Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Pastores reagem a lacre de templo em igreja batista no Feitosa em Maceió

Prefeito manda que SMCCU e toda sua equipe tratem as igrejas com a importância que elas merecem.
Como fazer para regularizar templos construídos há décadas em Maceió, enquadrando-os nas normas do Código Municipal de Posturas? O código é recente, os templos são antigos, de uma época em que não necessitava de aprovação dos moradores vizinhos para a igreja ser edificada naquele local. Não precisava, também, ter portas abrindo para fora e nem de estacionamento, entre outras exigências que hoje são obrigatórias.
Voltamos à pergunta anterior: o que fazer para que os templos das igrejas sejam legalizados dentro do Código de Posturas do município e não venham a ser lacrados por falta do habite-se como ocorreu há duas semanas com a Igreja Batista do Feitosa, sem que ao menos sua liderança fosse avisada antecipadamente da decisão da Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU)?
O lacre na Igreja do Feitosa foi a gota d’água que mobilizou pastores e líderes de igrejas para dialogar com os gestores da capital visando estreitar o relacionamento das instituições eclesiásticas com o poder público municipal. A reunião ocorreu no gabinete do prefeito Rui Palmeira, que determinou um olhar diferente às igrejas, tratando-as com a importância que elas merecem.
O encontro, agendado e coordenado pelo secretário-adjunto de Administração do Município, ex-vereador e evangélico Alan Balbino, teve a participação do superintendente de Controle e Convívio Urbano (SMCCU), Reinaldo Braga, e do secretário de Proteção ao Meio Ambiente (SEMPMA), David Maia de Vasconcelos Lima, entre outros assessores e técnicos da prefeitura.
A determinação do prefeito em relação ao tratamento às igrejas teve resposta imediata. O superintendente de Controle e Convívio Urbano designou duas técnicas de sua pasta para atender, solucionar ou encaminhar – quando o assunto depender de uma decisão superior – todas as demandas das igrejas. Orientou, também, sobre prazos para solicitação de eventos, obras, acessibilidade e outros. Em relação ao lacre na Igreja Batista do Feitosa, o superintendente admitiu ter havido omissão por parte da SMCCU, por não ter enviado comunicado à sua liderança ou verificado a possibilidade de estender o prazo para o cumprimento da ação.

Proveitoso
“Foi muito proveitoso esse primeiro diálogo com o prefeito, o superintendente da SMCCU e o secretário do Meio Ambiente. Discutimos assuntos eclesiásticos de nossas instituições para saber como as igrejas podem atender as exigências do Código de Posturas sem prejuízos ao trabalho que prestam à sociedade”, avaliou o pastor Jonas Bispo, gerente executivo da Convenção Batista Alagoana.

Diretoria eclesiástica na SMCCU
O coordenador do encontro, Alan Balbino, disse que as instituições eclesiásticas, além de sua missão específica de anunciar o Reino de Deus, querem ser vistas como colaboradoras e serem valorizadas pelo poder público. Ele espera que esse acesso aberto pelo prefeito Rui Palmeira seja permanente. Sugere, inclusive, a criação de uma diretoria de assuntos eclesiásticos na SMCCU, aproveitando a Lei Delegada que vigora até janeiro de 2016. O prefeito acatou a ideia.
“Estamos rompendo barreiras culturais. A igreja não quer se envolver com a política. Quer continuar independente, cumprindo regras de convívio urbano, mas quer que o poder público entenda seu papel na sociedade, pois na situação em que o país vive hoje, ela é a única instituição credenciada para representar a comunidade, porque une legitimidade e credibilidade”, defende Balbino.
Uma nova reunião com pastores e líderes de igrejas ocorrerá no mês de julho para tratar de um seminário previsto para o mês de setembro; um evento inédito para o povo cristão que será aberto pelo prefeito. Sua finalidade é elaborar um projeto de lei beneficiando imóveis utilizados com fins eclesiásticos com isenção de impostos. O pregador convidado será o pastor Ariovaldo Ramos, de São Paulo, com larga experiência nesse campo.
“A Igreja chegou à Prefeitura de Maceió. É preciso, agora, que nossos pastores e líderes eclesiásticos façam um trabalho pedagógico para mostrar aos gestores do município que a igreja é o maior produtor de saúde social, que possui um grande potencial desconhecido pela sociedade – o trabalho que realiza na comunidade, que é da maior relevância para o equilíbrio social”, concluiu o coordenador do encontro.
Para as igrejas evangélicas de oito denominações presentes, o encontro foi um grande avanço. “É a primeira vez que o poder municipal recebe lideranças eclesiásticas. As igrejas farão o possível para corresponder ao Código de Posturas. A maior dificuldade que vemos é que temos muitos templos antigos, construídos em cima da legislação da época, e que agora vão precisar se ajustar à nova legislação”, resumiu o pastor Jonas Bispo.

Publicado em Alagoas 24 Horas

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.