Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Evangélica decide vender cabelo que não vê tesoura há 14 anos e acaba criticada

O cabelo loiro da artesã Salete Madalena Schneider, 47, não vê tesoura há pelo menos 14 anos. Evangélica, fiel da igreja Assembléia de Deus Missões há duas décadas, a mulher, que mora em Campo Grande, sempre preservou as madeixas longas até que, essa semana, decidiu cortar para vender. “Sinto muita dor de cabeça e como ele é muito comprido, fico com ele muito tempo preso, então pesa”, justifica. Os fios, de tão compridos, ultrapassam a linha da cintura. Chegam às nádegas.
O anúncio de venda, feito pela sobrinha, no Facebook, virou polêmica imediada. Na visão predominante da patrulha crítica de plantão, a decisão parece aceitável para qualquer outra pessoa, menos para uma evangélica que, além da saia abaixo dos joelhos, sempre teve o cabelão como marca registrada.
Salete ignora os comentários, alega “cuidado com a saúde”, diz que a igreja não proíbe – mas também não estimula – e sustenta que a decisão é pessoal. O argumento não convenceu os críticos da internet. Muita gente questionou: Se é evangélica e, mesmo assim decidiu cortar, porque, então, não preferiu doar?
“Eu pensei, mas aí eu dou para a pessoa, ela vende e lucra em cima de mim. Por isso eu decidi vender”, responde. E o dinheiro tem destino certo. “Vou pagar umas contas e estou querendo fazer uma viagem para Cuiabá (MT), visitar minha filha que mora lá”, revela.
Quem incentivou o corte, prossegue, foi o marido, com quem está casada há 26 anos e tem 12 filhos: cinco com ele e 7 “da graça” (dele com outra mulher), como costuma dizer.
“Meu esposo que pedia para eu não cortar, porque ele gosta do meu cabelo comprido. Mas, como é por uma questão de saúde, ele apoiou minha decisão”, comenta. Só que o corte será, no máximo, na altura dos ombros. “Vai ser mais prático zelar quando estiver mais curto”, diz.
Salete garante que o cabelão nunca foi pintado e nem recebeu qualquer tipo de química. O tratamento, em casa, é feito com produtos de duas marcas: “Não é qualquer shampoo e creme não. Só uso da Avon e Dove. Com o resto ele não se dá. Fica embaraçado”, comenta.
A artesã espera receber um bom dinheiro com a venda, por isso já estipulou um lance inicial: “R$ 800,00. A proposta mais alta, até agora, foi de R$ 900,00. “Minha sobrinha disse que muita gente, muita gente ligou, o dia inteiro”, avisa.

Publicado em Campo Grande News

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.