Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Católicos chineses se entrincheiram em Igreja para evitar demolição

Católicos ajoelhados dentro do terreno da igreja em Wu Gao Zhang, em 31 de outubro de 2019 /
Há alguns dias, um grupo de sacerdotes e paroquianos se entrincheirou em uma igreja católica na província chinesa de Hebei para tentar impedir que o governo a derrubasse, segundo relatos.

O protesto começou às 6h de quinta-feira, 31 de outubro, na igreja de Wu Gao Zhang, parte do distrito de Guantao em Hebei, na costa norte da China. As autoridades ordenaram que a igreja fosse destruída, mesmo sendo totalmente reconhecida e aprovada pelo governo. Segundo AsiaNews, as autoridades locais indicaram que o edifício não possui licenças adequadas.

Em setembro de 2017, a China promulgou novos regulamentos estritos para a religião. Desde então, as autoridades têm estado vigilantes para que os requisitos para as licenças sejam cumpridos. Igrejas que não cumprem são destruídas.

Segundo AsiaNews, muitos católicos chineses dizem que o acordo entre a Santa Sé e a China em setembro de 2018 incentivou o governo a tomar medidas punitivas contra católicos que não pertencem a igrejas aprovadas pelo estado.

Segundo relatos, funcionários públicos afirmam que "o Vaticano nos apoia" e ordenaram a destruição de outras 40 igrejas.


Durante décadas, a Igreja na China ficou dividida entre a Associação Católica Patriótica Chinesa, uma igreja estatal sob o controle do Partido Comunista Chinês e a Igreja clandestina que estava em plena comunhão com a Santa Sé. O acordo de 2018, cujos detalhes não foram publicados, pretendia unificar as duas comunidades eclesiásticas, embora vários relatos da China indiquem que sacerdotes e leigos que se recusam a adorar nas igrejas administradas pelo governo enfrentam uma maior perseguição.

Nas províncias de Jiangxi e Fujian, no leste da China, os sacerdotes que se negaram a assinar acordos que os vinculavam aos regulamentos do governo foram expulsos de suas casas e tiveram suas igrejas fechadas. O governo chinês proibiu que os sacerdotes que não estejam de acordo viajem e muitos foram obrigados a se esconder.

Em julho e agosto, pelo menos cinco igrejas católicas na diocese de Yujiang foram fechadas à força pelo governo, devido à sua recusa em ingressar na Associação Católica Patriótica Chinesa. Em meados de agosto, oficiais do governo ameaçaram prender um sacerdote clandestino e revogar subsídios básicos do governo a todos os católicos da cidade de Yingtan depois que sua paróquia se recusou a se juntar à Igreja patrocinada pelo estado.

"O governo coloca espiões nas igrejas da Associação Católica Patriótica Chinesa para controlar especialmente o que os sacerdotes dizem em seus sermões e nas atividades que realizam", informou recentemente um sacerdote de Yujiang à revista Bitter Winter.

O governo chinês monitora a atividade diária dos sacerdotes da Associação Católica Patriótica Chinesa, incluindo suas viagens.

"Basicamente, o estado sabe tudo sobre os sacerdotes", acrescentou.

A perseguição chinesa às minorias religiosas tem sido o foco de um escrutínio internacional sustentado. Estima-se que o país prendeu milhões de muçulmanos uigures, e os principais grupos de direitos humanos informaram às Nações Unidas que dissidentes políticos e minorias religiosas encarceradas foram sujeitas à remoção de órgãos para uso no comércio de órgãos do país.

Em setembro, surgiram relatos de que as igrejas pertencentes à denominação protestante "Movimento Patriótico dos Três Seres" da China foram obrigadas a substituir as exibições dos Dez Mandamentos pelas declarações do presidente chinês Xi Jinping.

Segundo relatos, a ordem veio depois que as igrejas dos Três Seres foram instruídas inicialmente a eliminar o Primeiro Mandamento: "Não terás deuses diante de mim", uma vez que Jinping não estava de acordo com ele.

Os relatórios indicam que aqueles que se recusaram a eliminar um ou todos os mandamentos foram presos. Existem líderes assediados até nas igrejas que seguiram as instruções.

ACI

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.