Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Governo da China exige que igrejas retirem referências aos Dez Mandamentos


As igrejas cristãs na China receberam a ordem de retirar qualquer tipo de exibição ou referência aos Dez Mandamentos e substituí-los por citações do presidente chinês Xi Jinping, de acordo com relatórios recentes.

A revista ‘Bitter Winter’, que cobre temas de liberdade religiosa e direitos humanos na China, informou que o pedido foi feito especificamente às igrejas da denominação protestante "Movimento Patriótico dos Três Seres".

A nova diretriz ocorreu depois que, em um primeiro momento, pediu-se à igreja protestante que eliminasse o Primeiro Mandamento que faz referência a “Não terás deuses alheios diante de mim”, pois Jinping não estava de acordo.

Também se indica que aqueles que se negaram a eliminar algum ou todos os mandamentos foram presos; inclusive aconteceu com pessoas de algumas igrejas que cumpriram com as instruções.

Funcionários do Departamento de Trabalho da Frente Unida do Comitê Central do Partido Comunista Chinês indicaram, no final de junho, aos membros de uma igreja dos “Três Seres”, localizada na cidade de Luoyang, que “o Partido deve ser obedecido em todos os aspectos".

“Sempre tem que fazer o que o partido diga. Se você contradisser, sua igreja será fechada imediatamente”, advertiram.

A igreja teve que eliminar as referências aos Dez Mandamentos, depois de repetidas instruções do governo.

Três igrejas dessa denominação já foram fechadas por não eliminarem as exibições. Segundo os relatos, os fiéis que não estão de acordo foram ameaçados de serem colocados em listas negras do governo, o que leva a restrições de viagem e a exclusão de seus filhos de algumas escolas ou empregos.

Em vez dos Dez Mandamentos, as igrejas dos "Três Seres" agora mostram citações que promovem o socialismo e alertam contra a influência do Ocidente na China.

Um pastor da igreja protestante disse a ‘Bitter Winter’ que temia que o governo chinês tentasse lentamente se converter em uma figura divina.

“O primeiro passo do governo é proibir as mensagens religiosas. Em seguida, retira as cruzes e começa a implementar os 'quatro requisitos', ordenando que a bandeira nacional e os 'valores socialistas centrais' sejam colocados nas igrejas. Em seguida, câmeras de vigilância são instaladas para monitorar os fiéis e as atividades religiosas. O último passo é substituir os Dez Mandamentos pelos discursos de Xi Jinping ”, disse o pastor, que preferiu permanecer anônimo.

Desde que chegou ao poder em 2013, o presidente chinês Xi Jinping ordenou a "sinização" de todas as religiões na China, uma medida que a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos chamou de "uma estratégia de grande alcance para controlar, governar e manipular todos os aspectos da fé em um molde socialista infundido com 'características chinesas'”.

A adaptação do programa de “sinização” ao Vaticano foi um tema muito discutido durante a formalização do acordo de 2018 entre o Vaticano e a China, que regularizou os bispos nomeados pelo governo deste país junto à Santa Sé.

Anteriormente, os bispos afiliados à "Associação Patriótica Católica Chinesa" foram consagrados ilicitamente e mantidos fora da comunhão com Roma.

Os termos completos do acordo entre o Vaticano e a China não foram publicados.

ACI Digital

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.