Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Darwin: “Lamento informar, mas não acredito na Bíblia nem em Jesus Cristo”

Em 1880, Charles Darwin escreveu uma carta a um advogado na qual admitia que não acreditava na Bíblia nem em "Jesus Cristo como filho de Deus". Agora será leiloada, no mínimo, por 62 mil euros.
Charles Darwin é conhecido, sobretudo, por ser o autor do livro “A Origem das Espécies”, obra que muito contribuiu para a Teoria da Evolução.
Inglês, viveu 73 anos, foi biólogo e uma das mentes mais brilhantes de sempre. O também cientista, porém, sempre foi parco nas palavras que dedicou, em público, ao tema da religião. Hoje sabe-se que Darwin não acreditava em Deus ou na Bíblia, mas quem pretender ficar com a prova em mão terá de desembolsar, pelo menos, 62 mil euros — o preço base de licitação de uma carta que será leiloada a 21 de setembro em Nova Iorque, EUA.
Nesse pedaço de papel constam as palavras com que Charles Darwin. Cerca de dois anos antes de morrer, respondeu a Francis McDermott, um advogado que lhe perguntou se acreditava no Novo Testamento, ao que o biólogo respondeu: “Lamento informá-lo de que não acredito na Bíblia como revelação divina e, por isso, tão pouco em Jesus Cristo como filho de Deus”, lê-se, na carta que Darwin enviou a McDermott, perto de dois anos antes de morrer. “Atentamente, Ch.Darwin”, assinou, no final da carta. Tudo isto quando McDermott lhe pedira para dar uma resposta de sim, ou não, com a promessa de que não revelaria o seu conteúdo.
Não o fez, já que a carta apenas foi tornada pública quase um século mais tarde. Esta é uma de de 78, da autoria de Charles Darwin, que será leiloada pela Bonhams, uma casa de leilões britânica, a 21 de setembro. O preço da carta em que o cientista confessa a sua descrença terá um preço entre os 62 mil e os 90 mil euros.
Charles Darwin chegou a estudar Teologia, durante três anos, na universidade de Cambridge, por sugestão do pai, após o jovem (tinha então 22 anos) não conseguir seguir os estudos na área da Medicina. O El País, aliás, refere que terá sido um professor que conheceu em Cambridge que o aconselhou a fazer a viagem que inspirou o livro “A Origem das Espécies”.

Publicado em Observador

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.