público denunciou os líderes da Igreja Maranata por formação de quadrilha e apropriação indébita.
A investigação começou no ano passado. Segundo a denúncia, os líderes da Maranata montaram um esquema para desviar o dinheiro do dízimo. E tinham o apoio de empresários que forneciam notas com valores superfaturados de serviços e produtos comprados pela igreja. Para o Ministério Público, era uma forma de encobrir o desvio, que pode chegar a R$ 30 milhões.
“Pela constituição de empresa de fachada e superfaturamento”, aponta o promotor Paulo Panaro.
Por determinação da Justiça, há quase três meses, a igreja estava sendo administrada por um interventor, que também será substituído. Segundo o Ministério Público, ele teria ligações com os acusados.
A igreja Maranata foi fundada há mais de 40 anos no Espírito Santo e hoje tem cinco mil templos no Brasil e no exterior.
O interventor afastado, pastor Júlio César Costa, disse que sempre enviou todos os relatórios solicitados pelo Ministério Público. E o advogado da igreja declarou que o pastor e fundador da Maranata, Gedelti Gueiros, não cometeu nenhuma irregularidade.

JN

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.