Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Jesus Cristo usou óleo de maconha para operar 'milagres', sugere historiador

David Bienenstock explicou que óleos sagrados usados ​​nos primórdios da igreja católica continham kaneh-bosem, ingrediente que provém da cannabis
Historiador alegou que Jesus e seus apóstolos usavam óleo de maconha para operar milagres de cura e ungir enfermos
Jesus e seus apóstolos podem ter usado óleo de maconha para 'operar milagres' de cura. Isso é o que um novo estudo de um historiador sugere. Segundo as pesquisas do cientista e escritor americano David Bienenstock, a cannabis era facilmente encontrada em todo o Oriente Médio há dois mil anos, e as pessoas costumavam a utilizar como ingrediente caseiro para tratar doenças e enfermidades.
Em suas análises, Bienenstock explicou que os óleos sagrados usados ​​nos primórdios da Igreja Católica continham kaneh-bosem , um ingrediente que, segundo ele, provém do óleo de maconha . O pesquisador afirmou que o extrato, geralmente absorvido pela pele, pode ter ajudado a curar pessoas com doenças físicas e mentais muito antes dos primeiros medicamentos produzidos em massa.

Versão sagrada do óleo de maconha e discussão sobre uso
Religiosos e profissionais do meio científico têm debatido a questão com frequência, mostrando opiniões divergentes. Para os cristãos, as alegações são contenciosas, já que “as provas de que a kaneh-bosem era um extrato da cannabis são rasas e sem fundamento”.
Pesquisadores que se opõem às pesquisas de Bienenstock, como o professor de botânica da Old Dominion University, Lytton John Musselman, acreditam que a erva misteriosa seja uma raíz conhecida como cálamo ou "bandeira doce", por conter um histórico medicinal mais abrangente e "verídico", conforme defende.
Em entrevista ao Daily Mail , David Bienenstock ressaltou que os óleos usados para unção foram regularmente utilizados pelos católicos da época para tratar doentes e idosos, sendo despejado diretamente na pele dos enfermos.
"A versão hebraica da receita do óleo sagrado continha quase três quilos de uma erva ainda não identificada, conhecida como keneh-bosem . Registros históricos mostram que a maconha era acessível na época, uma vez que sabiam como cultivá-la e explorar suas propriedades medicinais . Não há nada diferente entre o óleo de cannabis usado hoje e o utilizado no tempo de Jesus Cristo. A única diferença é que, atualmente, podemos analisar as coisas com uma fundamentação cientifica e medicinal e não considerar tudo como ‘um milagre’”, alegou.
Chris Bennett, que desenvolve pesquisas sobre maconha há anos, explicou que ambas as possiblidades devem ser consideradas, e que o tabu em relação ao uso de cannabis como elemento medicinal deve ser quebrado.
“Pessoas ungidas com óleos sagrados estavam ‘imersas’ em ervas que não conheciam, e provavelmente o óleo de maconha fazia parte dessa mistura. Não se pode descartar o uso medicinal de cannabis durante o período de Jesus Cristo. Há registros arqueológicos que evidenciam isso", concluiu ele em um artigo publicado na revista norte-americana High Times.

Publicado originalmente em Último Segundo

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.