Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Rio terá espaço oficial para religiões afro-brasileiras

O Rio deve ganhar o primeiro espaço oficial destinado à prática das religiões afro-brasileiras e com preocupação ambiental. Será na Avenida Edson Passos, no Alto da Boa Vista, dentro do Parque Nacional da Tijuca, uma área bastante usada por umbandistas e candomblecistas para a colocação de oferendas em culto aos orixás. Eles sofrem críticas porque os trabalhos podem poluir a floresta e provocar incêndios.
O projeto executivo do Espaço Sagrado da Curva do S ainda está sendo desenvolvido e, por isso, os custos não foram mensurados. Mas na quinta-feira, 10, o secretário Carlos Portinho participou de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio e, diante de diversos representantes de grupos religiosos, garantiu o andamento do projeto.
Portinho não sabe precisar quando seria a inauguração, pois o Fundo da Mata Atlântica, que reúne recursos de compensações ambientais depositados por empresas e que iria bancar a construção, ainda terá de aprová-lo. Os religiosos estavam apreensivos porque o secretário anterior, Índio da Costa, do qual Portinho era sub, titubeou, por pressão de parlamentares evangélicos. "O Índio me disse que iria suspender o projeto porque dois deputados evangélicos de seu partido não entendiam como dinheiro público podia ser usado para fazer um 'macumbódromo'", relatou o deputado Carlos Minc, antecessor na pasta e criador do projeto. Foi Minc, na condição de presidente da comissão da Alerj de combate às discriminações e preconceitos de cor, raça e etnia e procedência nacional, quem convocou a audiência.
Ele está elaborando um projeto de lei que prevê a implantação de outros espaços sagrados em parques do Rio.
"Eu expliquei ao secretário que 'macumbódromo' é um termo pejorativo que só reforça o estigma, e que o dinheiro não é público, e sim oriundo de compensações ambientais. A ideia é dar liberdade, conforto e segurança às pessoas e proteger a floresta. Não é um gueto. Esse espaço consta do plano de manejo do parque há 14 anos." "Foi criada uma polêmica como se fôssemos cancelar o projeto, mas isso não aconteceu. Qualquer projeto de viés ambiental, seja de que grupo for, é de interesse da secretaria", assegura Portinho. A ideia é que o espaço sirva a dois propósitos: o enfrentamento da intolerância religiosa e a conservação da Mata Atlântica.
Pela maquete baseada na proposta inicial, a área teria por volta de dez mil metros quadrados e estruturas ao redor das árvores e margens dos rios, para que os rituais não poluam a área, além de coletores de resíduos religiosos. Os frequentadores serão orientados a usar materiais biodegradáveis nas oferendas, como folhas de bananeira e cuias de coco no lugar dos recipientes de barro, vidro e louça, a não abandonar alimentos na mata e a não acender velas, que podem dar início a queimadas. Uma sinalização especial mostrará recantos indicados para cada orixá, conforme sua relação com os quatro elementos da natureza.
"Esse espaço pode virar referência no Brasil. O fundamentalismo religioso e ecológico não compreende essa cultura, que vive da harmonia com a natureza. O mato, as folhas, as águas, as árvores, tudo isso é sagrado para nós, muito antes de a ecologia falar disso. Tem religião que usa cachoeira para batismos e ninguém fala nada", esclarece o babalaô Ivanir dos Santos.
"Tem muita sujeira, sim, gente que vai nas lojas e deixa trabalhos na floresta sem entender o que está fazendo. Colocam vidros de perfume, garrafas, alimentos que provocam doenças", diz Graça Nascimento, coordenadora do Movimento Inter-religioso do Rio. "Os orixás querem água limpa, ambiente saudável. As casas de umbanda e candomblé trabalham o cuidado com a natureza há muitos anos."

AE via Diário do Grande ABC

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.