Header Ads



ATUALIZADAS
recent

Cinco músicas que você não sabia, mas são sobre Deus; assista


Antes de Justin Bieber, agora frequentador de igreja pentecostal, pensar em gravar um álbum de canções religiosas, outros cantores pop fizeram letras com teor religioso.
Relatos na imprensa internacional sugerem que o mega-astro da música pop Justin Bieber estaria gravando um álbum fortemente inspirado em temas religiosos.
Alguns jornais, como o tabloide britânico The Sun, chegaram a dizer que novo álbum inteiro seria um "trabalho conceitual" inspirado na aproximação do cantor com uma igreja pentecostal, a Hillsong.
Segundo o The Sun, o cantor pop estaria à procura de músicas com mensagem cristã.
"Há temas-chave de amor e redenção nas faixas que ele criou até agora", disse uma fonte ao jornal. "Isso certamente surpreenderá alguns fãs."
Em geral, as pessoas torcem o nariz para músicas pop com temática religiosa. O diabo, como se diz, tem as melhores músicas.
Mas há muitos exemplos de artistas consagrados transformando sua fé em grandes canções pop - desde Blinded By Your Grace ("Oh meu Deus, que Deus eu sirvo", diz a letra), de Stormzy, a One Love, de Bob Marley ("Dê graças e louve ao Senhor/e eu vou me sentir bem").
A BBC selecionou outras 5 músicas que você pode não perceber, mas falam de Deus.

1) Lenny Kravitz - 'Are You Gonna Go My Way'


Um dos riffs de guitarra mais grudentos do rock vem acompanhado de uma letra sobre uma figura messiânica recrutando discípulos.
"Eu sou o escolhido/ eu sou o único", canta Kravitz. "Mas o que eu realmente quero saber é / você vai seguir meu caminho?"
A música chegou ao cantor em um lampejo de inspiração - ele se lembra de rabiscar a letra, que reflete sua fé na vida real, em uma sacola de papel marrom.
Kravitz tem uma tatuagem nas costas que diz "Meu coração pertence a Jesus" e uma vez declarou que Cristo era "a melhor estrela do rock".

2) Candi Staton - 'You Got The Love'

A diva da música disco Candi Staton gravou "You Got The Love" nos anos 80, depois de dar as costas à música secular e se dedicar à igreja.
Estranhamente, a música originalmente apareceu em um vídeo sobre o homem mais gordo do mundo e seu esforço para perder peso.
A canção só ficou famosa quando o The Source a remixou em 1991 - levando a letra, que diz "O amor do meu salvador é real" para as pistas de dança.
O sucesso da música levou Staton a reavaliar sua carreira.
"Foi uma música tão inspiradora que me permitiu repensar", disse ela ao The Guardian. "As pessoas na igreja costumavam me dizer que a música secular era a música do diabo - mas eu percebi que não era."

3) U2 - 'Until The End Of The World'

Há um forte tema espiritual percorrendo toda a carreira do grupo irlandês U2 - em um determinado momento, eles até consideraram abandonar a banda para se dedicar à igreja.
Como muitas de suas músicas são baseadas em ensinamentos bíblicos, algumas igrejas começaram a realizar o que batizaram de "U2Charist", em que trocam os hinos religiosos tradicionais pelas canções do grupo irlandês.
Sua música mais poderosa, narrativamente falando, é Until The End of The World (Até o fim do mundo), que é cantada a partir da perspectiva de Judas Iscariotes no Jardim do Getsêmani.
A música fala de quando Judas trai Jesus - ele combina com os guardas que aquele que beijaria seria Jesus. O ato, segundo a Bíblia, levaria Jesus à prisão e crucificação.
"Eu beijei seus lábios e parti seu coração", canta Bono/Judas. "Você estava agindo como se fosse o fim do mundo."

4) The Byrds - 'Turn! Turn! Turn!'

"Um tempo para nascer, um tempo para morrer / Um tempo para plantar, um tempo para colher / Um tempo para matar, um tempo para curar /Um tempo para rir, um tempo para chorar."
O hit de 1965 do grupo americano The Byrds é baseado, quase textualmente, no capítulo três do Livro de Eclesiastes da Bíblia, no qual o rei Salomão contempla o sentido da vida, Deus e a eternidade.
Foi "provavelmente a única vez em que uma música saída diretamente da Bíblia chegou ao primeiro lugar nas paradas", disse posteriormente o baixista Chris Hillman à Biblioteca do Congresso dos EUA. "Eu sei que Pete [Seeger, compositor] ficou com metade dos direitos autorais. Não sei se os herdeiros do rei Salomão receberam um centavo".
Hillman não era religioso no momento de escrever a canção - na verdade, ele disse que as letras eram quase "irônicas" -, mas, depois, se converteu ao cristianismo.

5) Prince - 'Let's Go Crazy'

Com um som de órgão ao fundo, a música começa com Prince fazendo um sermão - mas muitas pessoas perderam a mensagem religiosa de "Let's Go Crazy" em meio às letras sobre sexo e "bananas roxas" (não pergunte) do cantor.
A canção é um apelo para aproveitar ao máximo a vida sem sucumbir às tentações do diabo, que está tentando "nos derrubar".
Para aqueles que estão no caminho da justiça, a recompensa é o outro mundo: "Um mundo de felicidade sem fim [onde] você pode sempre ver o sol, o dia ou a noite".
Prince gravou músicas que eram mais explicitamente religiosas (incluindo o álbum conceitual The Rainbow Children, baseado em temas da religião que abraçou no fim da vida, a Testemunhas de Jeová), mas ele nunca fez a fé parecer tão divertida novamente.

Outras canções que falam de Deus:

Kanye West - "Jesus Walks"

Mumford and Sons - "The Cave"

Carrie Underwood - "Jesus, Take The Wheel"

Nina Simone - "Sinnerman"

Bob Dylan - "Gotta Serve Somebody"

The Fray - "You Found Me"

Mary Mary - "Shackles (Praise You)"

Bob Marley - "Redemption Song"

David Bowie - "Word On A Wing"

Kendrick Lamar - "Faith"

The Headhunters - "God Made Me Funky"


Publicado originalmente em G1

Nota do Editor:
Interessante notar que muito mais músicas foram cantadas e dançadas por diversos cantores e bandas. Um exemplo esquecido pela matéria é o sucesso de Boney M. Assista abaixo:


'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.