Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Zé do Caixão não se converteu, afirma igreja evangélica


Aos fãs do terror, calma: Zé do Caixão não está com os dias contados. Aliás, ele é eterno. Seu criador e intérprete, o cineasta José Mojica Marins, 80 anos, que se declara católico não praticante, tampouco se converteu à Igreja Adventista do Sétimo Dia.
As fotos que têm circulado pelas mídias sociais de Mojica num culto evangélico são reais, mas não seu batismo. Segundo Lins Marins, filha de Mojica, o pai se casou há dois anos com Nilce, que é evangélica e frequenta a Igreja Adventista. Para acompanhá-la, ele vai a cultos e diz ser muito bem recebido.
"A história deles é muito bonita: tiveram uma relação há mais de 20 anos, se separaram, e ela esperou meu pai por todo esse tempo porque sempre foi apaixonada por ele. Há dois anos, se casaram. Por ser importante para ela, meu pai vai a alguns cultos. Se fosse qualquer outro casal, não seria estranho, mas por envolver o Mojica, vira um alarde", afirma Lins.
E completa: "O Zé do Caixão não acredita nem em Deus nem no diabo. O Mojica nunca seguiu muito nenhuma religião". Também cineasta, ela um longa-metragem com o pai que será lançado ainda neste semestre.
O assessor de imprensa da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América Latina, Felipe Lemos, confirma a história: "Mojica está indo a uma congregação adventista. Em alguns cultos, existe um apelo ao batismo, que funciona como um convite, em que é feita uma oração especial a quem se apresenta. Ele se apresentou e recebeu a oração, mas não houve batismo".
"Não há interesse da nossa igreja em interferir na vida das pessoas", afirma. "Ele será sempre bem-vindo, mesmo que seja só simpatizante, assim como qualquer pessoa. Ele pode estudar a Bíblia conosco e, eventualmente, ir modificando sua vida a partir disso, mas é um processo pessoal. Não estabelecemos pré-condições para receber as pessoas nem nenhuma igreja deveria dizer quem pode ou não frequentá-la."


Assédio
Lins conta que Mojica já recebeu convites para se tornar evangélico: "Meu pai sempre significou um desafio às igrejas. Já até ofereceram dinheiro para ele se converter, pois o fato daria muita mídia e mostraria que eles o teriam tirado do mau caminho".
Desta vez, no entanto, o cineasta tem ido aos cultos por conta própria, diz Lins, e tem comentado que todos são simpáticos a sua presença. "Ele encara tudo como troca de informação e conhecimento. Se um budista o convidar, ele também irá a um templo", exemplifica a filha.

Originalmente publicada em Catraca Livre


Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.