Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Juiz elogia "Palmas, Capital da Fé" e indefere pedido de suspensão de evento


Em sentença, Juiz critica modelo tradicional de Carnaval falando que eventos promoviam o “uso de entorpecentes, drogas, álcool, promiscuidades”.

Em sentença, Juiz critica modelo tradicional de Carnaval falando que eventos promoviam o “uso de entorpecentes, drogas, álcool, promiscuidades”. Foto: Reprodução A Justiça indeferiu o pedido liminar para a suspensão do “Palmas, Capital da Fé”, que foi protocolado ontem por meio de uma tutela de urgência. O pedido foi realizado pela Associação Brasileira de Ateus e Agnóstico (Atea).
O evento é promovido pela Prefeitura de Palmas. Na decisão, o juiz de direito Manuel de Farias Reis Neto disse que o pedido foi negado já que a alegação de que o evento fere a “laicidade do Estado” não é válida. “É importante ressaltar que o conceito de Estado laico não deve se confundir com Estado ateu, tendo em vista que o ateísmo e seus assemelhados também se incluem no direito à liberdade religiosa”, diz a ação.
Conforme a sentença, evento “tem sido elogiado pela maioria de sua população, notadamente por promover a paz, a tolerância, o respeito, a união familiar, diferentemente dos eventos em época pretérita onde o município patrocinava festas de carnaval com artistas a peso de ouro estimulando, indiretamente, o uso de entorpecentes, drogas, álcool, promiscuidades entre outros funestos efeitos e, segundo consta nesta Comarca, jamais foi proposta qualquer ação nesse sentido, ou seja, de se tentar coibir ou obstaculizar o gasto público com tais eventos”, consta.

Pedido
A ação que pedia a suspensão do evento, que acontece entre o dia 24 e o dia 28 deste mês afirma que o evento “fere de morte o princípio da Laicidade do Estado, que prevê a separação total entre o Estado e Igrejas, não podendo o poder público promover ou auxiliar, de qualquer forma, eventos religiosos”. Para a Atea, o Capital da Fé beneficia, devido às atrações, somente os cristãos, especialmente o segmento evangélico. A ação pediu ainda que caso fosse determinado a suspensão do evento e a Prefeitura de Palmas o mantivesse, fosse cobrada uma multa de R$ 50 mil por dia de shows.
Para a CBN Tocantins, o advogado da Atea Thales Bouichaton disse que já está providenciando o recurso liminar e que vai recorrer ao Tribunal de Justiça.

Publicado originalmente em Jornal do Tocantins


Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.