ATUALIZADAS
recent

Homem tenta refutar a Bíblia mas acaba se convertendo

Caleb Kaltenbach: “Nunca quero ser cristão”

O autor Caleb Kaltenbach certa vez se viu dizendo: “Nunca quero ser cristão”, mas uma tentativa descarada de tentar refutar a Bíblia o deixou na mais surpreendente das circunstâncias: aceitar o Cristianismo e transformar seu coração e mente no processo.
A jornada de fé e as visões teológicas de Kaltenbach são especialmente surpreendentes considerando que ele foi criado por três pais gays em um ambiente ativista antes de sua conversão.
“Meus pais se divorciaram quando eu tinha 2 anos e ambos tiveram relacionamentos do mesmo sexo”, disse ele ao podcast “Edifi With Billy Hallowell” .
Essa jornada levou Kaltenbach e sua família a anos de ativismo pró-LGBT, onde ele frequentemente encontrou ódio e raiva de alguns que se diziam cristãos – pessoas que o deixaram sentindo em seus primeiros anos como se ele nunca quisesse fazer parte da fé .
“Aprendi muito rápido com as coisas que vi nas paradas de orgulho, a maneira como vi os cristãos tratarem as pessoas, a maneira como vi as famílias ignorarem seus filhos morrendo de AIDS na década de 1980 – vi muito rápido que os cristãos odiavam os gays, ” ele disse. “E pensei comigo mesmo: ‘Cara, eu nunca quero ser cristão. Se os cristãos são assim tão maus, não consigo imaginar o quão terrível Jesus deve ser se Ele é o líder deles. ‘”
Mas algo inesperado aconteceu durante sua adolescência. Kaltenbach entrou para um estudo bíblico quando tinha 16 anos, em um esforço para tentar refutar o cristianismo. Apesar de seus melhores esforços, Kaltenbach surpreendentemente se viu cativado pelas Escrituras – e tudo mudou.
“Tornei-me cristão, mudei minha visão sobre a sexualidade para o que defendo hoje – que Deus criou a intimidade sexual e o afeto para serem expressos no casamento entre um homem e uma mulher”, disse ele.
A jornada de lá não foi fácil, especialmente quando a família de Kaltenbach soube de sua conversão. Seus pais o expulsaram de casa, embora mais tarde tenham se reconciliado.
“Acho que meus pais acabaram percebendo que eu não era um ‘daqueles’ cristãos”, explicou ele, referindo-se às pessoas zangadas que sua família havia encontrado durante sua juventude.
A jornada de fé de Kaltenbach não parou por aí; ele decidiu entrar no ministério e se tornou pastor. Quanto a seus pais, eles também se tornaram cristãos em seus últimos anos.
Além de sustentar pontos de vista bíblicos sobre o casamento, Kaltenbach disse que também abraça outra afirmação: que “as crenças teológicas nunca deveriam ser catalisadores para desvalorizar os outros.”
Ele está lidando com essas crenças em seu novo livro, Messy Truth: How to Foster Community Without Sacrificing Conviction , enquanto continua a ajudar os cristãos a encontrar um equilíbrio entre a verdade e o amor e a criar “um sentimento de pertença para todas as pessoas”.
Kaltenbach disse ao “Edifi” que acredita que é importante que os cristãos mostrem empatia pelos outros, mas diferencie entre ter compaixão e abandonar valores.
“Precisamos empregar muita empatia … Não quero dizer empatia como uma tarefa simples”, disse ele. “Para mim, empatia é semelhante à humildade … empatia é reconhecer a realidade de alguém.”
É a partir daí que Kaltenbach acredita que as pessoas podem ser alcançadas com o Evangelho.
Quanto ao atual afastamento da cultura dos valores tradicionais, Kaltenbach admitiu que tem sido difícil de assistir, mas ele continua em sua jornada para ajudar os cristãos a processar as mudanças sociais de maneiras positivas e edificantes.
Ouça a entrevista completa para saber mais sobre as opiniões de Kaltenbach e sua jornada.

Nenhum comentário:

Fico muito feliz pelo seu interesse em comentar esta notícia.

Lembro que a legislação brasileira prevê a possibilidade de responsabilização do blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários.

Sendo assim, me reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Enfim, gostaria de lhe pedir a gentileza de se identificar com seu nome e e-mail.

Obrigado.

Tecnologia do Blogger.