Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Religião islâmica diminui crescimento econômico, diz Harvard

Estudo de Harvard descobre que Ramadã mais longo come uma fatia significativa do crescimento - e a culpa não é do jejum.
A discussão ocorre há no mínimo um século, desde que o sociológo alemão Max Weber publicou "A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo".
Filipe Campante e David Yanagizawa-Drott, dois pesquisadores de Harvard, abordam o assunto com um novo trabalho sobre a prática islâmica do Ramadã, que exige o jejum e a abstinência sexual entre o nascer e o pôr-do-sol.
A escolha é engenhosa: além de ser um dos cinco pilares da vida religiosa para os mais de 1 bilhão de islâmicos ao redor do mundo, o Ramadã segue o calendário lunar e portanto ocorre em meses diferentes a cada ano.
Dependendo do hemisfério e da estação de cada país naquela época, varia a quantidade de horas (e o jejum) entre o nascer e o pôr-do-sol. Com isso, fica mais fácil isolar o efeito de outros fatores.

Conclusões
A dupla descobriu que o Ramadã tem um efeito negativo claro no crescimento do PIB dos países islâmicos: um aumento de 12 para 13 horas na duração diária da prática come entre 0,6% e 0,9% da taxa de crescimento naquele ano. Não há qualquer tipo de efeito nos mesmos períodos em países não-islâmicos.

Exame

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.