Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Violência envolvendo religião cresce e é a maior em 6 anos

1 entre 3 países do mundo tem alto grau de violência e hostilidade para com grupos religiosos
Meninas paquistanesas rezam: hostilidade religiosa cresceu e chegou ao maior nível em seis anos
São Paulo – O número de países onde há hostilidade e violência para com grupos religiosos aumentou em 2012 e chegou ao seu maior nível desde 2007.

A descoberta foi do mais recente estudo do Pew Research.
1 entre 3 (33%) dos 198 países pesquisados tem alto grau de hostilidade e violência. Em 2007, essa taxa era de 20%.
Com exceção das Américas, ela cresceu em todo o mundo, principalmente no Oriente Médio e norte da África.
Além da hostilidade religiosa social, o estudo mediu a hostilidade religiosa por parte de governos e políticas.
29% dos países tinham alto grau dessa violência em 2012.
Os cristãos são os mais atacados no mundo: houve casos em 110 países. Em seguida, vêm os islâmicos: casos em 109 países.

Veja a seguir alguns números sobre a violência no mundo:

Tipos de religião
Número de países onde houve ataques (2012)
Religiões Ataques
Cristianismo 110
Islamismo 109
Judaísmo 71
Outras (sikhs, ateístas, baha'i) 40
Cultos populares (indígenas, africanos) 26
Hinduísmo 16
Budismo 13

Governos que restringem religiões
- 64% da população mundial vive em países com políticas que proíbem ou restringem manifestações religiosas;
- 1 entre 3 países tem restrições a religiões consideradas altas e graves.

Minorias religiosas
- Em 2012, 47% dos países no mundo tiveram casos de minorias religiosas sendo atacadas por grupos majoritários (a taxa era de 24% em 2007);
- Por exemplo: Coptas ortodoxos foram mortos na Líbia em 2012, país de maioria islâmica.

Abuso de mulheres
- Em 32% dos países houve casos de mulheres violentadas por, supostamente, violarem normas religiosas sobre vestimentas adequadas.

Terrorismo
- 1 entre 5 países vivenciaram ataques terroristas envolvendo religiões, como Estados Unidos, Afeganistão, França e Quênia.

Mapas
Veja os mapas com o grau de hostilidade e violência em cada país. Primeiro, a violência social. Depois, o grau de restrições e violências por parte de governos.
As regiões mais problemáticas são o sul da Ásia, Rússia, Oriente Médio e Norte da África.
Pew Research
Grau de hostilidade religiosa por país
Pew Research
Grau de restrição e repressão às religiões por governantes

Um comentário:

  1. Tão perigosa quanto à imbecilidade assassina do Estado Islâmico é a covardia ocidental. Na década de 50 o historiador britânico Arnold J. Toynbee havia previsto que a próxima guerra seria entre cristãos e muçulmanos. Vale lembrar que Gerge W. Bush ainda usava calças curtas naquela época e nesses últimos 15 anos contabiliza-se quase 25.000 ataques islâmicos.

    Dizer que nem todo islâmico é terrorista significa o quê? Absolutamente nada! Dizer que os terroristas não são islâmicos, “se fingem de islâmicos”, significa o quê? Que são cristãos disfarçados a confundir a opinião pública?

    Além de mentirosa e ridícula, essa mania de isentar o islamismo da sua responsabilidade é uma opção covarde e equivocada. Não se vai evitar nada de ruim desse modo, uma vez que a omissão favorece a expansão do islã por toda parte. Seria mais digno e eficiente dizer: “Resolvam logo isso entre vocês. A construção de mesquitas, madraças, centros culturais e a difusão da sua crença estarão suspensas no Ocidente até que se mostre, na prática, uma solução confiável e duradoura para esse confronto”.

    ResponderExcluir

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.