Header Ads

ATUALIZADAS
recent

Básilica do Santo Sepulcro, o intrigante local onde Jesus teria sido crucificado, sepultado e ressuscitado

A edícula que abriga o suposto túmulo de Jesus Cristo - Wikimedia Commons


O suposto local de enterro e crucificação de Jesus sofreu muito ao longo das eras, mas ainda sim se mantém de pé

Localizada na Cidade Antiga de Jerusalém, a Basílica do Santo Sepulcro é, provavelmente, o local máximo de adoração do Cristianismo em todo o mundo. De acordo com escrituras existentes desde o século 4, foi nesse local que Jesus teria sido crucificado, e lá também abrigaria a tumba onde teria sido enterrado e depois ressuscitado.

Quando se converteu ao cristianismo depois de uma visão, Constantino — então imperador romano — enviou sua mãe até Jerusalém para encontrar a tumba de Jesus Cristo. Helena, então, com a ajuda de dois bispos cumpriu uma verdadeira missão, encontrando três cruzes perto de uma tumba, levando os romanos a acreditarem que aquele sim era o local certo.

Construção

Contando com as cruzes em que Jesus foi pregado ao lado de dois ladrões, o Calvário marca o local onde hoje está a Basílica feita por encomenda de Constantino. Porém, uma outra descoberta ainda estava prestes a acontecer depois que a construção da igreja, em 326, foi ordenada.

O imperador mandou que um templo erguido para Júpiter e Vênus fosse demolido e no lugar fosse erguida uma igreja. Durante as obras, os construtores se depararam com uma caverna em formato de tumba, identificando assim o lugar como o local de enterro de Jesus. Um santuário foi construído e, portanto, a Basílica se formou, em um complexo com a igreja, um átrio (onde Jesus foi crucificado — Calvário) e uma rotunda (onde supostamente estava a tumba de Cristo).

A Basílica, entretanto, nunca teve muita sorte ao longo de sua história. Jerusalém sempre foi um território visado por grandes generais e líderes políticos ao decorrer dos séculos, e em 614, durante uma das várias invasões ao local, o Império Sassânida, liderado por Khosrau II, roubou do local a Cruz tida como original.

Idas e vindas

Foi somente em 630 que o imperador Heráclio retomou o controle do lugar, e reconstruiu a basílica. A paz, no entanto, durou até o domínio árabe em Jerusalém que, apesar de ter mantido a construção, proibiu visitas oficiais ao local sagrado.  

Uma série de eventos aconteceram na Basílica, tornando o lugar alvo de muito azar. Em 746, um terremoto comprometeu seriamente as estruturas da igreja. Já em 841 e em 938, incêndios acidentais acometeram o edifício.

A destruição definitiva veio em 1009, quando o califa Al-Hakim bi-Amr Allah, visando uma campanha feroz contra o Cristianismo, ordenou que todos os santuários católicos fossem derrubados em toda a Palestina e no Egito. Depois disso, pouco restou da construção original.

Reconstrução

Após diversas negociações entre os bizantinos e o califado de Ali az-Zahir, filho de Al-Hakim, a igreja pôde ser reconstruída e refeita, sendo finalizada somente em 1048. Desde então, por mais que tenha sofrido alterações em sua estrutura, foi a última grande reforma feita no lugar, sendo o mais antigo e próximo possível de como está o local atualmente.

Logo na entrada, está posicionado o Calvário, local onde supostamente Jesus teria sido crucificado. É a parte mais bem decorada em toda a basílica, e conta com duas capelas — uma atendendo a gregos ortodoxos e a outra para católicos, cada uma com um altar.

Altar do calvário, representando justamente Cristo crucificado / Crédito: Wikimedia Commons

Já a tumba, como mencionado, está na rotunda da Basílica, que ao centro possui uma edícula. Dentro dela existem duas salas, uma contendo um fragmento de rocha usada pelos romanos para selar a tumba de Cristo, apelidada de Pedra dos Anjos. A segunda, e mais importante, contém a tumba de Jesus — vazia.

O local é um centro espiritual para todas as dissidências do Cristianismo, que realizam diariamente celebrações ecumênicas, todas em honra do local sagrado que visitam.

Aventuras na História

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.