Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Igreja usa bares para fundar congregações e realizar cultos regados a cerveja: “Criminalidade caiu”; veja vídeo


Gabola é a palavra de Tswana para bebida, e uma igreja cristã na África do Sul adotou o termo como uma espécie de identificação. Nos cultos, regado a cervejas geladas, gritos de “Amém!” são constantemente ouvidos no espaço de uma taberna, usado para as celebrações em Orange Farm, ao sul de Joanesburgo, a principal cidade do país.
A Igreja Gabola ficou conhecida na região como uma denominação que só realiza cultos regados a cerveja, servida gelada, uma após a outra, com todos os membros participando da celebração, incluindo o bispo. Até os batismos são realizados com a oferta de bebidas alcoólicas. Mas, tudo isso não é uma prática gratuita, e sim, uma estratégia social, argumenta o líder da igreja.
De acordo com informações do portal sul-africano Daily Sun, todos os frequentadores bebem juntos durante os cultos. O bispo Tsietsi Makiti, 52 anos, é o fundador da igreja que hoje tem 500 membros.
A igreja acomoda pessoas que não são bem-vindas em outras igrejas, e durante a visita da reportagem ao culto, o bispo Makiti estava matando a sede com uma cerveja Heineken e orando com membros que também estavam bebendo.
Makiti diz que o milagre da transformação de água em vinho é simbólico, porque as pessoas não sabiam o que fazer para tornar o casamento uma festa alegre sem a bebida, mas Jesus resolveu a situação: “Então, esta igreja também ora por suas bebidas antes de serem servidas. Com Deus em nossas tabernas, vemos o crime ser reduzido e o amor e respeito promovido”, argumentou.
“As pessoas que bebem cerveja são felizes e pacíficas. Isso significa que eles estão vivendo na sombra de Deus”, disse, fazendo uma observação a respeito da realidade cultural local.
O dono da taberna, Freddy Mathebula, 53 anos, afirmou que a igreja acomodou os rejeitados das comunidades: “Desde que a igreja começou, o crime foi reduzido e nós recebemos uma ótima resposta da comunidade”, declarou, reforçando o argumento do bispo, que agora quer expandir a estratégia para outras comunidades, fundando novas congregações.
“A igreja me faz sentir em casa. Não consigo ver-me ser membro de nenhuma outra igreja”, disse com orgulho o frequentador Jeffrey Mokoena. Já Michael Motsepe, de 29 anos, admitiu: “Como jovem que gosta de cerveja, eu me sinto desconfortável em outras igrejas. Mas quando estou aqui eu posso beber. Deus está em toda parte, mesmo em tabernas”.
Thoko Mkhwanazi-Xaluva, presidente da Comissão para a Promoção e Proteção dos Direitos, disse que o bem da iniciativa é que Deus está em toda parte: “As pessoas podem ser convertidas em qualquer lugar. Isso é visto nos trens, nas fileiras de táxis, espaços públicos e até mesmo nas tabernas”.
A única ponderação feita por Thoko foi em relação à ética, pois se o pastor for o dono da taberna, isso pode gerar problema: “Isso pode ser visto como uma estratégia para maximizar seus lucros”, salientou.


Publicado originalmente em G+

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.