Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Grã-Bretanha não é mais cristã, diz comissão

A ideia é fazer com que o governo se distancie da Igreja da Inglaterra, dando espaço para outras religiões e não-religiosos.
A Comissão sobre Religião e Crença na Vida Pública da Grã-Bretanha entendeu que o país não é mais cristão e que, por este motivo, não deve mais ser influenciado pela Igreja Anglicana.
A conclusão foi escrita em um relatório após dois anos de estudo onde líderes de diversas religiões foram chamados para participar. A comissão foi presidida pela ex-juíza baronesa Butler-Sloss que propõe um “novo acordo” para a religião no Reino Unido.
Pelos números apresentados, hoje apenas um quinto da população do país é formada por anglicanos, em 1983 este número era de 40% da população.
A ideia apresentada pelo grupo é dar voz aos grupos não-religiosos e aos não-cristãos que são um número bem maior no país graças ao crescimento do Islã e do secularismo.
O relatório sugere uma série de alterações, a começar pelo corte do número de bispos da Igreja da Inglaterra na Câmara dos Lordes e oferecer lugar aos imãs, rabinos e representantes de outras religiões, inclusive pastores evangélicos.
Eles também pedem a presença de representantes de outras religiões no serviço de coração para o próximo monarca.
Outra proposta se refere à educação, sugerindo que as escolas não sejam administradas por religiosos e que não haja mais cultos nestes estabelecimentos.
Todas as propostas visam “descristianizar” a Grã-Bretanha para que ela venha a corresponder com a realidade do país cada vez mais distante de suas raízes cristãs.
Segundo o jornal Telegraph, a Igreja Anglicana não aprovou o relatório e afirmou que este documento é um “desperdício triste” e que a comissão “caiu em cativeiro ao racionalismo liberal”.
A controvérsia do estudo elaborado pela Comissão sobre Religião e Crença na Vida Pública também se dá pelas figuras que estão por trás dela, como o ex-arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, o ex-chefe de justiça Lord Woolf, o ex-secretário-geral do Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha, Sir Iaqbal Sacranie e outros.
“O relatório é dominado pela antiga visão de que a religião tradicional está em declínio e a que a não adesão a uma religião é o mesmo que o humanismo ou secularismo”, disse uma porta-voz da Igreja da Inglaterra.
Segundo uma fonte ligada não identificada pelo jornal britânico, a secretária da Educação, Nicky Morgan, considerou “ridículas” as recomendações do relatório que se referem ao ensino.
“Nicky é uma das maiores campeãs de escolas religiosas e quem pensa que ela vai prestar atenção a essas recomendações ridículas está extremamente equivocado”.

Publicado em GP


Cursos Online na área de Turismo e Hotelaria - Com vídeo-aulas, tutoria e Certificado. Matricule-se Já. Falta de tempo não é mais desculpa para não estudar! Conheça o Cursos 24 Horas e estude em qualquer lugar, a qualquer hora.

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.