Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Líderes e organizações cristãs criam coalizão para socorrer migrantes venezuelanos


A crise humanitária que vem se agravando na Venezuela nos últimos anos levou líderes e organizações cristãs a formarem uma coalizão como uma resposta da igreja brasileira à crise do país vizinho. A coalizão SOS Venezuela surgiu semana passada e conta com a participação e apoio de organizações como Visão Mundial, Associação de Missões Transculturais Brasileiras (AMTB), Movimento Vocare, SOS Global, Junta de Missões Nacionais, Rede Evangélica Nacional de Ação Social (Renas), Rede Evangélica de Apoio ao Migrante e Refugiado (Remir), Secretaria Nacional de missões das Assembleias de Deus (Senami), Desafio de Minas (DDM), Missão de Apoio à Igreja Sofredora (Mais), Editora Ultimato, dentre outras entidades.
O Brasil se tornou o principal refúgio para os venezuelanos que fogem da crise em seu país. Os principais destinos são Manaus (AM) e as cidades de Boa Vista e Pacaraima, em Roraima – estado que faz fronteira com a Venezuela. Segundo reportagem exibida no último domingo, 18/02, pelo Fantástico, cerca de 800 venezuelanos entram no Brasil diariamente.
Em matéria publicada no site Nexo, especialistas em relações internacionais dizem que os dados disponíveis não são precisos e isso dificulta ter uma visão real do problema. De acordo com eles, os dados mais confiáveis publicados até o momento são Polícia Federal, os quais apontam que até o final de 2017, cerca de 30 mil venezuelanos pediram regularização no Brasil.
Igrejas e organizações locais, tanto em Manaus, quanto em Boa Vista e Pacaraima, já estão atuando no acolhimento dos migrantes venezuelanos. De acordo com José Prado, um dos organizadores da coalizão, o objetivo desta iniciativa é somar forças e coordenar esforços para acolher os venezuelanos. Prado também informou que a Visão Mundial fará um levantamento nos próximos dias para ter um diagnóstico da situação dos venezuelanos que estão chegando ao Brasil, identificar o que já está sendo feito, os atores envolvidos e as necessidades mais urgentes. A partir deste diagnóstico será traçado um plano de ação com o objetivo de aumentar os esforços nas ações já em curso e suprir as lacunas existentes.
A coalizão SOS Venezuela emitiu um comunicado no qual afirma que “acolher o estrangeiro é muito mais do que uma resposta humanitária. É um preceito bíblico. Uma marca dos discípulos de Jesus”. O texto, reproduzido abaixo, convoca a igreja brasileira à ação e à oração.

É tempo de agir
Onde estiver, seja sozinho em sua devocional, seja no encontro de sua célula ou pequeno grupo, na reunião de oração ou celebração de sua igreja, separe um tempo para orar pelo povo venezuelano.
Orar é a ação que precede e nos prepara para todas as outras ações.
A crise venezuelana está longe de ser solucionada. Milhares fugindo da fome e do caos no sistema de saúde buscaram abrigo no Brasil. Estima-se que Roraima já tenha recebido mais de 60 mil pessoas. Muitos outros ainda chegarão. Sem recursos, há os que chegam após caminhar centenas de quilômetros. Exaustos, acampam precariamente nas ruas e praças de Pacaraima e Boa Vista. Homens, mulheres, crianças e idosos ao relento. Muitos casos de desnutrição aguda.
Agentes locais, entre eles igrejas e missões evangélicas estão respondendo na medida de suas forças. A necessidade, porém, é muito maior do que podem responder.
Não podemos observar inertes a esta realidade.
Na semana passada foi formada uma coalizão de ministérios a fim de articular uma resposta coordenada ao desafio de socorrer, acolher e integrar nossos irmãos venezuelanos.
Um diagnóstico local está em curso e, a partir dele, um plano de ação será proposto.
Acolher o estrangeiro é muito mais do que uma resposta humanitária. É um preceito bíblico. Uma marca dos discípulos de Jesus. O povo de Deus foi capacitado e convocado por Ele para momentos como este.
Ore e prepare seu coração para responder. Que, ao orarmos pela Venezuela, nosso coração seja quebrantado por aquilo que quebranta o coração do Pai.

Publicado em Ultimato
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.