Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Pornô evangélico pode? (Entrevista com o Rev. Augustus Nicodemus Lopes)

Discutir pornografia pode ser um elefante branco para muita gente. Entre evangélicos, então, o assunto periga virar uma reunião de elefantinhos com protetor solar fator 60.
O reverendo Augustus Nicodemus Lopes, ex-chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie (2003-2013), cargo máximo de uma das instituições mais tradicionais do país, jogou esse tabu no ventilador, em texto publicado hoje na internet.
Sobre o cristão que consome “a prostituição, a perversão sexual, o adultério, a sodomia, o lesbianismo, e outras práticas sexuais que são objeto da pornografia”, eis seu veredicto: culpado.
Em 2010, outro texto de Nicodemus “viralizou” na rede. Então à frente do Mackenzie, ele publicou no site da universidade o “Manifesto Presbiteriano sobre a Lei da Homofobia” (crítico ao projeto de lei 122, que criminaliza a prática).
Saldo: centenas foram às portas do Mackenzie protestar contra frases como “os cristãos se guiam pelos referenciais morais da Bíblia e não pelas mudanças de valores que ocorrem em todas as culturas”.
A nova investida, desta vez contra o pornô, foi feita numa autoentrevista publicada em seu blog, O Tempora, O Mores. “Ninguém nunca me entrevistou sobre este assunto”, explica.
O reverendo se faz perguntas como “por que as igrejas não falam mais deste assunto, já que certamente existem muitos membros viciados em pornografia?”.
Trailer da resposta: “Alguns líderes receiam despertar o interesse das pessoas pela pornografia se começarem a falar sobre ela”.
Também dispara contra a masturbação, hábito “profundamente ligado à pornografia”. “Dificilmente alguém se masturbaria pensando nas cataratas no Niágara…”, afinal.
Por e-mail, dos Estados Unidos, ele me concedeu a tal entrevista que ninguém havia pedido antes.

Por que escrever sobre o que nunca lhe perguntaram: pornografia?
Sei que o consumo de pornografia entre evangélicos existe numa proporção alarmante. Há muitas publicações que mencionam o fato, além da minha própria percepção, lidando com pessoas com problemas nesta área nos meus mais de 30 anos de pastorado. E infelizmente pouco se fala sobre isto nas igrejas evangélicas, históricas e pentecostais.

Qual a perspectiva bíblica sobre sexualidade?
De acordo com ela, Deus nos criou homem e mulher. Portanto, sexo é uma coisa boa, abençoada e que deveria ser desfrutada dentro dos limites estabelecidos pelo próprio Deus, e que estão igualmente revelados na Bíblia. Destes, o mais importante: deve ser desfrutado no ambiente do casamento, onde existe compromisso e responsabilidade.

Você diz que “o casamento não transforma o quarto de casal em quarto de motel”. Exemplos?
Num quarto de motel geralmente se faz de tudo – foi isso que quis dizer. Todavia, mesmo entre casados há limites. Sexo a três ou troca de casais, por exemplo, se constituem em adultério mesmo que tenha o consentimento de todos envolvidos.

Já fiz uma reportagem sobre produtos eróticos para evangélicas. Coisas como o kit “50 Tons de Prazer” e calcinhas comestíveis (que maridos degustam com uísque). Acha válido o uso de apetrechos sexuais?
Questão interessante. Eu responderia de maneira genérica. Não envolvendo pornografia, esquemas adulterinos ou embriaguez, poderiam ser usados.


MERCADO GOSPEL DO SEXO
Sobre a referida reportagem da última pergunta: eu e o repórter Ricardo Senra desvendamos um pouco do mercado gospel do sexo, para a revista “sãopaulo”.
Uma das entrevistadas foi Mônica Alves, 45, ex-revendedora de produtos da Avon e que hoje bate perna com uma bolsa de 6 kg cheia de itens sexuais. Vende, por exemplo, a “camisolinha da Nicole Bahls”, um modelo semitransparente com estampa de oncinha.
Fiel da igreja Renascer, Mônica ouve da mãe reprimendas como “vibrador dá câncer no útero”. Não liga. Faz o teste de qualidade de seus produtos com o marido, 12 anos mais moço, que ganha café da manhã (cappuccino e cuscuz com manteiga) na cama e “festinha à noite” todo dia.
E sabe o que diria caso o líder da sua igreja descobrisse o ofício: “Pastor, desculpa, preciso ganhar meu dinheiro”.
Já o repórter Senra, em papo com uma atendente de sexshop, descobriu uma fiel (cliente das mais assíduas) que repetia sempre o mesmo ritual: escondia-se atrás de uma árvore, ligava para a loja, esperava a porta abrir e entrava correndo, na surdina.

MOTOCICLETA, BÍBLIA, B.B KING
Hoje, Nicodemus é professor visitante do Westminster Theological Seminary, na Filadélfia. Pesquisa para seu projeto de pós-doutorado: um livro sobre os modernos “apóstolos” pentecostais.
Mais sobre o pastor presbiteriano está na internet. Assim ele se define: “Paraibano, casado com Minka, pai de Hendrika, Samuel, David e Anna, mestre e doutor em interpretação bíblica (África do Sul, Estados Unidos e Holanda)”. Interesses: “Bíblia, teologia, off-road e motocicletas”. Músicas favoritas: “Eric Clapton, B.B. King e toda aquela geração de feras do blues”.

Folha

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.