Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Por ser evangélica, deputada do Ceará é impedida de presidir CDHC

Depois de polêmica, a presidência da Assembleia Legislativa (AL) do Ceará resolveu voltar atrás na indicação da deputada Dra. Silvana (PMDB) para presidir a comissão de Direitos Humanos e Cidadania (CDHC) da Casa. Agora, a peemedebista ficará à frente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento do Semiárido. Em seu lugar, assume o estreante Zé Ailton Brasil (PP).
Após encontro, ontem, entre o presidente da AL, Zezinho Albuquerque (Pros), Danniel Oliveira (PMDB) e o 1º secretário, Sérgio Aguiar (Pros), a deputada confirmou a retirada de sua indicação para a CDHC.
“Eles ponderaram. O Zezinho disse que ia ser uma guerra psicológica. Então não serei mais eu a presidir a comissão”, disse a parlamentar.
Ao O POVO, a deputada evangélica, acusada de homofobia por Ivo Gomes (Pros), titular da Secretaria das Cidades, afirmou “estar sofrendo” com o desfecho do caso. “Eu me sinto vítima de preconceito. Minha postura é de paz. Não sou homofóbica e nem fundamentalista. Sou vítima de preconceito.”
De acordo com Silvana, o recuo da presidência da AL ganhou força depois que o irmão do ex-governador Cid Gomes acusou-a de preconceito contra gays.

Mudança
Líder do PMDB na Assembleia Legislativa, o deputado Audic Mota garantiu que seu partido defendeu o nome de Silvana na comissão até que a decisão final fosse tomada por Zezinho Albuquerque. “O PMDB não recuou. Quem recuou foi o presidente. Não abríamos mão da CDHC”, explicou o líder peemedebista.
Segundo Mota, faltou uma conversa entre a presidência da AL e o deputado Ivo Gomes, que, na última sexta-feira, disparou pelo Facebook críticas contra a deputada.
Depois da retirada do nome de Silvana, O POVO tentou entrar em contato com o deputado Ivo Gomes. O secretário não foi localizado.
Procurado, o presidente da Assembleia não comentou as mudanças no comando da Comissão de Direitos Humanos. Acionada, a assessoria de imprensa da AL disse que “não haveria do que tratar, pois o que há são indicações dos partidos”.
A escolha de Zé Ailton Brasil (leia entrevista ao lado) para substituir a Dra. Silvana no comando da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania foi feita ainda ontem.
O POVO apurou que o convite partiu do próprio presidente Zezinho.
Em 2013, a deputada Dra. Silvana usou a tribuna da Assembleia para defender a redução da maioridade penal e o projeto “Cura gay” do deputado Marco Feliciano (PSC-SP)
Na semana passada, um primeiro acordo entre a mesa da AL e o PMDB conduziria Silvana à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Casa.
Em seguida, cerca de 40 entidades se manifestaram contrárias à nomeação da deputada para assumir a comissão na AL.
Os deputados Renato Roseno (Psol) e Ivo Gomes (Pros) criticaram duramente a indicação da peemedebista à CDHC.
O deputado Ivo Gomes (Pros) usou o Facebook para criticar a indicação de Silvana. Em um texto curto, o secretário das Cidades disse que a AL teria “um Marco Feliciano para chamar de seu” e acusou a deputada de ser “fundamentalista e homofóbica”.

Publicado no www.al.ce.gov.br

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.